domingo, 24 de outubro de 2021 - 05:35 h

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Conselho Regional de Medicina questiona manifestação da Fiocruz sobre combate a Covid-19 em comunidades carentes

Conselho Regional de Medicina questiona manifestação da Fiocruz sobre combate a Covid-19 em comunidades carentes

Matéria publicada em 13 de maio de 2020, 18:22 horas

 


Rio – O Conselho Regional de Medicina afirmou, em nota oficial, que recebeu com estranheza um plano de ação apresentado pela Fundação Instituto Oswaldo cruz (Fiocruz) para o combate à Covid-19 em comunidades. O conselho, que representa os médicos no estado, afirmou que o plano “é bastante superficial no conteúdo e não mostra como implementar a teoria na prática”.  Além disso, questiona a proposta de implantar teleatendimento e postos médicos no interior das comunidades cariocas “muitas vezes, comandadas pelo tráfico e/ou milícias”.

Veja a íntegra da nota

“O CREMERJ vem manifestar sua estranheza com um suposto plano de ação entabulado pela FIOCRUZ para o combate à pandemia da COVID-19 em comunidades. Embora se proponha a ser específico, é bastante superficial no conteúdo e não mostra como implementar a teoria na prática. Além de ter em seu interior falhas graves, que podem colocar em risco a população, os médicos e os profissionais de saúde se implementado como está. Está havendo uma busca de protagonismo e de aparecimento na mídia por parte de algumas instituições e médicos que, embora muitas vezes, digam representar os Médicos, não têm essa legitimidade. E, na maioria das vezes, com viés político nestas manifestações, podendo estar colocando em risco a população.

O documento supracitado propõe uso de teleatendimento à distância de suspeitos ou infectados sem mostrar como será feito e por quem. Isto é muito arriscado porque estamos notando que muitas pessoas morreram por terem sido orientadas a não procurarem atendimento Médico, salvo com sintomas graves. O documento também propõe que sejam construídos postos de atendimento Médico, no interior das comunidades. É preciso mostrar como será feita a segurança dos profissionais que lá trabalharão em áreas, muitas vezes, comandadas pelo tráfico e/ou milícias. Também propõe uso de escolas para confinarem doentes e suspeitos. Há dois problemas nesta questão: total falta de condições sanitárias para atender um paciente, que pode complicar muito rapidamente, e não ter as condições de atendimento necessárias (é bom lembrar que a Itália teve uma explosão de mortes por casos em asilos) e, ainda, o fato de se estar impedindo as crianças de voltarem a estudar tão logo possam. O provisório no Brasil, frequentemente, se torna permanente.

No item II-3, cita sindicatos médicos somente como interlocutores para a segurança médica. É importante lembrar que o órgão que normatiza a Medicina são os Conselhos regional e federal de Medicina.

Está dito que este documento será enviado para a prefeitura do Rio e para o governo do estado do Rio de Janeiro. O mesmo governo estadual que instituiu um conselho autointitulado de “notáveis” que fala, diuturnamente, em implantar o lockdown no estado, mesmo sem mostrar evidências irrefutáveis da sua eficácia e parecendo ignorar as milhares de mortes que esta medida poderá acarretar a longo prazo com a falência do estado, que se refletirá, brevemente, na falta de pagamento a Médicos, enfermeiros e falta de dinheiro para compra de insumos.

O CREMERJ que representa, legitimamente, por meio do voto e da legislação, os Médicos do estado do Rio de Janeiro exige ser consultado a cada medida que envolva a saúde da população e o trabalho dos Médicos. Já bastam as dezenas de Médicos mortos por falta de equipamentos de proteção no combate à pandemia. Não iremos ouvir e ver calados medidas feitas por burocratas em salas refrigeradas, que coloquem em risco a população e os Médicos.

É fundamental que haja um plano coordenado entre as três esferas de poder, para decidirmos a melhor forma de agir. Sabe-se que esta pandemia, provavelmente, levará muitos meses. E que este plano não seja baseado em busca de protagonismo eleitoral e de likes nas redes sociais.”


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Ela é militante do PT, nunca vai tomar uma ação em benefício do povo, ela quer que de errado para culpar o Governo.

  2. Observatório Nacional

    Proposta típica da mente de uma socióloga mosca, camarão, quadrúpede e esquerdopata. Não deseja o bem e nem a cura, apenas aparecer na Globolixo. Deve implementar sim, só assim nos livraremos do narcodeputado candidato a prefeito de minha cidade maravilhosa e destruída por estes excrementos.

  3. Colocam os representantes da fiocruz que deu essa ideia nas comunidade

Untitled Document