quarta-feira, 26 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Comandante defende exclusão de militares da reforma da Previdência

Comandante defende exclusão de militares da reforma da Previdência

Matéria publicada em 11 de janeiro de 2019, 18:32 horas

 


Brasília- O novo comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, defendeu hoje (11) que o sistema previdenciário das Forças Armadas não deva ser modificado na reforma da Previdência.
– A intenção minha, como comandante do Exército, se me perguntarem, nós não devemos modificar o nosso sistema – disse a jornalistas, após assumir o cargo, no Clube do Exército de Brasília.
A equipe econômica está fechando a proposta de reforma da Previdência que será submetida ao presidente Jair Bolsonaro, para posterior encaminhamento ao Congresso.

Constituição

O general lembrou que as Forças Armadas não fazem parte do sistema de Previdência Social. “Isso está na Constituição. Há uma separação”, argumentou.
Pujol destacou, no entanto, que os militares são disciplinados e estão prontos a colaborar com a sociedade.
– Obedecemos às leis e à Constituição. Se houver uma decisão do Estado brasileiro de mudanças, iremos cumprir – acrescentou.
Segundo o comandante, as Forças Armadas vão colaborar com o esforço para equilibrar as contas públicas.
– Os militares sempre tiveram participação no esforço da nação. Inclusive, quase 20 anos atrás, nós fomos os únicos que nos modificamos em prol disso aí. Os outros setores da sociedade não se modificaram. Havia uma intenção, mas fomos os únicos a nos modificarmos e fazer o sacrifício. Estamos sempre prontos a colaborar com a sociedade – afirmou.

Marinha

O comandante da Marinha, Ilques Barbosa Junior, disse na última quarta-feira (9), depois de assumir o cargo, que a discussão sobre a idade mínima de aposentadoria para militares precisa ser analisada com cuidado. Para o almirante de esquadra, profissionais que atuam na defesa do país têm exigências próprias. Ele também afirmou que a Marinha seguirá a orientação do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, que está tratando da situação militar na reforma da Previdência.
Na cerimônia de transmissão de cargo do Comando da Marinha, o ministro da Defesa ressaltou que a reforma da Previdência deve avaliar regras diferenciadas para militares.

*Por Ana Cristina Campos e Andreia Verdélio – Repórteres da Agência Brasil


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Avatar

    Não conheco o sistema previdenciario dos militares, mas só espero que DOA A QUEM DOER, que seja igual para todos.

  2. Avatar

    São caras de pau, a última guerra que esse país teve foi a guerra do paraguay e atualmente a força é apenas um cabide de emprego para gente que nunca teve experiência em guerras, o que é uma vergonha, sequer sabemos se seremos capazes de fazer frente a um inimigo real, outros exércitos no mundo militares trabalham até os 60 anos, militares só criaram o oba-oba no país, cito o exemplo das filhas de militares que recebem pensões de seus falecidos pais até hoje, sem nunca precisar trabalhar, sorte que esse abuso não existe mais. Militar precisa trabalhar e contribuir muito mais, haja vista que vivem, apenas, para mandar e viver de fazer manobras. Coloca essa turma aí pra lutar na Síria pra dar um pouco de experiência em guerras. Chega de cara de pau, historicamente militares já provaram que só sabem sugar a nação e não sabem governá-la e a culpa de nossos atuais males devem a eles também, afinal de contas quem foi que manteve o congresso funcionando em plena ditadura e no fim entregaram o país para os canalhas sem estipular regras, mas os benefícios deles não esqueceram jamais.

  3. Avatar
    Carlos Magno de Oliveira

    Vivem as custas dos impostos da população e não produzem nada, e ainda contribuem para o entreguismo da nação.
    O atraso cultural, tecnológico e industrial que colhemos hoje é fruto da incompetência governamental dos últimos 50 anos graças ao irresponsável golpe militar orquestrado para derrubar um governo legítimo que faria desta nação um país desenvolvido e com qualidade de vida para nossa população.

    • Avatar

      Se os militares não tivessem tomado o poder naquela época, quem teria tomado o poder seria a “ditadura do proletariado” como bem disse Fernando Gabeira, que participou de um sequestro junto com outros esquerdistas da época!

  4. Avatar
    DE UM IRADO AFASTA-TE ,DE UM IRADO FUJA SEMPRE

    Esse cara está de brincadeira,não sabia que a corda ia arrebentar para o lado mais fraco da força.,será apenas ingenuidade .

  5. Avatar

    Os militares não são brasileiros?! Os militares não votam no Brasil?! Os militares devem participar da Reforma da Previdência e cortar na própria pele, tudo em favor do crescimento econômico do Brasil em 2019….

Untitled Document