domingo, 17 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / O melhor filme do James Bond completa 50 anos

O melhor filme do James Bond completa 50 anos

Matéria publicada em 5 de março de 2015, 06:25 horas

 


E Kingsman – Serviço Secreto chega aos cinemas da região, uma versão juvenil das aventuras do James Bond

Batalha: Guerra submarina foi filmada nas Bahamas (Foto: Divulgação)

Batalha: Guerra submarina foi filmada nas Bahamas (Foto: Divulgação)

Jorge Luiz Calife

jorge.calife@diariodovale.com.br

 

Entre as estreias cinematográficas desta semana está o longa Kingsman: Serviço Secreto. Uma versão juvenil das aventuras do James Bond. Curiosamente o melhor filme da série 007 completa 50 anos este ano. É Thunderball – Ou 007 contra chantagem atômica, filmado em 1965, mas que só estreou no Brasil em janeiro de 1966. Thunderball foi o primeiro filme de agente secreto em tela panorâmica e o primeiro a fazer uso extenso de cenas submarinas, filmadas nas águas transparentes do arquipélago das Bahamas, no Caribe. Sean Connery era o James Bond e até hoje continua sendo o melhor ator que já interpretou o personagem de Ian Fleming.

Toda essa história de espiões, mulheres fatais e aventuras espetaculares começou em 1952. Fleming tinha sido jornalista e funcionário do serviço secreto britânico durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1950 ele se aposentou e comprou uma bela residência em Kingstown, na Jamaica, onde costumava passar o verão. Sem nada pra fazer Fleming resolveu passar o tempo escrevendo uma série de aventuras sobre um super espião britânico. O comandante James Bond, agente 007, que trabalha para a rainha da Inglaterra sob a supervisão direta do misterioso senhor M.

Desde o início Fleming pensou em criar histórias que pudessem ser adaptadas para o cinema ou para uma série de televisão. O primeiro livro Casino Royale foi um sucesso de vendas e James Bond continuou suas aventuras em “Viva e deixe morrer”, “Moonraker” e “Os Diamantes São Eternos”. Como Fleming imaginava a televisão logo se interessou pelo personagem. Em 1954 a rede de televisão CBS comprou os direitos de adaptação de “Casino Royale” pela soma de mil dólares. E produziu um filme de uma hora de duração com o ator Barry Nelson no papel do 007. Logo depois a mesma CBS propôs a Fleming uma série de aventuras passadas no Caribe intitulada “Comandante Jamaica”.

Fleming escreveu vários roteiros, mas o projeto fracassou. Sem desanimar ele transformou os roteiros na aventura seguinte do 007, “O Satânico Dr.No” que se passa inteiramente na Jamaica. Em 1959 Fleming uniu-se ao diretor de cinema Kevin McClory e ao roteirista Jack Witthinghan para desenvolver o roteiro do que seria o primeiro filme do 007 no cinema. McClory era apaixonado por mergulho e filmagens submarinas e sugeriu uma história passada no fundo do mar do Caribe, onde a organização terrorista Spectre esconde duas bombas nucleares roubadas de um avião britânico.

Foi quando Fleming cometeu o maior erro de sua vida. Ele transformou o roteiro em livro e publicou sem mencionar seus colaboradores. Foi processado por McClory e Whitney. A ação se arrastou durante anos nos tribunais e a história só virou filme em 1965. Mas toda a confusão resultou em um filme espetacular, filmado nos recifes de coral da ilha de Nova Providência pelo lendário cinegrafista submarino Lamar Boren.

O título “Thunderball” (A bola do trovão) é o apelido que os soldados americanos davam ao cogumelo das explosões atômicas. Bond viaja para as Bahamas em busca das ogivas nucleares perdidas e se envolve com três mulheres fatais. A agente Paula, sua assistente, a sensual Dominó Petachi (Interpretada pela ex-miss França Claudine Auger ) e a vilã Fiona Volpe. Que praticamente rouba o filme na interpretação da atriz italiana Luciana Paluzzi. Paluzzi fez teste para interpretar a mocinha, Dominó, mas os produtores perceberam que ela ficaria melhor como a malvada Fiona.

Os pôsteres do filme, aí em cima, foram criados pelo artista Robert McGinnis e retratam a batalha entre os mergulhadores da Spectre (Todos malvados e vestidos de preto) e os Seal da Marinha americana (De roupa vermelha). E a cena de amor entre 007 e Dominó a 10 metros de profundidade.

“007 Contra Chantagem Atômica” pode ser visto em DVD ou blu-ray. Prefira o blu-ray para se sentir no fundo do mar.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document