sábado, 25 de maio de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Filho feio…

Filho feio…

Matéria publicada em 16 de abril de 2019, 22:34 horas

 


A novela da disputa pela direção do Sindicato do Funcionalismo Público do Município de Volta Redonda teve um capítulo frustrante na última segunda (15).
***
A eleição, motivo de tantas discórdias e disputas judiciais, aconteceu, mas não valeu de nada.
***
Motivo: suspeitas de fraude.
***
Teve urna sem lacre, teve urna sem lista de presença, teve de tudo para “melar” a votação.
***
A Chapa 2, integrada por pessoas que “puxaram” o movimento “O Sindicato é Nosso” (aquele que convocou uma assembleia por abaixo-assinado, com mais de um terço dos sindicalizados), afirma que seus integrantes ficaram assustados com os indícios de irregularidade.
***
Eles dizem que teriam votação expressiva nos locais onde houve problemas.
***
Ninguém, é claro, assume a culpa pelos erros.
***
É o velho ditado: “filho feio não tem pai”.

Leiloando
A Guarda Municipal de Volta Redonda realiza mais uma edição do leilão de veículos apreendidos por infrações ao código de trânsito, que será realizado, simultaneamente, sob a forma presencial e eletrônica. Ao todo serão leiloados 183 veículos que já estão disponíveis para oferta por meio de endereço online www.brbid.com. No dia 29, a partir das 11h, no auditório da Secretaria Municipal de Educação (SME), que fica na Rua Santa Helena, número 22, no bairro Niterói, o leilão acontece de forma presencial.

Grupos
De acordo com inspetor da Guarda Municipal, Valdo Gomes Rocha, são dois grupos de veículos em leilão: os que permitem regularização, sendo 17 carros e 125 motos, onde pode participar qualquer pessoa física ou jurídica; e os veículos que são destinados à prensa (41 carros) que só podem ser arrematados por pessoa jurídica.

Entrega
Os veículos serão entregues aos arrematantes livres e desembaraçados de quaisquer ônus, exceto aos que tiverem o fato gerador posterior à data do leilão bem como o pagamento de DUDAS para regularização e IPVA do ano do arremate, ficando o arrematante responsável pelo registro perante o órgão executivo de trânsito, vistorias e demais procedimentos para transferência do veículo.

Motivo
O inspetor explica que os veículos que serão leiloados foram recolhidos por causa de infrações de trânsito. “De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito esses veículos que foram apreendidos devem ficar até 60 dias no pátio e depois podem ser colocados em leilão”, disse Valdo.

Fotos
Além das fotos disponíveis online, quem quiser verificar as condições dos veículos de perto, pode comparecer a dois depósitos: no pátio da Guarda Municipal, na Rua Alexandre Polastri Filho, 10, Ilha São João; e no Depósito Santa Cruz, na Avenida Caetano Arcuri Spinelli, nº1955 (RJ-153, entre os quilômetros 0 e 1).

Visitação
A visitação pode ser realizada nos dias 25 e 26 das 9h às 11h30 e das 14h30 às 17h, e também no dia 27 (sábado), das 8h às 14h. No Depósito da ilha são João estão os veículos recuperáveis e às sucatas de motos, já no depósito do Bairro Santa Cruz, estão somente às sucatas de automóveis. Os veículos recuperáveis que estão na ilha são João, na sede da Guarda municipal, são os automóveis e motos que podem ser regularizado. O edital e outras informações sobre como participar do leilão estão disponíveis no site da prefeitura.

Vagas para moças
As vagas destinadas a homens em concursos para as polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros poderão ser ocupadas por mulheres que tenham atingido a pontuação necessária para convocação em suas provas específicas, caso não tenham sido preenchidas. É o que determina o projeto de lei 344/19, do deputado André Ceciliano (PT) que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta terça-feira (16/04), em discussão única. O texto seguirá para o governador Wilson Witzel, que tem até 15 dias úteis para sancionar ou vetar.

Critério
A convocação das mulheres se dará quando o número de aprovados para as vagas destinadas aos homens não atingir o total de cargos disponíveis para ocupação imediata. Segundo Ceciliano, a medida é necessária para superar o déficit de contingente das instituições de segurança do estado e evitar gastos desnecessários com a realização de novos concursos. “A regra de divisão de vagas por sexo se deu para garantir um contingente feminino mínimo em um meio anteriormente dominado por homens. Contudo, essa regra não pode ser um impeditivo para que mulheres que tenham, inclusive, superado candidatos do sexo masculino em pontuação, sejam nomeadas para vagas que ficariam remanescentes”, explicou o deputado.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document