>
sexta-feira, 24 de junho de 2022 - 19:37 h

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Artista de Volta Redonda terá trabalho apresentado em Festival Internacional

Artista de Volta Redonda terá trabalho apresentado em Festival Internacional

Matéria publicada em 2 de maio de 2022, 14:21 horas

 


Foto arte de divulgação do trabalho de Carol Gigante.

Volta Redonda-  Natural de Volta Redonda, a atriz Carol Gigante que atualmente é moradora da cidade do Rio de Janeiro há alguns anos, é intérprete e idealizadora do curta-performance “Aperte f5. Saia da Janela” que terá apresentação única no Festival Internacional Denise Stoklos de Solos Performance(FIDS).

A apresentação acontecerá no dia 04 de maio, às 18h. A programação completa é totalmente online e gratuita e pode ser conferida no site https://fidsfestival.com/ .

Segundo a artista volta-redondense, o formato online do festival possibilita a ampliação de ações estéticas, poéticas e formativas para artistas, espectadores e participantes de todo o Brasil e do Mundo. “É um modelo adequado ao cenário pós-pandêmico e mais acessível. O FIDS está na sua segunda edição e irá acontecer de 02 a 08 de maio, onde conta com oficinas, espetáculos, palestras performances, palco aberto e solosperformance”, destaca.

O festival recebe a curadoria da grande artista Denise Stoklos e conta com mais de 50 (cinquenta) artistas nacionais e internacionais na sua programação, entre eles a atriz Carol Gigante de Volta Redonda.

A pandemia

Formada na ETE Martins Penna – a escola de teatro mais antiga da América Latina. A atriz Carol Gigante também está se formando como bacharel em Teatro pela Faculdade Cesgranrio/RJ.

– Desde que comecei no teatro há 10 (dez) anos atrás, nunca parei de atuar. Quando não estava em cartaz, estava estudando teatro e desenvolvendo meus trabalhos autorais. Sempre foi assim, até que veio a pandemia – disse.

De acordo com Carol, com a pandemia os artistas se viram sem condições para exercer sua profissão. Era preciso se reinventar, se tornando este período da pandemia um golpe forte para o setor cultual.

“Pela primeira vez em anos deixei a cidade do Rio de Janeiro para voltar a morar em Volta Redonda com minha família. Esse êxodo foi uma coisa muito comum entre os artistas na pandemia. E foi no meio desse processo de mudança, do rompimento abrupto da convivência com amigos e com a vida cultural de uma grande cidade que nasceu o meu projeto! Ele nasceu em meio ao isolamento social num momento em que tínhamos mais dúvidas do que certezas”, ressaltou a atriz.

O projeto “Aperte f5. Saia da Janela”, de acordo com Carol, é um curta-performance que começou na pandemia e já vai para o segundo ano de pesquisa.

Segundo a atriz, no início ela não tinha nenhum intuito de fazer um projeto artístico. O que ela mais queria era fugir do ambiente virtual.

– Eu não aguentava ter contatos com as pessoas apenas através das redes sociais e aplicativos de conversa. Além da “overdose de telas” me causar um desgaste mental muito grande, sentia que a qualidade das relações que eu desenvolvia no ambiente virtual era totalmente diferente. No geral, eram relações superficiais, fugazes e de pouca intensidade. Somado a isso, a velocidade com que as informações chegavam e o aumento do número de mortes pela Covid-19 me faziam questionar se existia espaço para a arte nesse mundo doente – lamentou.

 

O projeto é um curta-performance que começou na pandemia e já vai para o segundo ano de pesquisa – Foto: Divulgação.

Se comunicando através de cartas

A artista de Volta Redonda lembrou que foi neste momento que ela decidiu sair do ambiente virtual e se relacionar com as pessoas de uma outra forma. “Passei a escrever cartas, muitas cartas. Os conteúdos eram os mais variados. Falavam da solidão, da saúde mental no isolamento, de como a vida havia mudado, das distâncias. Falavam da falta dos abraços.

E segundo Carol, um dia ela simplesmente caminhou até os correios e as enviei. Os endereços lembrou ela, eram escolhidos ao acaso, de forma aleatória, sendo que os destinatários eram desconhecidos.

“Sentia necessidade de “gente”, de troca com as pessoas. Me sentia desconectada na dita “era da conexão”. Para a minha surpresa recebi muitas respostas. Me correspondo com essas pessoas até hoje e decidi fazer dessa experiência um projeto artístico que agora se tornou realidade através do curta-performance “Aperte f5. Saia de Janela”, com orientação da Professora Doutora Ana Brasil. Hoje colho os frutos desse trabalho intenso”, e hoje tenho um enorme prazer em participar do Festival Internacional Denise Stoklos e representar os artistas da minha cidade num festival tão importante e tão relevante para o mundo artístico” disse emocionada a artista.

Na pandemia a artista passou a escrever cartas para se comunicar com as pessoas – Foto: Divulgação.

Ficha Técnica:

Performer e idealizadora: Carol Gigante

Orientação: Ana Brasil

Data: 04/05/2022

Hora: 18h

Local de Exibição: https://fidsfestival.com/

Edição de vídeo: Carol Gigante e Juliana Barros

Designer: Rômulo Nogueira

Sinopse curta:

E se um dia você recebesse uma carta de um desconhecido? Na tentativa de conexão fora das janelas virtuais abertas no isolamento social, uma intérprete busca se reinventar enquanto criadora.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document