>
quarta-feira, 10 de agosto de 2022 - 17:43 h

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Angra dos Reis treina funcionalismo para atender no serviço social

Angra dos Reis treina funcionalismo para atender no serviço social

Matéria publicada em 4 de julho de 2022, 18:12 horas

 


A Prefeitura de Angra dos Reis realiza na quarta-feira, dia 6, mais um treinamento de reciclagem direcionado aos funcionários que atuam na linha de frente dos atendimentos em serviço social.

***

A capacitação é realizada pela Secretaria de Administração, por meio da Escola de Gestão Pública, juntamente com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, por meio da Secretaria Executiva de Assistência Social.

***

O objetivo é oferecer aos funcionários qualificação para que eles possam prestar um atendimento cada vez mais humanizado e acolhedor à população que precisa dos serviços de assistência social.

***

A primeira capacitação foi realizada em setembro do ano passado.

 

Público-alvo

A reciclagem profissional tornou-se então uma meta permanente, direcionada a todos os funcionários que atuam no atendimento direto ao público, como recepcionistas, estagiários, agentes de abordagem e outros profissionais dos equipamentos públicos de serviço social, dentre eles, os Centros de Referências de Assistência Social (Cras).

 

Treinamento

O treinamento de reciclagem será realizado no Centro de Estudos Ambientais (CEA), na Praia da Chácara, e os participantes estarão divididos nos turnos da manhã e da tarde. A capacitação terá como ministrante a administradora Daiane Lemos, que possui especialização em gestão empresarial e formação profissional em treinamento de lideranças e coaching de carreira, com atuações nas áreas de gestão de negócios, gestão de pessoas, desenvolvimento de equipes e planejamento de metas.

 

Parceria

Por meio de duas indicações à Prefeitura, a vereadora Márcia Lima (Republicanos) pediu a criação de uma parceria entre o Município e a Universidade Estácio de Sá com o intuito de dar mais qualidade de vida à população. A ideia é que os estudantes dos cursos de Psicologia, Nutrição e Educação Física participem de projetos nessas áreas junto às escolas de rede municipal e à Secretaria de Esporte e Lazer.

 

Psicologia

No que diz respeito à Psicologia, a parlamentar conta que a Estácio de Sá já oferece atendimento gratuito à população e tem interesse em ampliar esse tipo de serviço. “Um apoio na área de Psicologia seria especialmente útil nas escolas da rede municipal; há uma grande demanda entre os alunos, professores e funcionários”, avalia.

 

Nutrição e Educação Física

Já iniciativas nas áreas da Nutrição e da Educação Física, segundo Márcia, reforçariam as ações da Secretaria de Esporte e Lazer. “Aulas de zumba, de yoga, academias da terceira idade e outras atividades do tipo organizadas pela Prefeitura contam com grande aceitação do público. A parceria com a universidade ajudaria a ampliar essas ações, contribuindo ainda mais para a saúde física e mental da população”, comenta.

 

Tráfico nos trens

O Grupamento de Polícia Ferroviário (GPFer) realizou 54 operações de combate ao tráfico de drogas nas estações dos trens da Supervia, desde maio. A informação foi passada pelo comandante da unidade especializada da Polícia Militar do Estado (PMERJ), major Carlos Henrique Cosenza, em audiência realizada, nesta segunda-feira (04/07), pela CPI dos Trens, criada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) para fiscalizar os serviços prestadas pela concessionária.

 

Operações

As operações força-tarefa “Estação Segura” mobilizaram um contingente de 1.920 policiais e já resultaram em prisões e apreensões. A estação Jacarezinho, na Zona Norte da capital, conta com ocupação permanente pela PMERJ.

 

Prisões

“Após a primeira reunião junto à CPI, que apontou que 12 estações estavam tomadas pelo narcotráfico, iniciamos as operações, no mês de maio, que permitiram à concessionária realizar reparos, além de realizar 20 prisões, apreender dois fuzis, quatro pistolas, duas granadas, além de drogas, 207 metros de cabos furtados, veículos e máquinas de caça-níquel”, contou.

 

Policiamento

Relator da CPI, o deputado Waldeck Carneiro (PSB) questionou se não seria mais efetivo ter policiamento permanente nas estações onde já foi constatada a ação do tráfico. O comandante do Policiamento Especializado da PMERJ, coronel André Henrique Silva, explicou que uma ocupação permanente poderia afetar o serviço de trens e a segurança da população local. “A permanência por 24 horas requer outro cenário. As operações irão continuar. Estas ações são muito bem pensadas, já que não podem atrapalhar o fluxo dos trens e têm que ser feitas com segurança. Temos uma programação semanal de operações”, afirmou.

 

Inteligência

O deputado Luiz Paulo (PSD) destacou que é necessário um serviço de inteligência para coibir o tráfico nas estações: “As operações são válidas, já que permitem que a SuperVia conserte o que há de irregular, como fechar os muros abertos. Mas o crime organizado já alarga sua atuação para dentro do patrimônio público, nas estações. Tem que dar prejuízo forte ao bolso deles, inteligência é a questão central”, disse.

 

Cabos

Representando a Polícia Civil, o titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Luiz Henrique Marques, destacou o trabalho que vem sendo feito pela corporação no combate à compra de cabos furtados. “O trabalho deve ser focado no comprador, reprimir o furto é muito mais difícil. A Polícia Civil, levando em consideração a mancha criminal, realizou operações, nossa força-tarefa já efetuou 33 prisões, entre abril e junho deste ano, por crimes cometidos contra a SuperVia”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document