quinta-feira, 15 de novembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Internacional / Tiros contra Embaixada dos EUA na Turquia são um aviso

Tiros contra Embaixada dos EUA na Turquia são um aviso

Matéria publicada em 20 de agosto de 2018, 12:14 horas

 


São Paulo- De um carro em movimento partiram os tiros que acertaram a guarita da Embaixada dos Estados Unidos em Ancara, capital da Turquia, às 5 horas da manhã desta segunda-feira (20). Não há registro de feridos. Mas o aviso foi dado: as relações entre os dois países estão a ponto de degenerar para a violência.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer a libertação de um pastor norte-americano acusado de terrorismo: Andrew Brunson. O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, deseja que seu prisioneiro seja trocado por uma turca presa em Israel.

Os dois presidentes acertaram a troca na reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), no mês passado, mas Erdogan apenas tirou Brunson do presídio e o deixou em prisão domiciliar.

Consta que Trump ficou furioso. Agora, ele estaria exigindo a liberdade incondicional do pastor. No início do ano, 4 liras compravam 1 dólar; e agora 1 dólar vale 6 liras. Com sanções norte-americanas que podem crescer, a Turquia não vai conseguir pagar US$ 120 bilhões em dívidas até o fim do ano. A crise econômica pertence a Erdogan, e o seu agravamento, a Trump.

A Grécia estava em situação pior que a Turquia, em 2010. Hoje, ela quita a última parcela dos cerca de 290 bilhões de euros que a salvaram. A Turquia segue na direção do Fundo Monetário Internacional (FMI) e terá que se submeter a tempos de dura austeridade.

Chamado de sultão pelos amplos poderes que assumiu, é tudo que Erdogan não quer: austeridade significa impopularidade. Além do mais, render-se a Trump, para ele, será humilhar-se diante dos turcos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Go Trump! Mostra pra estes merdas quem quem pode mai$$$, MANDA MAIS!

Untitled Document