segunda-feira, 21 de setembro de 2020 - 07:02 h

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / A nova corrida para Marte

A nova corrida para Marte

Matéria publicada em 3 de agosto de 2020, 19:13 horas

 


Emirados Árabes saíram na frente com sua sonda espacial Hope

Uma nova corrida espacial começou neste final de julho. Ao contrário da corrida lunar do século passado o novo objetivo é o planeta Marte. Os árabes partiram na frente com o lançamento da sonda espacial Hope, dos Emirados Árabes Unidos, no dia 18 de julho passado. Atrás dela decolou a sonda espacial chinesa no dia 23. E por último aconteceu o lançamento da sonda americana Mars 2020 da Nasa no dia 30. Que levou um helicóptero drone para voar nos céus do planeta vermelho.

A Hope (Esperança) é o resultado de uma década de trabalho dos cientistas do pequeno país árabe. Eles construíram a sonda mas como não tinham um foguete para lança-la contrataram os serviços da empresa japonesa Mitsubishi. Que colocou a sonda em um de seus foguetes H-2 que foi disparado na noite de sábado do centro espacial de Tanegashima no Japão. Se tudo correr bem a Hope entrará em órbita ao redor de Marte em fevereiro de 2021 depois de uma viagem de pouco mais de seis meses.

Os instrumentos a bordo da sonda farão um estudo do clima e da atmosfera de Marte. O que vai complementar os dados conseguidos pelas sondas americanas e indiana que orbitam o planeta vermelho. A hope custou 200 milhões de dólares e deve passar um ano orbitando Marte. O diretor do projeto Onram Sharaf explicou, em uma entrevista coletiva, o motivo dos emirados árabes embarcarem em um projeto espacial dessa magnitude. Ele disse que a principal fonte de riqueza dos emirados é o petróleo. Mas que o petróleo não vai durar para sempre. Por isso eles estão tentando desenvolver altas tecnologias para se tornarem um polo tecnológico como a Coréia do Sul. Quando a tecnologia dos combustíveis fósseis se tornar obsoleta.

As missões chinesa e americana são bem mais sofisticadas e ambiciosas. A Tianwen -1 da China, que decolouno dia 23 de julho, inclui um orbitador e um veículo de pouso. O orbitador entra em órbita ao redor de Marte e lança a sonda de pouso que vai tentar descer suavemente na planície de Utopia. Onde a sonda americana Viking pousou em 1976. Depois do pouso um pequeno carro robô desembarca e começa a explorar a região. Exatamente como foi feito no polo sul da Lua pela sonda chinesa Change 4.

O diretor do projeto, Zhang Yu, explicou em uma entrevista na tv estatal chinesa, que o projeto conta com o apoio das agências espaciais da Argentina, França e Europa. O foguete lançador foi o Longa Marcha-5 disparado do centro espacial de Wenchang. Se tudo correr bem a sonda chinesa aterrissa em Marte no ano que vem e fará uma série de pesquisas no solo e na atmosfera do planeta.

30 de julho: O Perseverance decola de Cabo Canaveral

Partindo por último decolou no dia 30 o robô Perseverance da Nasa. Ele tem o tamanho de um carro, pesa uma tonelada e custou um 2 bilhões e meio de dólares. O Perseverance leva vinte e três câmeras com resolução de 20 megapixels e um helicóptero drone, o Ingenuity, que será lançado para explorar o céu marciano. A sonda também é equipada com um microfone que deve transmitir os primeiros sons de Marte para a Terra. O local de pouso será a cratera Jezero, que fica em uma das regiões escuras do equador de Marte.

O objetivo da missão Marte 2020 da Nasa é procurar por vestígios de microorganismos que possam ter habitado Marte quando o planeta tinha oceanos, há milhões de anos. O Perseverance também vai preparar o terreno para uma futura missão que tentará recolher amostras do solo marciano para serem enviadas para a Terra. O foguete lançador foi um Atlas 5 e como no caso das missões árabe e chinesa o foguete precisava ser lançado dentro de um período de tempo determinado, para aproveitar a posição de Marte no céu. É a chamada janela de lançamento. Originalmente a decolagem da Perseverance estava marcada para o dia 22 mas foi adiada devido a uma falha em um sensor de oxigênio. No dia 30 tudo correu bem e a sonda já está a caminho de Marte.

 

Jorge Luiz Calife


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    PIOR QUE TEM GENTE QUE ACREDITA NESSAS COISAS. O HOMEM É UM SER FÁCIL DE SER MANIPULADO. A MENTE HUMANA É VULNERÁVEL A PNL.

  2. Avatar

    O ar de Marte é rarefeito, tem um centésimo da pressão barométrica da Terra, então como o helicóptero conseguirá sustentação?… Isso parece mais jogada de marketing político, vide os países envolvidos nessa nova “corrida”. Aliás, quem viu as imagens que a sonda chinesa mandou da Lua vê claramente que aquilo é renderizado, feito no computador. Mera CGI, tal qual uma apresentação de jogo de videogame…

    Eu era cético quanto à chegada do homem (ser humano, para os politicamente corretos) à Lua, mas após ler argumentos dos anti e dos prós, me convenci pela legitimidade. Mas essas imagens em CGI e o helicóptero em Marte, isso terá que ter argumento bem convincente…

Untitled Document