sexta-feira, 15 de outubro de 2021 - 21:35 h

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Aliviando a pressão

Aliviando a pressão

Matéria publicada em 7 de setembro de 2015, 20:49 horas

 


A CSN informou aos investidores da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), na semana passada, que alongou o prazo de parte de sua divida com a Caixa Econômica Federal.

***

Isso quer dizer que a empresa pegou parcelas de sua dívida e negociou com o credor o adiamento do vencimento.

***

Nesse caso, R$ 2,57 bilhões que venceriam no ano que vem e em 2017 passaram para um período de 2018 a 2022.

***

Com isso, além de começar a pagar depois, a Companhia vai pagar parcelas menores, já que a dívida que venceria em dois anos vai vencer em quatro.

***

A pressão do custo da dívida sobre a capacidade de geração de caixa da CSN fica menor, com esse acordo.

 

Mudou

A CSN e a Usiminas podem sair do índice MLCX, que reúne as ações das empresas que, juntas, somam 85% do valor de mercado da Bolsa de Valores de São Paulo. As duas siderúrgicas devem passar para o grupo restante, que reúne as empresas cujo valor de mercado representa os 15% restantes. A informação é da Bovespa, e reflete o resultado da queda das cotações dos papéis das duas empresas.

 

Visita I

O prefeito de Barra Mansa, Jonas Marins (PC do B), recebeu em seu gabinete na tarde da sexta-feira, (4), o vereador Vicente de Paula Ferreira Júnior, o Pissula (PT). Na ocasião, o parlamentar informou ao prefeito que a Câmara Municipal aprovou requerimento de sua autoria solicitando a desapropriação do campo do bairro Vista Alegre, localizado na Rua José Jorge dos Reis Meireles.

 

Visita II

“Esse campo está mal cuidado e é um anseio da população que recursos sejam destinados ao local. Com a desapropriação, que está em estudo e fase de levantamento documental, a prefeitura poderá destinar verbas e melhorar as condições do campo. Não mediremos esforços para dar andamento ao processo”, explicou o prefeito.

 

Visita III

Pissula afirmou que, com a desapropriação do campo, vai buscar também recursos estaduais e federais para melhorar o local. “O requerimento foi aprovado numa sessão itinerante da Câmara e elogiado pela população”, afirmou o vereador.

 

Investimento

O Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social (Fehis), criado em 2006, pode passar a investir também em ações voltadas para a promoção da saúde da população. O projeto de lei de autoria do Executivo, que será votado pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) nesta terça-feira (08/), em discussão única, busca melhorar as condições do entorno das habitações, com investimentos em saneamento, infraestrutura e urbanização, como estratégia de promoção da saúde.

Investimento II

Na justificativa do texto, o governador Luiz Fernando Pezão explica que “a habitação traduz-se como um dos primeiros e mais vulneráveis espaços de promoção da saúde, pois a ocorrência de muitas doenças – a exemplo das infecto-parasitárias, respiratórias e da tuberculose, decorre da precariedade habitacional, da deterioração da infraestrutura na moradia e no entorno, assim como da ausência de saneamento básico”.

 

Sem gluten, com selo

Os alimentos sem glúten vendidos no Estado do Rio podem passar a ser identificados por um selo padronizado. É o que determina o projeto de do deputado Átila Nunes (PSL) que a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) vota nesta terça-feira (08), em segunda discussão. Pelo texto, o certificado emitido pelo Governo do Estado terá validade de um ano, e a fiscalização deverá ser feita pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem/RJ).

 

Regulamenta

Cães e gatos só poderão ser sacrificados pelo poder público quando for constatada doença grave infectocontagiosa, incurável, ou que possa ser transmitida para humanos (zoonoses). É o que determina o projeto de lei do deputado Geraldo Pudim (PR), que a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) vota nesta terça-feira (08), em primeira discussão.

 

Rebaixado, com orgulho I

Dez veículos da equipe de carros modificados Vivendo no Baixo 272° participaram do desfile de Sete de Setembro em Volta Redonda. O objetivo dos membros da equipe foi diminuir o preconceito e mostrar que a paixão por carros “rebaixados” é um hobby tratado de forma responsável. Segundo os integrantes, uma grande parte da população generaliza a cultura e julga que todos os envolvidos são arruaceiros.

 

Rebaixado, com orgulho II

De acordo com o presidente da equipe, Ulysses Acciarito, a intenção dos integrantes é buscar frente à sociedade o respeito e apoio semelhante ao oferecido aos adeptos de outras culturas, como a dos carros antigos.

Questionado sobre as ações de responsabilidade social realizadas pela equipe, Ulysses explicou que a dedicação a estas atividades é prioridade para os integrantes da Vivendo no Baixo.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Quando li “Rebaixado, com orgulho I”, pensei que seria alguma notícia sobre o Vasco da Gama!

Untitled Document