sábado, 25 de maio de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Bolsonaro defende que ataques no CE sejam considerados terrorismo

Bolsonaro defende que ataques no CE sejam considerados terrorismo

Matéria publicada em 12 de janeiro de 2019, 16:13 horas

 


Brasília – O presidente Jair Bolsonaro defendeu neste sábado (12) que ações criminosas ocorridas no Ceará sejam consideradas terrorismo. A manifestação do presidente em favor do PLS 272/2016 foi feita por meio de sua conta pessoal no Twitter, às 7h deste sábado (12), ao comentar situação no Ceará. A reportagem é da Agência Brasil.

“Ao criminoso não interessa o partido desse ou daquele governador. Hoje ele age no Ceará, amanhã em São Paulo, Rio Grande do Sul ou Goiás. Suas ações, como incendiar, explodir, … bens públicos ou privados, devem ser tipificados como terrorismo”, disse o presidente.

Bolsonaro também chamou de “louvável” e defendeu o projeto de lei, de autoria do senador Lasier Martins (PSD-RS), que endurece a Lei nº 13.260 que tipifica o conceito de terrorismo e regulamenta atuação de combate do Poder Público. Conforme o projeto, em tramitação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, fica classificado como terrorismo “incendiar, depredar, saquear, destruir ou explodir meios de transporte ou qualquer bem público ou privado, com o objetivo de forçar a autoridade pública a praticar ato, abster-se de o praticar ou a tolerar que se pratique, ou ainda intimidar certas pessoas, grupos de pessoas ou a população em geral.”

O PLS 272/2016 também criminaliza “interferir, sabotar ou danificar sistemas de informática ou bancos de dados, com motivação política ou ideológica, com o fim de desorientar, desembaraçar, dificultar ou obstar seu funcionamento.”

Em outubro passado, o governo federal instituiu uma força-tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil. O grupo, sob a coordenação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI), tem como função “analisar e compartilhar dados e de produzir relatórios de inteligência com vistas a subsidiar a elaboração de políticas públicas e a ação governamental no enfrentamento a organizações criminosas que afrontam o Estado brasileiro e as suas instituições.”

 

Ceará

 

A Polícia Militar do Ceará registrou na madrugada deste sábado dois novos ataques criminosos contra uma torre de transmissão de energia e uma concessionária de veículos. O estado entrou neste sábado no 11º dia seguido de ataques atribuídos a facções criminosas.

De acordo com a PM, uma torre de transmissão teve a base explodida na cidade de Maracanaú, região metropolitana de Fortaleza, e caiu. Em função do ataque, moradores relataram queda de energia nas regiões próximas. Na capital cearense, por volta das 5h, uma explosão atingiu o pátio de uma concessionária e danificou veículos que estavam expostos para venda. Segundo a Secretaria de Segurança do Ceará, 319 pessoas foram presas até o momento. Todas elas autuadas em flagrante por participação nos atos criminosos registrados no estado desde o dia 2 de janeiro.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar
    Meu nome é Zé Pequeno!

    Ah Tá! O que ocorrerá na prática à nível da CF 88 se os ataques praticados no Ceará ou em outro local do território nacional forem considerados “Atos de Terrorismo”?
    São tipfiicados como sendo “Crimes de Guerra”?

  2. Avatar
    Professor de dança do laranja Queiroz.

    A propósito, onde está os “bravos” integrantes da Força Nacional de Segurança. Um bando de motoqueiros, barrigudos e despreparados para enfrentar esse tipo de criminalidade. Quando estiveram na cidade do Rio de janeiro, se borraram de medo dos traficantezinhos e ladrõezinhos. Esses “bravos policiais” são um bando de playboyzinhos, incapazes e incompetentes, que só trazem prejuízo aos cofres públicos. Quem , de fato, enfrenta a bandidagem, são os PM’s, que recebem baixos salários e ainda correm riscos. A inversão de valores é comum, num país de idiotas e imbecis.

Untitled Document