segunda-feira, 28 de setembro de 2020 - 10:32 h

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Estudantes verão futebol de graça

Estudantes verão futebol de graça

Matéria publicada em 17 de janeiro de 2020, 21:20 horas

 


O Governo do Estado do Rio, por meio da Secretaria de Educação e do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), e a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) assinaram, nesta sexta-feira (17/1), um convênio para a distribuição de ingressos para que alunos da rede pública estadual e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas assistam a jogos do Campeonato Carioca.

***

“Quero agradecer à Ferj por esta parceria. Através do convênio com o Governo do Estado estamos premiando os estudantes com boa frequência escolar e os adolescentes do Degase que estão em regime de semiliberdade com a oportunidade de visitar e assistir aos jogos no Maracanã, que completa 70 anos este ano. Os jovens também poderão assistir a partidas de futebol em outros estádios e municípios fluminenses”,  ressaltou o governador Wilson Witzel.

 ***

Segundo o secretário de Educação, Pedro Fernandes, a pasta tem investido em atividades esportivas, culturais e voltadas à leitura para estimular os estudantes da rede. 

***

“ Essa parceria vai incentivar ainda mais o envolvimento dos estudantes em ações extraclasse”, disse o secretário de Educação.

***

Os critérios de seleção dos estudantes da rede pública estadual serão frequência e idade acima de 16 anos. Os adolescentes do Degase beneficiados são os que estão em regime de semiliberdade, nos Centros de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaads).

***

Para o presidente da Ferj, Rubens Lopes da Costa Filho, o convênio é um marco para o Estado do Rio.

***

“Estaremos investindo na reintegração social dos jovens do Degase e na geração de oportunidade de acesso a eventos esportivos para os alunos da rede estadual”, afirmou o presidente da Ferj.

 

Aprovação

O governador Wilson Witzel anunciou, nesta sexta-feira (17/1), que a Secretaria de Educação obteve a maior taxa de aprovação e o menor índice de abandono escolar da sua história no ano passado.

 

Futuro

“Quanto menos alunos abandonando a escola, tirando melhores notas, melhor será o futuro do Estado  do Rio de Janeiro para as próximas gerações. Os professores cumpriram seus papéis e chegamos a um resultado que é o recomeço de uma retomada histórica do Rio de Janeiro: somo o Estado onde o ensino vai mudar a realidade”, disse o governador.

 

Relatório

De acordo com relatório da Secretaria de Educação, o Indicador de Fluxo (IF) – que é calculado pela divisão do total de alunos aprovados em cada série pelo número de alunos matriculados – foi de 0,84 em 2019 (o máximo é 1).  O levantamento é bimestral, e os dados obtidos no quarto bimestre são os fechados do ano.

 

Resultado

Segundo o secretário, o resultado oficial do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, ainda não foi anunciado. Mas os dados do relatório da Secretaria de Educação mostram os resultados dos investimentos feitos pelo Estado no ano passado.

 

Fator

“Um fator determinante para estes resultados foi a colocação de professores em sala de aula. Quando assumimos em 2019, encontramos um cenário onde apenas 5% das escolas tinham quadro de professores completo. Contratamos cerca de 14 mil professores e atualmente já temos 96% das unidades com o quadro completo de professores”, explicou Pedro Fernandes.

 

Indicador

Em 2018, o indicador IF tinha sido de 0,79 (0,5 a menos que ano passado), mesmo resultado de 2016. Em 2015 e 2017, o IF foi de 0,81, também abaixo do resultado alcançado em 2019.

 

Investimento

Para alcançar esses índices, a Secretaria de Educação investiu em ações pedagógicas. Com as medidas adotadas, o ano letivo de 2020 terá início com a área pedagógica mais fortalecida.

 

Força-tarefa

Desde o início da atual gestão, a secretaria determinou a criação de uma força-tarefa para conhecer melhor o cenário encontrado na rede estadual e monitorar os resultados junto às escolas, visando à correção de rumo. Por meio das campanhas Reação e Interseção, novas ações já foram planejadas para aperfeiçoar as condições de trabalho dos profissionais de ensino e melhorar o desempenho dos alunos.

 

Reação

Na campanha Reação, a pasta monitorou os resultados de Língua Portuguesa e Matemática e a taxa de participação dos alunos nas provas do 1º bimestre do programa Conhecer. Também foi analisado o fluxo da rede (aprovação e reprovação).

 

Interseção

Já na campanha Interseção, que terá continuidade neste ano letivo, o monitoramento foi intensificado e houve um cruzamento de dados de todas as unidades escolares, com base no sistema Conexão Educação. Por esse levantamento, foi possível identificar, ainda, escola por escola, as notas bimestrais abaixo da média, o quantitativo de alunos faltosos e de dependências, entre outras situações, com a proposta de dar suporte aos colégios que necessitem de auxílio pedagógico.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    E os bons alunos, que tiram notas boas e possuem comportamento exemplar? Será que o governo vai levá-los ao Maracanã?… Parece que no Brasil, e principalmente no Rio, o crime compensa…

Untitled Document