domingo, 24 de março de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência

Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência

Matéria publicada em 18 de fevereiro de 2019, 19:14 horas

 


Brasília

 

O irmão da empresária e paisagista Elaine Caparroz, Rogério Peres Caparroz, ainda está perplexo com os ferimentos causados pelo espancamento a que ela foi submetida. Ele conta que, quando recebeu as primeiras imagens do apartamento em que o crime ocorreu, não acreditou que a irmã tivesse sobrevivido às agressões, que estão sendo tratadas pela polícia como tentativa de feminicídio.

“Uma amiga dela entrou em contato conosco e disse: aconteceu uma desgraça”, lembra ele. “Quando vi o vídeo do apartamento dela, achei que ela estava morta, pela quantidade de sangue espalhado”.

Rogério chegou ao Rio de Janeiro horas depois de ser informado, na tarde de ontem, para acompanhar a recuperação da irmã. Elaine está internada no Hospital Casa de Portugal e foi transferida da Unidade de Terapia Intensiva para o quarto na tarde de hoje (18).

A paisagista e empresária sofreu múltiplas fraturas no rosto, perdeu dentes e levou 40 pontos na boca. Os médicos ainda não puderam definir se será necessário fazer cirurgia, por causa do inchaço do rosto.

“Cada vez que eu olho para a minha irmã, até agora, não consigo reconhecê-la naquela fisionomia. Não tem como me acostumar. Toda vez que eu olho eu fico chocado”, diz ele, que conta que os médicos já descartaram que ela possa ter sequelas neurológicas, mas ainda não há garantias de que ela não fique com alguma sequela física.

Quando encontrou sua irmã na UTI, Rogério conta que ela estava angustiada e com a adrenalina elevada. “Ela queria falar e não conseguia por causa do inchaço”.

Por Vinícius Lisboa – repórter da Agência Brasil

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Tudo Bolsonarista. Vão se acostumando q a tendência é piorar. Brasil na lixeira.

Untitled Document