domingo, 21 de julho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / De casa nova

De casa nova

Matéria publicada em 21 de junho de 2019, 22:00 horas

 


O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, trocou o MDB pelo PSC do governador do Estado do Rio, Wilson Witzel.

***

A mudança já teria ocorrido há algum tempo, mas estaria para ser anunciada oficialmente durante visita do governador a Barra Mansa.

***

Na mesma ocasião, Witzel deve anunciar oficialmente o Colégio Militar de Barra Mansa.

 

 

Pondo a boca no trombone

A funcionária pública municipal Cida Prado usou a Tribuna Livre da Câmara Municipal de Volta Redonda, no último dia 18, para falar sobre a novela em que se transformou a eleição sindical. Ela denunciou que, já por duas vezes, a eleição foi adiada por manobras que ela atribui à comissão eleitoral indicada pelo atual presidente, Ataíde de Oliveira. Cida mostrou vídeos que, segundo ela, mostram as irregularidades cometidas por membros da comissão eleitoral durante a eleição, como a retirada de listas de votação.Ela também lembrou que a comissão eleitoral descumpriu diversa recomendações do Ministério Público do Trabalho e pediu aos vereadores que acompanhem o caso de perto.

 

Na Justiça

O caso da eleição, segundo Cida, deve ir parar na Justiça do Trabalho. Segundo ela, o Ministério Público do Trabalho deve fazer uma audiência no próximo dia 5 para tratar do caso. A tendência, de acordo com ela, seria o órgão pedir o afastamento da atual diretoria e a formação de uma nova comissão eleitoral.

 

Gasolina no plenário

Mesmo depois  da Petrobras divulgar uma redução de 3% no valor da gasolina nas refinarias, os consumidores do Rio de Janeiro, principalmente, das cidades do Sul Fluminense, não perceberam diminuição nos preços nos postos de gasolina. Para ter respostas e obrigar os postos a praticarem um valor mais justo, o deputado federal Antonio Furtado solicitou ao Procon e a Agência Nacional de Petróleo que fiscalizem os postos de combustíveis no estado.

 

Bomba sem redução

“Embora a Petrobras tenha notificado que houve redução dos valores na refinaria, o que a gente percebe, especialmente, no Rio de Janeiro é que os postos não estão dando o devido desconto já que os preços não foram reduzidos na bomba. Por isso protocolei dois ofícios, um para o Procon e outro para a Agência Nacional de Petróleo para obrigar os postos a praticarem um preço justo”, declarou o deputado.

 

Diferença

A situação dos altos valores da gasolina no estado do Rio de Janeiro fica ainda mais alarmante após a observação, feita pelo parlamentar, de que a diferença de preços chega a R$1,00 por litro do combustível se comparado ao que é cobrado em Brasília, com os valores das cidades do Rio de Janeiro.

 

Alerta

“A população não aguenta mais gastar todo o seu dinheiro com gasolina. Em um dos postos em Brasília em que estive, a gasolina custa R$4,09 o litro. Em Volta Redonda já vi posto cobrando R$5,15. Não podemos aceitar esse tipo de exploração ao consumidor “, alertou o deputado federal Antonio Furtado.

 

Comperj

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), que investiga a crise fiscal fluminense vai discutir os novos planos para o funcionamento do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). A reunião acontecerá nesta segunda-feira (24/06), às 14h, na sala 311 do Palácio Tiradentes.

 

Impacto

Para o presidente da comissão, deputado Luiz Paulo (PSDB), é importante apurar o impacto econômico, fiscal e social que o Comperj terá no estado. “O Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro estava dimensionado, na sua primeira etapa, para ser uma refinaria. Agora foi noticiado que será uma termoelétrica. O estado do Rio de Janeiro tem o direito de saber, de fato, que projeto está previsto para o Comperj. Afinal, a iniciativa se arrasta há anos com graves prejuízos para o Estado. Principalmente para os municípios próximos ao empreendimento como Itaboraí, São Gonçalo, Rio Bonito, Cachoeira de Macacu e Maricá”, avaliou.

 

Renda

O candidato com renda familiar inferior a dez salários mínimos poderá ter a preferência em caso de empate no processo seletivo de pós-graduação, mestrado e doutorado, cursos de especialização e aperfeiçoamento das universidades estaduais do Rio. A decisão ficará a cargo das instituições de ensino, de modo a respeitar a autonomia universitária. A medida também poderá ser estendida aos cursos de graduação dessas instituições. A determinação é do projeto de lei 1.106/15, de autoria do deputado André Ceciliano (PT), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, em segunda discussão nesta quarta-feira (19/06). O projeto segue para o Governador, Wilson Witzel, que terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document