domingo, 24 de outubro de 2021 - 06:45 h

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Balanço adiado

Balanço adiado

Matéria publicada em 31 de março de 2017, 21:14 horas

 


 

A CSN informou esta semana que não enviaria o balanço de 2016 para a CVM no prazo previsto. *** Motivo: a empresa precisa rever o tratamento contábil dado à operação de combinação de negócios de suas atividades de mineração e logística, realizada pela Companhia em 30 de novembro de 2015. ***  Esse negócio – uma aliança com um consórcio asiático que criou a Congonhas Minérios - gerou um ganho de R$ 2,9 bilhões no resultado da empresa em 2015. ***  A revisão vai impactar os saldos com que a Companhia iniciou o ano de 2016, alterando o resultado obtido no ano passado.

A CSN informou esta semana que não enviaria o balanço de 2016 para a CVM no prazo previsto.
***
Motivo: a empresa precisa rever o tratamento contábil dado à operação de combinação de negócios de suas atividades de mineração e logística, realizada pela Companhia em 30 de novembro de 2015.
***
Esse negócio – uma aliança com um consórcio asiático que criou a Congonhas Minérios – gerou um ganho de R$ 2,9 bilhões no resultado da empresa em 2015.
***
A revisão vai impactar os saldos com que a Companhia iniciou o ano de 2016, alterando o resultado obtido no ano passado.

Operacional

Alguns dados operacionais foram revelados pela empresa. Entre eles, um que mostra que o volume de vendas de aço caiu 3% em 2016, na comparação com o ano anterior. Mas a receita aumentou 6%.

 

Desenvolvimento

Volta Redonda sediou, na manhã desta sexta-feira, dia 31, o quarto encontro do Fórum Regional de Desenvolvimento Econômico do Sul Fluminense, realizado na sede da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), no bairro Laranjal. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Volta Redonda, Joselito Magalhães, explicou que o fórum tem característica itinerante e acontece nos municípios da Região Sul Fluminense.

 

Parque I

O tema principal da reunião foi o projeto do Parque Tecnológico do Sul Fluminense, que será um empreendimento a ser instalado na Rodovia Presidente Dutra, no município de Barra Mansa, com o intuito de promover o desenvolvimento regional sustentável e propiciar um ambiente de inovação no Sul Fluminense. O membro do Conselho Regional da Firjan, Péricles Aguiar, afirmou que a federação está dando total apoio ao projeto.

 

Parque II

O Parque Tecnológico do Sul Fluminense é um projeto em implantação apoiado pela Prefeitura de Volta Redonda e pelo Sistema Fluminense de Parques Tecnológicos (Flutec), além de outras entidades e municípios da região. Uma iniciativa da Associação de Pesquisadores em prol da Tecnologia e Inovação do Sul Fluminense, organização social (OS) de direito privado e sem fins lucrativos.

 

Fale com o prefeito

A segunda edição do projeto ‘Fale com o Prefeito’ aconteceu na manhã desta sexta-feira, dia 31, no Palácio 17 de Julho, no Aterrado. O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, atendeu dez moradores de Volta Redonda para falar sobre qualquer tema: reclamações, sugestões e elogios.

 

Eleito

Em reunião realizada recentemente em Barra do Piraí, o professor do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) e ex-prefeito de Pinheiral, José Arimathéa Oliveira, foi eleito presidente do Comitê de Bacias do Médio Paraíba do Sul para o biênio 2017-2019. A reunião aconteceu em um momento em que o comitê lança em comemoração ao Dia Mundial da Água, o atlas das bacias hidrográficas da região do Médio Paraíba.

 

Importância

De acordo com o novo presidente do comitê, esse trabalho é de extrema importância. “Com essa iniciativa esperamos contribuir com os estudiosos, pesquisadores, professores e a comunidade em geral para que possam conhecer ainda mais a região em que moram e as áreas de nascentes que formam os nossos principais rios. O material vai contribuir para que possamos também criar políticas públicas que nos levem a conservação das áreas”, declarou.

 

Base

Arimathéa ainda informou que o atlas será essencial para se construir a base de uma nova sociedade mais comprometida com a vida. “Esse trabalho é uma iniciativa simples, mas única na nossa região, que visa delimitar as principais microbacias hidrográficas que compõem a Região Hidrográfica do Médio Paraíba do Sul e envolvem 19 municípios. Certamente será importante para embasar trabalhos escolares, universitários, de pesquisas, de planejamento urbano e ambiental em empresas, ONGs, prefeituras e outros órgãos”, disse.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document