segunda-feira, 21 de outubro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Obra parada

Obra parada

Matéria publicada em 28 de junho de 2019, 21:21 horas

 


Controle de Zoonoses (CCZ) foram o tema da indicação nº289/2019, aprovada esta semana pelo Poder Legislativo de Resende.

***

A proposta foi feita pelo vereador Tiago Forastieri (PSC), que pediu a retomada urgente dos trabalhos, destacando o aumento da demanda pelos serviços do CCZ.

***

O parlamentar conta que, durante recente visita de fiscalização ao local, constatou que, embora o CCZ disponha de um espaço amplo, é preciso aumentar a área em que ficam os animais.

***

“Na ocasião, pude avaliar a estrutura e o atendimento. A ampliação das baias que abrigam os animais – seja enquanto esperam pela adoção ou cuidados médicos – vai contribuir muito para aumentar o alcance e a qualidade dos serviços prestados pelo CCZ”, explica Forastieri.

***

Ele acrescenta que, em função do aumento dos casos de maus tratos e abandono de animais, a demanda de trabalho do centro vem crescendo.

***

“O espaço utilizado pelos animais atualmente não é adequado e, sabendo que a tendência é de aumento da demanda, é preciso retomar as obras o mais rápido possível”, aponta.

***

Em 2018, o CCZ bateu recordes de cirurgias de castração, além de ter ampliado o número de atendimentos, que chegou a 3.652 no início de dezembro, sendo 1.673 castrações e 1.979 consultas.

 

Ambulância

Foi estacionada nesta sexta (28), em frente à sede da Prefeitura Municipal de Pinheiral, uma nova ambulância zero quilômetro, que chegou à cidade para reforçar os atendimentos na Saúde. O prefeito de Pinheiral, Ednardo Barbosa, agradeceu por mais uma boa notícia, que vai ajudar principalmente quanto aos atendimentos emergenciais feitos à população de Pinheiral e falou sobre a importância da renovação da frota de veículos que vem sendo feita na Saúde de Pinheiral.

 

Boa notícia

“Graças a Deus, posso finalizar a semana anunciando mais uma boa notícia para a população de Pinheiral. E, dessa vez, é na área da Saúde. A ambulância adquirida por meio de emenda parlamentar vai reforçar a frota da Secretaria Municipal de Saúde. Desde o início da gestão, há dois anos e meio, temos investindo na recuperação desses veículos emergenciais, já que muitos foram encontrados sucateados no pátio do Hospital Municipal de Pinheiral. Por isso, é com orgulho, mas também com muito trabalho que Pinheiral tem hoje seis ambulâncias em sua frota. Aliás, sendo duas novas, uma SAMU e outra que também foi recuperada por nossa gestão”, disse o prefeito.

 

Melhora

O secretário municipal de Saúde, Everton Alvim, destacou que a nova unidade vai melhorar ainda mais o atendimento aos pacientes que precisam ser transportados para unidades de referência em outras localidades.  “A nova ambulância vai ajudar principalmente nos atendimentos em que precisamos percorrer longas distâncias para levar pacientes para atendimentos específicos, como o Rio de Janeiro ou Paraíba do Sul, por exemplo”, disse.

 

Sem posto de distribuidoras

A adoção da verticalização no varejo do setor de combustíveis pode cartelizar o setor e contribuir para a demissão de 30 mil pessoas no estado do Rio. Essa é a principal preocupação da Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) após audiência pública realizada nesta sexta-feira (28/06), que reuniu representantes do segmento.

 

Sem auto-serviço

Para evitar o problema, o presidente da comissão, deputado Max Lemos (MDB), protocolou projeto de lei que proíbe o uso no estado do Rio de bombas de combustível que obrigam o abastecimento pelo próprio cliente (o chamado autosserviço).Inspirada no modelo norte-americano, a verticalização permitiria que as distribuidoras vendessem os produtos diretamente ao consumidor no mercado varejista. O presidente do Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado do Rio de Janeiro (Sinpospetro-RJ), Eusébio Luís Pinto Neto, afirmou que a verticalização favorece as grandes distribuidoras que, segundo ele, explorariam o mercado sem investir na manutenção e qualificação da mão de obra.

 

Concentração

O presidente da comissão, deputado Max Lemos (MDB), destacou que, com a alta do desemprego no país, é preciso ter cuidado para evitar a concentração do mercado de combustíveis. “Embora os preços dos combustíveis possam até cair num primeiro momento, essa medida traz um grande risco de se formarem cartéis nesse mercado. Por isso, a verticalização pode ser um canal para facilitar a adoção do autosserviço, com o risco de causar demissão em massa no Rio de Janeiro” , apontou o parlamentar.

 

Concorrência desleal

Abel Leitão, vice-presidente da Federação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Gás Natural e Bicombustíveis (Brasilcom), comentou que se adotada agora a verticalização pode inibir a vinda de novas distribuidoras de combustível. “Antes de pensar na verticalização primeiro precisamos resolver o problema da concorrência desleal: de 50% a 60% do álcool hidratado vendido no estado sofre algum tipo de adulteração ilegal, assim como 30% da gasolina. Por isso é muito difícil concorrer no mercado de combustível fluminense”, afirmou


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document