;
sábado, 5 de dezembro de 2020 - 09:12 h

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Primeira exposição fotográfica remota em 3D do Sul do Estado será realizada pela Coordenação de Pesquisa do UBM

Primeira exposição fotográfica remota em 3D do Sul do Estado será realizada pela Coordenação de Pesquisa do UBM

Matéria publicada em 26 de outubro de 2020, 14:32 horas

 


Mostra remota ‘Ressignificando o Interior’, da artista visual Bia Peace, resgata autoestima de mulheres de 6 estados

Sul Fluminense – A exposição fotográfica “Ressignificando o Interior” é um projeto da artista visual Bia Peace, que nasceu nas reuniões do FACILITA AI, um programa da Coordenação de Pesquisa do Centro Universitário de Barra Mansa que visa atender a todos os acadêmicos dos diferentes  cursos na discussão e na escrita de seus trabalhos científicos, sob a coordenação da professora Dra. Rosa Maria Maia Gouvêa Esteves e da professora Doutoranda Ana Maria Dinardi. O programa tem como objetivo incentivar a pesquisa entre os alunos e ajudar quem já possui algum projeto, orientando e facilitando o desenvolvimento do trabalho.

O trabalho da artista e graduante de psicologia Bia Peace, apresenta mais de 30 mulheres de diversas idades e de 6 estados do Brasil, e tem como proposta a fotografia como remédio contra depressão, solidão, dismorfia corporal e outros males que afligem o corpo e alma de muita gente. Essa é a principal aposta dos envolvidos no projeto, além de promover o empoderamento feminino e o resgate da autoestima da mulher, ressignificando sentimentos e padrões impostos pela mídia.

De acordo com a fotografa, o nome da exposição é um resumo do processo interior que cada pessoa passa ao realizar as fotos.

– Acreditamos que todas as mulheres precisam se ressignificar em algum momento da vida. A maioria (das fotografadas) se descobre, volta a sonhar, sente a vida de outra forma, pois com o passar dos anos, homens e mulheres vão ficando cansados. A vida as vezes fica difícil, e muitos vão deixando de sonhar, de se cuidar, de se amar, vai vivendo no automático, se entregando a carências e ansiedades. Então, essa ideia tem como principal objetivo, avivar vidas, empoderar mulheres de forma artística – detalha.

A exposição é um projeto inovador, pois é realizado de modo remoto, com tecnologias avançadas de arquitetura e urbanismo e com passeios virtuais por toda a exposição feitos em 3D, algo ainda não realizado na região.

A professora Liliana Suemi Nakakogue, da Universidade Uniandrade de Curitiba juntamente com duas alunas do 8 período do curso de Arquitetura e Urbanismo (Paula Dittrich de Oliveira e Alanna Cassiane de Lima) já estão trabalhando na elaboração da maquete digital que servirá para o tour virtual pela vernissage da aluna da UBM e contam também com o apoio da coordenadora do curso de Arquitetura Beatriz Lemos. A parceria entre as Universidades, permitirá que a exposição seja realizada com o que há de mais inovador, possibilitando aos visitantes uma experiência única, uma vez que devido a pandemia não podemos participar de eventos presenciais. Todos os visitantes poderão caminhar virtualmente pelos labirintos e ambientes em 3D muito bem decorados e cheios de significados.

Arquitetura, psicologia, arte, ciência e pesquisa cientifica reunidas em uma só vernissage que será lançada neste dia 26 de outubro as 16h com uma roda de conversa virtual, onde todos os envolvidos compartilharão o making of e detalhes de como foi promover algo tão inovador e desafiador.

 

Serviço

 

Exposição Ressignificando o Interior

De 26 de outubro até 15 novembro

Classificação livre

www.ubm.br

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document