sexta-feira, 20 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Concerto da Orquestra Sinfônica encerra III Festival de Música de Barra Mansa

Concerto da Orquestra Sinfônica encerra III Festival de Música de Barra Mansa

Matéria publicada em 28 de julho de 2019, 16:14 horas

 


Prefeito Rodrigo Drable afirma que a música está se tornando o grande atrativo e referencial do município

Orquestra abre evento com ‘O Guarani’, de Carlos Gomes
(Foto: Divulgação – Secom PMBM)

Barra Mansa- Após 15 dias de cultura musical, Barra Mansa encerrou no início da noite deste sábado (27), o III Festival Internacional de Música. O evento foi realizado no UBM (Centro Universitário de Barra Mansa), com apresentação da Orquestra Sinfônica do Festival e homenagens aos organizadores, representantes de entidades parceiras, aos maestros Vantoil de Souza e Daniel Guedes, e ao prefeito Rodrigo Drable.
O assessor institucional do UBM, Mário Silas, agradeceu aos músicos do Projeto e ao prefeito Rodrigo Drable, por entenderem a importância da música na vida dos barra-mansenses.
– A cultura musical iguala as pessoas, permitindo que mostrem a sua vocação para as artes. O Festival de Música é um espetáculo feito, de coração, por moradores de Barra Mansa e pessoas de outros lugares que se juntaram a nós – disse.
O presidente da Associação da Orquestra Sinfônica e secretário de Governo, Alexandre Martins, lembrou do esforço conjunto entre Poder Público e entidades parceiras para a realização do Festival. Ele também recordou que em 2017, diante das dificuldades financeiras encontradas no primeiro no do mandato, o prefeito Rodrigo Drable determinou que o Música nas Escolas não sofresse contingenciamento de verba.
– O projeto vai além de disseminar a arte e cultura pelo município. Ele também gera cerca de 200 empregos – afirmou.
Em seu discurso, o prefeito Rodrigo Drable enfatizou que ao ser questionado sobre o que Barra Mansa tem de bom, ele responde: as pessoas e a relação de simplicidade de vida e de hábitos existente entre elas.
– Foi exatamente esse detalhe que permitiu que trabalhássemos para que o Projeto Música nas Escolas rendesse esse belíssimo resultado. O sucesso tem sido tanto, que trouxe outras pessoas, que se tornaram barra-mansenses de coração, como o músico e maestro carioca Daniel Guedes. A música em nosso município tem uma grande potencial a ser explorado e o maestro Vantoil de Souza, foi um visionário ao propor e desenvolver o Projeto – disse.
Rodrigo também ressaltou que o Festival permitiu levar as músicas clássica e popular a diversos pontos da cidade, inclusive fomentando a apresentação dos artistas no comércio da cidade.
– Sem dúvida esse Festival foi um grande marco para a cidade. Agradeço aos parceiros e já imagino que este espaço aqui, do UBM, em 2020, abrigue uma praça gastronômica do Festival. A edição deste ano foi uma das melhores, mas garanto que o IV Festival Internacional de Música será melhor ainda. É a música sendo o grande atrativo e referência de Barra Mansa – falou.

Orquestra do Festival

Sob a regência do maestro Daniel Guedes, a Orquestra do III Festival Internacional de Música, fez a abertura do evento com O Guarani, de Carlos Gomes.
A ópera foi o primeiro sucesso de uma obra musical brasileira no exterior. Carlos Gomes começou sua composição entre 1867 e 1868, mas ela só foi finalizada mais tarde e teve sua estreia no dia 19 de março de 1870 de Carlos Gomes.
Na sequência, foi apresentada a sinfonia Novo Mundo, do compositor checo Antonín Dvoák. A obra foi composta em 1893 quando Dvoak estava nos Estados Unidos. As duas apresentações arrancaram aplausos do público.
A finalização do espetáculo ficou sob a responsabilidade do idealizador do Projeto Música nas Escolas e maestro, Vantoil de Souza, com execução de “A abertura solene para o ano de 1812, de Pyotr Ilyich Tchaikovsky”, que retrata a guerra franco-prussiana.
Ovacionado pela plateia, Vantoil de Souza, avaliou o crescimento do Projeto.
– O festival está cada vez melhor. Este ano, os professores foram maravilhosos e a interação com a cidade foi algo que ainda não havia acontecido. Crescemos na interação nos espaços públicos, como bares, restaurantes e nos bairros. O festival está tomando forma e este ano, graças a Deus, foi uma das melhores edições. Agora é trabalhar para as novidades que vêm na edição de 2020 – concluiu.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document