>
segunda-feira, 4 de julho de 2022 - 08:22 h

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Arthur Lira diz que números atuais mostram recuperação do desemprego

Arthur Lira diz que números atuais mostram recuperação do desemprego

Matéria publicada em 3 de maio de 2022, 17:25 horas

 


Presidente da Câmara participou de debate no Congresso

Lira lembrou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março foi o maior para o mês em 20 anos – Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados.

Brasília- O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), fez hoje (3) uma análise do cenário do desemprego no país. Durante a Comissão Geral, no plenário da Casa, para debater o diagnóstico, as desigualdades e as perspectivas do mundo do trabalho no Brasil, o deputado destacou que apesar de em 2020 e 2021 o país ter registrado recordes de desempregados, na casa de 15%, os números mais atuais revelam processo de recuperação em curso. “A taxa de desocupação caiu para 11% no trimestre encerrado em janeiro deste ano, menor resultado para o período desde 2016, sendo que ainda temos 12 milhões de brasileiros à espera de um salário”, disse.

Lira lembrou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março foi o maior para o mês em 20 anos, o que reduziu ainda mais o poder de compra do brasileiro. O indicador é considerado o termômetro oficial da inflação no Brasil. “A cada dez trabalhadores, quatro são informais e não há sinais de que esse índice possa apresentar redução em curto prazo”, avaliou. Segundo ele, os mais prejudicados são aqueles “já vitimados pela exclusão social”.

Compromisso

Ao destacar o cenário econômico atual, Lira reafirmou o compromisso dos deputados com a continuidade da melhoria dos índices de desemprego e o fortalecimento de “políticas econômicas responsáveis”. Nesse sentido, avaliou que o trabalho remoto, adotado por muitos setores produtivos durante a fase mais dura da pandemia de covid-19, prejudicou os que não tinham meios, equipamentos e tecnologias para trabalhar de casa. “É crucial que os embates políticos olhem para esses elementos da realidade trabalhista. O poder público deve proporcionar crescimento da economia e geração de empregos formais, que dependem da melhoria do ambiente de negócios e atração de investidores”, defendeu.

Fonte: Agência Brasil com informações da Agência Câmara*


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Somos todos conjos da ratazana Moro.

    Um político medíocre , cagado como presidente da Câmara de Deputados, falando abobrinhas para colocar cortiça de fumaça na crise econômica e proteger um governo incompetente, preguiçoso e mentiroso.

  2. Estamos no caminho certo , o país vai vencer mais essa, é a primeira vez que vejo em um governo federal chegar a 04 anos sem corrupção, sem mensalão, sem petrolão, sem que o presidente e todos os seus ministros tenham envolvimento com corruptção.

    • Cidadão consciente.

      Desculpe-me, mas dizer que não tem corrupção no governo é opinião de quem não lê ou assiste a jornais . Só se informa pelo zap. Desvio de dinheiro da Educação ´por pastores evangélicos,amigos do presidente, orçamento secreto com desvio de verbas para o Centrão, lavagem de dinheiro de rachadinhas promovidas pela familícia, tentativa de compra de vacinas superfaturadas, intervenção do presidente na direção da PF para livrar seus filhotes, etc… são casos graves de corrupção. sugiro se informar melhor.

  3. Recuperação do desemprego? Pra ele quanto mais desemprego melhor. A mesma política do PT, quanto pior melhor>

  4. …Mas isso não é bom para os pessimistas que querem ver o Brasil afundar porque o seu ladrão não é o presidente. O Brasil vai chegar no fim do ano bem melhor do que os dois anos de pandemia, temos que acreditar , muita gente que estava desempregada que eu conheço já estão trabalhando, muito bom!!!

  5. Sim, recuperação do emprego dos seus apaniguados. São 13.000.000 de desempregados pelos números oficiais. Na verdade, mais de vinte milhões estão desempregados há mais de um ano.

Untitled Document