quinta-feira, 27 de janeiro de 2022 - 08:14 h

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Mulheres de policiais

Mulheres de policiais

Matéria publicada em 4 de setembro de 2017, 06:00 horas

 


Rio de Janeiro, 01-09-2017 - Governador Pezão recebe viuvas de policiais militares. Foto: Carlos Magno

O governador Luiz Fernando Pezão e os secretários estaduais de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos, Átila A. Nunes, e da Casa Civil, Christino Áureo, receberam, na sexta-feira (1º), no Palácio Guanabara, viúvas e mulheres de policiais feridos durante confrontos com criminosos no estado.
***
O governador garantiu apoio e assistência jurídica e psicológica às mulheres, além de agilização do processo de pagamento de pensão às famílias das vítimas mortas em serviço e do processo de documentação dos filhos dos policiais nascidos após a morte dos agentes.
***
Segundo o secretário Átila A. Nunes, cada uma delas (esposas) será atendida de forma individualizada. “Disponibilizaremos auxílio jurídico e psicológico. Ao perderem o marido de forma violenta, essas mulheres ficam fragilizadas emocionalmente, e, por isso, a importância de acompanhamento psicológico. Vamos alinhar com o Rioprevidência para que a gente consiga uma solução muito mais rápida para esses familiares conseguirem receber a pensão, um dos principais pedidos destas mulheres hoje”, disse, destacando que agendará, ainda este mês, os encontros com parentes desses agentes mortos em confronto.

Refeitório
O vice-presidente de operações da Carta Fabril, Vitor Coutinho, inaugurou na sexta-feira (1º) o refeitório da unidade industrial da empresa localizada no município de Piraí, nas proximidades do Distrito de Arrozal.
O sócio da WMA Refeições Coletivas, Wagner do Valle Barbosa, terceirizada da Carta Fabril para os serviços de alimentação dos trabalhadores, informou que o refeitório possui 96 lugares e atenderá, inicialmente, aos cerca de 130 funcionários que hoje atuam na empresa.

Fórum
O vereador Paulinho do Raio-X (PMDB) participou na última semana do 1º Fórum de Segurança Pública de Volta Redonda. O evento, idealizado pelo Conselho Municipal de Segurança Pública, contou com a participação de delegados de Volta Redonda e Pinheiral, do comandante do 28º Batalhão da PM, 22º Grupamento de Bombeiro Militar, Guarda Municipal e Defesa Civil.
Como presidente da Comissão Permanente de Cultura na Câmara Municipal, Paulinho disse que muitos eventos culturais realizados na cidade têm preocupado os vereadores. Vários registros de baderna, o consumo de bebida alcoólica e a venda de drogas nesses eventos podem gerar muitos problemas, segundo ele.

UPPs
As Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) serão tema de audiência pública da Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). A reunião acontecerá nesta segunda-feira (4), às 14h, no Auditório Senador Nelson Carneiro, prédio anexo ao Palácio Tiradentes, e contará com a presença do secretário de Estado de Segurança, Roberto Sá.

Dados
Atualmente existem 38 UPPs no Rio. A presidente da Comissão, deputada Martha Rocha (PDT), afirmou que o projeto das UPPs, iniciado no morro Dona Marta, em Botafogo, em 2008, precisa ser revisto urgentemente. “A eficácia não é mais a mesma dos primeiros anos. Os policiais militares trabalham sem estrutura adequada e estão acuados. Os moradores vivem no meio do fogo cruzado e a violência explode. Nossa intenção é debater um caminho seguro para todos”, afirmou a parlamentar.

Privatizações
Deputados estaduais, federais e trabalhadores de estatais se reuniram na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) na sexta-feira (1º) para debater propostas de privatização anunciadas pelo Governo Federal. A audiência pública lotou o plenário da Casa com integrantes da Eletrobras, Furnas, Cedae, Casa da Moeda e de petroleiras.

Crítica
O deputado Paulo Ramos (PSol), presidente da comissão de Trabalho, criticou a venda dessas empresas para a iniciativa privada. “Privatizar as estatais é uma perda para o Estado, representa precarização do trabalho, queda na qualidade do serviço e mais desemprego. Em contrapartida, não vemos os investimentos em saúde, segurança, e educação prometidos com esses recursos”, disse o parlamentar.

Privatização da Cedae
A aprovação da privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) foi uma das principais exigências do Governo Federal como contrapartida ao plano de recuperação fiscal do estado. O socorro financeiro à economia fluminense permite que o estado suspensa o pagamento da dívida do estado com o Governo Federal durante três anos, além de autorizar empréstimos emergenciais.

Próximos passos
Diante do grande número de pessoas presentes na audiência pública, o deputado Paulo Ramos anunciou que será marcada uma nova reunião para debater o tema.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document