quarta-feira, 21 de outubro de 2020 - 07:07 h

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Bienal do Livro atrai grande público em busca de cultura em Volta Redonda

Bienal do Livro atrai grande público em busca de cultura em Volta Redonda

Matéria publicada em 6 de agosto de 2017, 19:00 horas

 


Evento, que terminou neste domingo, recebeu moradores de diversas localidades da cidade e região

Volta Redonda – Livros, cinema, circo, dança e muito lazer. Foi assim o encerramento da III edição da Bienal do Livro, promovida pelo Instituto Dagaz, que atende oito mil crianças e adolescentes em projetos sociais no Volta Grande III. O evento recebeu moradores de diversas localidades da cidade e região, que se dividiram entre as apresentações de alunos da ONG e visitas aos estantes.

Além de incentivar a leitura, boa parte do público aproveitou a Bienal para comprar livros com valores bem abaixo do praticado no mercado. Alguns, com descontos de até 60%. A secretária Fernanda Ribeiro, moradora do Aterrado, foi uma das que visitou a Bienal junto com a família. Além de incentivar os filhos – uma menina de 13 anos e um menino de oito anos – ao hábito à leitura, Fernanda também estava interessada na compra de livros para as crianças.

– Assim que soubemos da Bienal me organizei para trazer meus filhos e marido, pois nada melhor do que um passeio cultural como este – ressaltou a secretária, que visitou com a família todos os estandes da Bienal.

O esforço pelo incentivo à leitura praticado por Fernanda tem surtido bons resultados. A filha dela, Júlia Almeida, de 13 anos, disse que estava ansiosa para comprar livros. Os preferidos da menina são temas espiritualistas, onde os exemplares estavam com descontos de 60%. “Compraria de qualquer forma, mas com este desconto, posso levar mais exemplares e conhecer obras de escritores que ainda não li nada”, ressaltou Júlia.

Quem foi à III edição da Bienal do Dagaz, cujo tema foi “Sustentabilidade”, pôde ainda participar das salas de debate que aconteceram paralelas às apresentações de capoeira, dança, cinema e malabarismos circense, entre outros. O tema do debate deste domingo (6) foi “Direito Sustentável”, e reuniu pelo menos 50 pessoas que passaram a tarde discutindo sobre o assunto. A mediadora deste tema foi a escritora e doutora em sustentabilidade, Giulia Paola. Alunos do curso de Direito de universidades de Volta Redonda também participaram do debate sobre sustentabilidade.

Vendas aquecidas: Livros foram vendidos a preços populares durante a bienal (Foto: Franciele Bueno)

Vendas aquecidas: Livros foram vendidos a preços populares durante a bienal (Foto: Franciele Bueno)

Apresentações

Em meio aos livros e salas de debates, alunos das oficinas de circo passaram o dia demonstrando que as aulas têm surtido bons resultados. Os estantes de literatura dividiam espaços com crianças em pernas de pau ou em acrobacias em fitas e malabares. Para os menos ousados, foram colocadas rampas de saltos. As oficinas de grafite também atraíram as atenções do público e resultaram na pintura de um dos muros de acesso ao Instituto Dagaz, que passa a contar a partir de agora com grafites que chamam as atenções pela intensidade de cores.

A coordenadora do Instituto Dagaz, Clarisse Neto, avaliou que o evento superou as expectativas. Na opinião dela, nem mesmo o clima frio e a chuva fina do sábado, atrapalharam o movimento. Pelo contrário, na opinião de Clarisse, com o frio, as salas de debates ficaram ainda mais cheias, onde a ONG pôde trabalhar o tema “Sustentabilidade”, contando com um público bem maior do que o previsto.

– Estamos realizados com o resultado desta Bienal, onde atingimos a nossa meta e superamos nossas expectativas. Foi tudo perfeito – completou Clarisse, considerando ainda que os livros vendidos a preços populares, com valores oscilando entre R$ 5 e R$ 10, ajudaram a aquecer as vendas e divulgar a literatura. “A cada evento como este temos a certeza de que nossas crianças e pais saem bem mais atentos a importância da leitura, que pode ser um hábito prazeroso”, completou Clarisse.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Teria mais gente não fosse o aumento da passagem para R$ 3,80.

Untitled Document