segunda-feira, 17 de maio de 2021 - 18:38 h

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Pedagoga dá dicas de leitura por faixa etária e fala sobre a importância de incentivar o hábito às crianças

Pedagoga dá dicas de leitura por faixa etária e fala sobre a importância de incentivar o hábito às crianças

Matéria publicada em 16 de abril de 2021, 15:19 horas

 


Volta Redonda – No próximo domingo, 18 de abril, é celebrado o Dia Nacional do Livro Infantil, instituído em homenagem a um dos mais importantes nomes da literatura brasileira, o escritor brasileiro Monteiro Lobato, em menção à data de seu nascimento.

A pedagoga e coordenadora do curso de Pedagogia da Estácio Resende, Carollini Graciani, destaca que a data é utilizada não somente como forma de homenagear a contribuição de Monteiro Lobato para a literatura infantil e exaltar outros autores nacionais importantes, mas também para disseminar a importância da leitura no desenvolvimento das crianças.

– Temos uma lista de autores nacionais que fazem parte do cotidiano escolar das crianças, como Ana Maria Machado, com “Menina bonita do laço de fita”; Maurício de Sousa, com a Turma da Mônica; Monteiro Lobato, com o “Sítio do Pica Pau Amarelo”; Ziraldo, com “O menino maluquinho”; e Ruth Rocha, com uma lista extensa de histórias que atendem da Educação Infantil aos anos iniciais do Ensino Fundamental.

A pedagoga cita ainda alguns clássicos infantis nacionais como “Ou isto ou aquilo”, de Cecília Meireles; “Chapeuzinho amarelo”, de Chico Buarque; e “Meu Pé de Laranja Lima”, de José Mauro de Vasconcelos. Ela ressalta que a escolha dos livros para cada faixa etária vai de acordo com a fase de desenvolvimento dos pequenos.

– Para crianças de até 3 anos são indicados ‘livros-brinquedo’, ‘livros de tecido’, ‘livros de banho’, que estimulem a parte sensorial da criança, com texturas, sons e cores. Bebês param para ouvir histórias contadas com entonação boa e as imagens vão chamar sua atenção. É o primeiro contato com o objeto livro, é o momento de manuseio. Para crianças de 4 a 6 anos são aconselhados livros com frases curtas, muitas imagens e com letras em caixa alta, para facilitar as primeiras tentativas de reconhecer as letras e palavras. Aqui valem também os gibis, que são um importante recurso para a alfabetização.

Carollini explica ainda, que aos 7 e 8 anos de idade, o ideal são livros com frases mais longas e letras variadas, livros de poesias, contos e fábulas, que vão estimular a imaginação e desenvolver temas sobre comportamento, respeito, bom convívio e conscientização. São as famosas histórias com uma moral no final. Com 9 e 10 anos de idade, a criança já está apta a livros que tenham volumes para sequência de leitura, com menos imagem e mais texto, com assuntos que os iniciem ao mundo da pré-adolescência, diz a pedagoga.

– É importante destacar que o livro infantil não é de difícil acesso. Tem livros com preços que cabem no bolso e projetos educativos que enviam coletâneas gratuitamente para todo o Brasil.

Como incentivar o hábito da leitura a uma criança

Para Carollini, habituar uma criança ao gosto pela leitura começa dentro de casa, por meio do exemplo dos pais, mostrando aos filhos que o livro é um presente.

– O melhor momento de interação dos pais com os filhos é reservar uma história para ler antes de dormir. Não só contar a história, mas fazer questionamentos à criança, como ‘Qual o título da história?’, ‘Quem é o autor?’, ‘Quem são os personagens?’, ‘O que entendeu sobre a história?’.

A pedagoga destaca ainda que o hábito da leitura faz com que as crianças descubram um mundo imaginário, estimulando sua criatividade.

– Ler é fundamental para que uma criança desenvolva sua habilidade linguística, amplie seu vocabulário e suas formas de comunicação, além de ajudá-la a conhecer as próprias emoções durante todos os seus processos de desenvolvimento.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    E a leitura mais adequada para os marmanjos preguiçosos?

    Parabéns ao DV por estar sempre estimulando a educação e a leitura! O jornal e jornalistas precisam contribuir com a evolução de seus leitores, afinal eles são seus clientes e público alvo, a razão do negócio jornalístico.

    Agora é necessário resolver essa merda de atualização do site a cada leitura de três frases. É muito desestimulante, além de irritante. Assim ninguém virá aqui.

Untitled Document