domingo, 24 de outubro de 2021 - 05:30 h

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / União por Pinheiral

União por Pinheiral

Matéria publicada em 28 de março de 2017, 20:23 horas

 


O Deputado Estadual Gustavo Tutuca recebeu, em seu gabinete na Alerj, os vereadores de Pinheiral Jordacio, Richard Toró, Muller e Anderson Costa Alonso. Na pauta, política municipal e melhorias para a cidade. O encontro mostra o esforço do deputado em unificar a política municipal em prol da população.

O Deputado Estadual Gustavo Tutuca recebeu, em seu gabinete na Alerj, os vereadores de Pinheiral Jordacio, Richard Toró, Muller e Anderson Costa Alonso. Na pauta, política municipal e melhorias para a cidade. O encontro mostra o esforço do deputado em unificar a política municipal em prol da população.

 

Manifestação

A Prefeitura de Quatis realiza nesta quinta-feira, dia 30 de março, uma manifestação de repúdio à violência contra a mulher na cidade. Denominada Nenhuma a menos, nenhum direito a menos, a caminhada sairá às 8 horas, do bairro Jardim Independência, em frente ao CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), e irá até a Praça Teixeira Brandão, no Centro, passando pelos bairros Santo Antônio e São Benedito.

 

Objetivo

A titular da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Município, Rosana de Almeida, explica que o objetivo da manifestação “é despertar a atenção da população de Quatis com relação aos casos de violência contra a mulher na cidade, que apresentaram um crescimento entre 2015 e 2016”. O repúdio organizado pela prefeitura faz parte ainda das atividades relacionadas ao Dia Internacional da Mulher (08 de março).

 

Assassinatos

Rosana lembra que nos últimos dois anos, duas mulheres foram assassinadas em Quatis, uma delas no bairro São Benedito e a outra na Barrinha. O caso da Barrinha aconteceu no carnaval de 2017: Sirlene Pereira, de 36 anos, foi assassinada com mais 30 facadas, por motivos passionais, segundo a Polícia Civil.

 

Assistência

No caso da Prefeitura de Quatis, o atendimento às mulheres vítimas de violência é feito pelo Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). Levantamentos desta unidade apontam que entre janeiro de 2013 e o dia 20 de março de 2017, um total de 28 casos foi registrado no Município, sendo quatro denúncias em 2013, oito (2014), quatro (2015), dez (2016) e dois de janeiro a março deste ano (2017).

Na unidade do Creas, as mulheres que procuram o serviço são atendidas e acompanhadas por duas psicólogas, uma assistente social, um advogado e dois orientadores sociais. O Creas funciona de segunda a sexta-feira, de 8 às 17 horas, e atende também episódios provenientes de denúncias feitas através dos telefones 3353-2193, 100 e 180, os dois últimos, gratuitamente. O anonimato é garantido.

Numa reunião realizada recentemente, a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Quatis solicitou o apoio do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro para a implantação em Quatis ou numa cidade mais próxima, do serviço policial de atendimento especializado às denúncias de agressões contra a mulher. No entendimento da coordenadora do CREAS, Camila Cássia da Silva Pinto, “a inexistência deste serviço certamente desestimula o registro de ocorrências contra os agressores”.

 

Caminhada

Para a caminhada desta quinta-feira, 30 de março, foram convidados secretários municipais, vereadores, presidentes de associações de moradores, representantes dos conselhos do Município, instituições religiosas e mulheres atendidas nas duas unidades do Centro de Referência de Assistência Social da cidade, as quais funcionam no Jardim Independência e no Centro.

 

Leite I

O Sistema Firjan e o Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado do Rio (SindLat-RJ) finalizaram o Diagnóstico da Cadeia Agroindustrial de Lácteos fluminenses, que comprova o forte potencial de crescimento do setor. Conforme o estudo, a cadeia do leite tem potencial para aumentar em até quatro vezes a sua produção, confirmada pelo alto consumo do produto em todo o estado.

 

Leite II

Produzido pela MilkPoint Inteligência, a pedido do sindicato e da Federação, o diagnóstico avaliou os números da cadeia produtiva da última década e constatou o enorme espaço para crescer, baseado apenas no consumo de leite tanto pelo consumidor final quanto para os demais setores, que usam o produto como matéria-prima na produção de derivados. Atualmente, o estado do Rio produz 513 milhões de litros/ano, o que corresponde apenas a 22% do total consumido, ou seja, 2,9 bilhões de litros/ano em todo o estado.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document