terça-feira, 11 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Do cruzeiro para o interior

Do cruzeiro para o interior

Matéria publicada em 21 de janeiro de 2018, 06:49 horas

 


Mais de sete mil turistas desembarcaram nesta quinta-feira (18), movimentando o Terminal Internacional de Cruzeiros do Píer Mauá, no Rio de Janeiro.

***

O número, que é um dos mais altos desta temporada, se deve à chegada de três transatlânticos.

***

Hoje, os visitantes foram recepcionados pelo presidente da TurisRio, Paulo Senise e pela equipe da Setur/TurisRio, que está no local desde dezembro atendendo os visitantes.

***

Paulo Senise, além de dar as boas vindas, apresentou aos turistas as belezas do interior através do Rio+3.

***

O guia é o material promocional do Estado, que divulga os atrativos de municípios, localizados a até três horas da capital.

***

Para o presidente, ações como essa em parceria com o Píer Mauá, são importantes para apresentar as belezas do interior.

 

 

Destinos alternativos

“Hoje a capital do Estado já conta com uma impressionante infraestrutura para a recepção imediata do turista. Na sequência do planejamento de visita do turista ao Rio, a Setur/TurisRio apresenta inúmeras outras possibilidades rumo ao interior do Estado e a destinos localizados a até 3h de distância. Assim, torna-se possível a visita durante um Day Tour ou a recomendação para futura viagem de maior permanência para um ou mais destinos”, diz Senise.

 

Números

Só nesta temporada (2017/2018) mais de 380 mil pessoas, entre passageiros e tripulantes irão desembarcar na cidade do Rio. Ao todo serão 94 atracações, das quais 23 são cruzeiros internacionais. Na temporada passada, os mais de 300 mil turistas que vieram a cidade geraram um impacto econômico de R$1,607 bilhão durante todo e período, de acordo com estudo da Clia Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 

Pipas I

Foi sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão a Lei 7.865/18 que cria a campanha “Pipa com Responsabilidade” nas escolas públicas do estado. O objetivo é orientar os alunos sobre os riscos que envolvem esta brincadeira e conscientizá-los quanto aos perigos das linhas cortantes.

 

Pipas II

A medida foi publicada no Diário Oficial do Poder Executivo desta quinta-feira (18/01).De acordo com o texto, a campanha deverá ser realizada nos meses de junho a novembro, por meio de folhetos, palestras e outras atividades, com a participação de professores, alunos, famílias, corpo técnico e administrativo.

 

Pipas III

Além disso, poderão ser convidados representantes do Corpo de Bombeiros, da Secretaria de Estado de Saúde e de companhias de energia elétrica. A campanha deverá, ainda, ser inserida no Projeto Político Pedagógico das unidades. “Nos períodos de férias, sempre somos surpreendidos com acidentes envolvendo as pipas e o uso de materiais cortantes como o cerol. Visando dar mais segurança à sociedade, é preciso educar nas escolas, de forma permanente, sobre a prática indevida de soltar pipas”, justifica o autor da lei, o deputado licenciado Jorge Felippe Neto (DEM).

 

Vagas I

Estacionamentos privados estão proibidos de exigir documento de identificação de idosos, pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção para a concessão de gratuidade do serviço, quando oferecida. Esta é uma determinação da Lei 7.682/17, de autoria dos deputados Márcio Pacheco (PSC) e André Ceciliano (PT), presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

 

Vagas II

A norma foi sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão e publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (18/1).De acordo com os autores, alguns locais que oferecem estacionamento gratuito exigem que o documento seja levado até o guichê. “Há tempos eu vinha recebendo reclamações sobre o excesso de exigências que os estabelecimentos particulares fazem para conceder a gratuidade às pessoas com mobilidade reduzida. Esta iniciativa tem como objetivo reduzir a burocracia e facilitar a aplicação da lei”, afirma André Ceciliano.

 

Vagas III

A norma altera a Lei 6.642/13, que tornou obrigatória a destinação de vagas em estacionamentos privados para idosos e pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção. Coautor da nova lei e presidente da Comissão da Pessoa com Deficiência da Alerj, o deputado Marcio Pacheco diz que o objetivo é evitar constrangimentos. “Deficientes visuais, auditivos e até mesmo idosos sofrem com essas exigências. O objetivo dessa lei é evitar constrangimentos, garantindo que a Lei Brasileira de Inclusão se cumpra efetivamente”, explica.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document