terça-feira, 30 de novembro de 2021 - 00:53 h

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / O último James Bond do Daniel Craig chega aos cinemas

O último James Bond do Daniel Craig chega aos cinemas

Matéria publicada em 29 de setembro de 2021, 15:58 horas

 


Filme estreia no Brasil uma semana antes dos Estados Unidos

Sem tempo: Cartaz ainda tem a data da estreia abortada

O novo filme do agente 007, “Sem tempo para morrer” chega aos cinemas com mais de um ano de atraso. A produção, dirigida por um tal de Cary Joji Fukunaga ficou pronta no início do ano passado e tinha estreia prevista para abril de 2021. Mas nem o agente 007 estava pronto para encarar a pandemia do coronavírus. E o lançamento do filme nos cinemas ficou para 30 de setembro deste ano. Isso aqui no Brasil porque nos Estados Unidos o filme só estreia na primeira semana de outubro. Com 2 horas e 43 minutos de duração é o filme mais longo da franquia e o último com o ator Daniel Craig.

Pouca gente sabe, mas o primeiro ator a interpretar o espião do Ian Fleming não foi o famoso Sean Connery. O primeiro Bond foi o esquecido Barry Nelson, que interpretou o personagem num episódio da série de televisão Climax, em 1954. O filme pode ser visto no Youtube e é uma condensação do primeiro romance de Ian Fleming, Cassino Royale. Foi feito numa época em que não existia videotape e os programas de televisão eram transmitidos ao vivo. Felizmente alguém se lembrou de filmar toda a produção, que consegue captar os elementos essenciais da série: O herói sedutor, o jogo no cassino e o vilão sádico.

Depois desse começo obscuro James Bond chegou aos cinemas em 1961no clássico “O satânico doutor No”. Em cores, com Sean Connery e a estrela Ursula Andress e filmagens em locação nas praias da Jamaica. Tudo que a primeira produção, da tv, não tinha. Foi um sucesso estrondoso e virou uma série, interpretada por vários atores ao longo dos anos. O britânico Roger Moore e o escocês Sean Connery foram os atores que mais encarnaram o personagem, em sete filmes nos anos de 1960, 1970 e 1980. O 007 atual, Daniel Craig fez  cinco filmes. O ator garante que “Sem empo para morrer” será seu último 007, porque se considera velho demais para o papel. Algo que também provocou a aposentadoria do Sean Connery e do Roger Moore.

Nascido em 1968, Daniel Craig esta com 54 anos e reclama das cenas em que seu personagem aparece sem camisa nos filmes. Durante as filmagens de “007 contra Spectre”, o filme anterior, Craig disse que precisou malhar durante semanas para ficar em forma e que não pretendia passar por isso de novo. Mas o fato é que ele esta aí, fazendo de novo a versão moderna do espião irresistível.

A trama de “Sem tempo para morrer” começa com James Bond aposentado, tentando viver uma vida normal na Jamaica. Que foi o cenário do primeiro filme do Sean Connery em 1961. Mas seu passado volta a assombra-lo quando ele é procurado por seu velho amigo, o agente da CIA Felix Leiter. Leiter quer que Bond ajude a resgatar um cientista sequestrado e a nova aventura começa. Onde Bond vai encontrar uma mulher fatal, interpretada pela Ana de Armas (Aquela atriz do Blade Runner 2049), vai cruzar de novo com a Bondgirl do filme anterior, a francesa Lea Seydoux, e enfrentar um vilão diabólico com uma nova tecnologia. E com as cenas de ação de sempre envolvendo motocicletas, carros velozes e aviões. As cenas de ação de “Sem tempo para morrer” foram filmadas no formato Imax para exibição nos telões desse tipo de cinema.

Como despedida do Daniel Craig até que o filme não decepciona. Mas é preciso reconhecer que o James Bond de hoje esta bem distante do personagem criado por Ian Fleming. O Bond de Ian Fleming era o máximo da fantasia masculina: O homem que seduz todas as mulheres, pratica todos os esportes, bebe e nunca fica de ressaca, vence todos os inimigos e pilota todo o tipo de veículos. Com Daniel Craig James Bond é uma figura torturada, buscando vingança, abatido e amargurado. Foi-se o humor e o carisma dos tempos do Sean Connery ou do Roger Moore. Resta ver que rumo a série vai tomar daqui pra frente.

A música, sempre importante ficou a cargo do experiente Hans Zimmer, com a canção título interpretada por Billie Eilish.

 

Jorge Luiz Calife

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document