domingo, 12 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / A guerra do Sam Mendes e o espião do Will Smith

A guerra do Sam Mendes e o espião do Will Smith

Matéria publicada em 23 de janeiro de 2020, 11:19 horas

 


‘A Batalha das Correntes’ e filme brasileiro completam a programação dos cinemas da região

Três estreias se destacam na programação desta semana. A primeira é “1917”, uma aventura na Primeira Guerra Mundial dirigida por Sam Mendes, o diretor de “007 – Operação Skyfall”. Para as crianças temos “Um Espião Animal”, filme onde Will Smith dá voz e forma para um agente secreto calcado no James Bond. No Gacemss temos o interessante “A Batalha das Correntes” sobre a disputa entre os gênios Thomas Alva Edison e Nikola Tesla para eletrificar os Estados Unidos. Sem eles não teríamos luz elétrica.
E como não poderia faltar um filme brasileiro, a comédia nacional desta semana é “O Melhor Verão das Nossas Vidas”, sobre um trio de meninas que fogem da escola para participar de um festival de música. Seria mais interessante se exibissem o “Democracia em Vertigem”, que está concorrendo a um Oscar da Academia. Mas, nada é perfeito.

1917: A guerra segundo Sam Mendes

Vamos começar pela guerra de “1917”, que está em cartaz no Cine Araújo, no Shopping Park Sul, em Volta Redonda. Sam Mendes é um diretor conhecido por filmes esteticamente muito bonitos, mas um tanto carentes de conteúdo. Ele ficou famoso por “Beleza Americana”, que deu o que falar no distante ano de 1999. Mais recentemente ele ajudou a desmoralizar o James Bond com aquele filme onde o agente 007 não consegue salvar nem a chefe dele. Em “1917” ele tenta criar um drama de guerra semelhante ao “Resgate do Soldado Ryan” do Spielberg. Só que aqui a história se passa em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial.
Dois soldados britânicos, Blake e Schofield, recebem uma missão quase impossível. Eles devem penetrar no território inimigo para entregar uma mensagem para um pelotão que se encontra a caminho de uma emboscada. O irmão de um dos soldados se encontra nesse pelotão, e se eles não conseguirem entregar a mensagem, 1.600 homens vão morrer. Incluindo o irmão dele. Para quem não conhece história, a Primeira Guerra Mundial foi a Guerra das Trincheiras. Onde os exércitos em luta não se movimentavam muito e ficavam meses ocupando territórios bem definidos.
Uma olhada no trailer mostra logo o estilo do Sam Mendes. As imagens são tão bonitas que nem parece um filme de guerra. Mas, vale a pena conferir.
Para as crianças o melhor programa da semana é “Um Espião Animal”, um longa de animação da Fox que custou 111 milhões de dólares (uma quantia fabulosa em se tratando de um desenho animado). Will Smith é Lance, um espião de traje a rigor e gravata borboleta claramente inspirado no 007. Suas missões são mostradas na primeira parte do filme, incluindo um ataque contra um QG da Yakuza, a máfia japonesa.
Como todo agente secreto que se preza, Lance conta com um gênio da tecnologia que cria as armas e engenhocas que ele usa. Walter, é um gênio atrapalhado que acaba extrapolando suas funções. Ele cria uma fórmula que transforma Lance em um pombo. E não sabe como reverter a transformação. Uma das grandes sacadas do desenho é mostrar como os pombos e outros pássaros enxergam o mundo com aqueles olhos nos lados da cabeça. O que explica porque é tão difícil surpreende-los se aproximando por trás.
E para os adolescentes tem o filme das meninas que querem ser artistas. “O Melhor Verão das Nossas Vidas”.

Divertido: Will Smith vira um pombo

Cine Gacemss

“A Batalha das Correntes” é a principal atração do Gacemss e mostra os bastidores da criação da iluminação elétrica, que faz parte do nosso dia a dia. No final do século XIX Thomas Alva Edison (Benedict Cumberbatch), o cientista mais famoso da época, prepara-se para levar a luz elétrica até a cidade de Nova Iorque. Ele aposta em um sistema de corrente contínua e não espera ser desafiado nesse campo. Mas, eis que surge o industrial George Westinghouse (Michael Shannon) que se aliou ao gênio da eletricidade Nikola Tesla (Nicholas Hout) defendendo o uso da corrente alternada. O resultado desse choque de gênios é eletrizante.

 

Jorge Luiz Calife

Correntes: O nascimento da luz elétrica

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document