domingo, 9 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Desabafando

Desabafando

Matéria publicada em 25 de junho de 2020, 20:48 horas

 


Nesta quinta-feira (25), o prefeito Rodrigo Drable usou a transmissão ao vivo por redes sociais para desabafar contra críticas que ele considera infundadas.

***

Uma das reclamações foi por causa de uma pessoa  que o criticou por estar sentado a uma mesa, tomando café com um grupo, sem máscara.

***

“Ainda não aprendi a tomar café com máscara”, ironizou o prefeito.

*** 

Ele também afirmou que muita gente fica escondida “debaixo da cama” com o celular, digitando críticas a ele e sua equipe, que estão nas ruas, tentando ajudar as pessoas.

Abrindo o flanco

O prefeito mencionou o fato de uma fotografia que ele publicou em uma obra, sem que estivesse usando equipamento de proteção individual. E foi aí que ele abriu o flanco para os ataques dos engraçadinhos de plantão.

Subiu no telhado

O prefeito subiu no telhado de uma escola para verificar se haviam sido retirados entulhos depois de uma reforma no telhado. E aí entram os engraçadinhos de plantão dizendo que o prefeito “subiu no telhado”, expressão que deriva de uma velha piada…

Mapeamento cultural

A Prefeitura de Pinheiral, em parceria com o Conselho Municipal de Política Cultural de Pinheiral, está atualizando os dados culturais do município, mapeando agentes culturais, espaços e coletivos da cidade. Para isso, com o objetivo de orientar a implementação e gestão política cultural de Pinheiral, já considerando os critérios que a Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc determina, foi disponibilizado um cadastro mais completo, elaborado juntamente com o conselho que será utilizado junto às ações da Lei de Emergência Cultural.

Objetivo

Pinheiral é conhecida por ter grande expressividade cultural e o cadastro facilitará o Departamento de Cultura e o Conselho Municipal na realização de trabalhos e, também, na execução dos recursos da PL 1075/2020, Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc que já foi aprovada no Senado Federal e tem até o dia 30 de junho para ser sancionada ou vetada pelo Presidente da República. Caso sancionado, a lei destinará recursos diretos do Fundo Nacional de Cultura aos estados e municípios para utilização e fomento da cultura local, através de editais, auxílio a entidades e coletivos culturais, além de disponibilizar um “Auxílio Emergencial” para agentes culturais que não receberam o auxílio do Governo Federal criado em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Cobrança

É preciso intensificar o controle do uso de máscaras e do distanciamento social nos estabelecimentos comerciais de Resende. O alerta foi feito pelo vereador Odair Ozório (PSD) e foi tema de uma indicação à Prefeitura que a Câmara Municipal de Resende aprovou esta semana. A proposta teve cópia enviada ao Poder Executivo para estudos de viabilidade.

Máscaras

Segundo o parlamentar, houve uma queda do número de pessoas utilizando máscaras nas últimas semanas e tem sido comum ver um grande número de pessoas nos estabelecimentos comerciais. “É visível a aglomeração nos comércios da cidade; boa parte dos estabelecimentos não cobra dos clientes o uso da máscara e nem limita o número de pessoas no interior da loja. Diante disso, cabe à Prefeitura agir para que todos os cuidados necessários para evitar a contaminação sejam adotados”, aponta.

Estabilidade

O vereador lembrou que a estabilização do número de casos de Covid-19 em Resende – anunciada no Plenário Jorge Miguel Jayme pelo secretário municipal de Saúde nos últimos dias -, não deve servir de desculpa para que a população abandone as medidas de prevenção à doença. “O mundo todo hoje está preocupado com a chegada de uma segunda onda da Covid-19. Precisamos tomar muito cuidado para manter o número de infectados e mortos na cidade estável; fiscalizar melhor o comércio é fundamental para isso”, comentou.

Aquecimento

Quinze mil máscaras produzidas de março a maio deste ano por costureiras de municípios da Baixada Fluminense. A confecção desse equipamento de proteção individual tem aquecido o empreendedorismo no setor, gerando renda em meio à pandemia do coronavírus. O dado foi divulgado por Dulcilene Aragão, da Moda By Comunidade, durante roda de conversa virtual realizada, nesta quinta-feira (25/06), pelo Fórum de Desenvolvimento Estratégico da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Renda

“Em meio a tudo o que está acontecendo conseguimos nos superar e gerar renda para as nossas costureiras e até mesmo para os motoristas de aplicativos que fazem entregas da Baixada Fluminense para bairros da Zona Sul da cidade do Rio, onde estão localizados nossos maiores consumidores de máscaras”, contou Dulcilene, que trabalha com oficinas solidárias de corte, costura e modelismo em comunidades carentes desde 1993. Ela acrescentou ainda que as costureiras estão produzindo bolsas com frases contra violência doméstica a serem comercializadas em mercados.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document