terça-feira, 15 de junho de 2021 - 10:48 h

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Scarlett Johansson, a primeira dama dos ‘Vingadores’

Scarlett Johansson, a primeira dama dos ‘Vingadores’

Matéria publicada em 11 de maio de 2015, 06:19 horas

 


Atriz filma longa baseado no anime ‘Ghost in the Shell’; filme de ficção científica é sobre androides caçados por policiais em uma cidade do futuro 

Belíssima: Scarlett Johansson interpreta Viúva Negra, pequena, atraente e fatal (Foto: Divulgação)

Belíssima: Scarlett Johansson interpreta Viúva Negra, pequena, atraente e fatal (Foto: Divulgação)

Quando “Os Vingadores: Era de Ultron” chegou aos cinemas o elenco compareceu em massa aos talk shows da TV Americana. No Jimmy Kimmel show foi preciso colocar um sofá mais largo para acomodar atores altos e fortes como o Chris Evans (Capitão América) e o Chris Hemsworth (Thor). E sentada no meio desses homens estava uma loirinha esguia e animada. A única mulher no time dos Vingadores. Se vocês pensaram em Scarlett Johansson acertaram. É dela o papel da Viúva Negra, ao qual ela retorna no próximo filme do homem do escudo: “Capitão América – Guerra Civil”.

Scarlett Johansson

Com mais de vinte anos de carreira no cinema, Johansson está no topo da fama. Ela ganha dois milhões de dólares por ano só para aparecer nos anúncios da L’Oréal. E ainda faz uma média de dois filmes por ano. Mas o começo não foi fácil. A loirinha de Nova Iorque começou fazendo pequenos papéis em filmes B, como o terror “Malditas Aranhas” de 2002. A fama só começou em 2005 quando o bombástico Michael Bay a colocou como estrela do filme de ficção científica “A Ilha” onde ela contracena com o Ewan McGregor. Não foi uma experiência fácil, até hoje a atriz se lembra do corpo dolorido pelas cenas de ação do filme. Mas chamou a atenção dos produtores para a atriz de busto farto, corpo curvilíneo e um metro e sessenta de altura.

Em seu perfil no Internet Movie Database a pequena Johansson lembra do choque que teve quando se viu ampliada em um enorme outdoor em Los Angeles. “Eu dirigia meu carro em Los Angeles, olhei para cima e vi essa foto imensa em um anúncio. Gritei e pisei no freio. Não podia acreditar. Era estranho ver o meu peito do tamanho de um brontossauro. Meus seios estavam gigantescos. Eu não conseguia sair da frente daquele decote”.

Comparada a Marilyn Monroe

Devido ao busto, os cabelos loiros e o corpo curvilíneo a atriz tem sido comparada a diva Marilyn Monroe pelos mais entusiasmados. Monroe era seis centímetros mais alta e não era loira natural como Johansson, tinha cabelos castanhos que tingia regularmente. “Meu cabelo natural é um loiro encardido. Já foi platinado e cor de trigo. Meu pai é dinamarquês, o cabelo dele é um loiro natural. Peguei uma mecha e passei a tingir o meu cabelo da cor do dele.

Para fazer a Viúva Negra, a espiã de collant preto da Marvel tinge o cabelo de ruivo avermelhado, como a personagem da história. Em outros filmes, como “Lucy” do Luc Besson ela retorna a tonalidade normal. Papéis em filmes de ação como “A Ilha” e “Capitão América” fizeram com que a atriz passasse a ser procurada para atuar nesse tipo de filme.

‘Ghost in the Shell’

Atualmente Johansson se prepara para estrelar “Ghost in the Shell” filme de ficção científica baseado no anime do japonês Masamune Shirow. É sobre androides caçados por policiais em uma cidade do futuro. Lembra muito “Blade Runner” do Harrison Ford, mas é um pouco mais filosófico. O papel da heroína androide tinha sido oferecido a atriz Margot Robbie, mas ela recusou e chamaram a Scarlett Johansson.

Vida real

Na vida pessoal ela chegou a ser cortejada pelo Tom Cruise, na época em que filmava “Match Point” com o Woody Allen. Cruise tentou leva-la para a seita da Cientologia, da qual é adepto, o que fez a moça correr na direção oposta. Durante alguns anos ela foi casada com o Ryan Reynolds, aquele ator que fez o Lanterna Verde no cinema, mas os dois já se separaram. Uma das características da atriz é a voz rouca, o que já lhe deu alguns problemas nos sets de filmagem.

“Eu já me cansei de ouvir diretores de elenco perguntarem se estou com a garganta inflamada. Prefiro as pessoas que dizem que minha voz é distinta, única, eu gosto muito delas”. Seja como for a voz dela fez com que fosse escalada para fazer a cobra Kaa em “O Livro da Selva” do Rudyard Kipling. É a mesma história que a Disney produziu como “Mogli, o Menino Lobo”.

Jorge Luiz Calife/ [email protected]


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document