segunda-feira, 25 de outubro de 2021 - 08:31 h

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Juízes avisam que ‘não admitirão retrocesso institucional’

Juízes avisam que ‘não admitirão retrocesso institucional’

Matéria publicada em 20 de abril de 2020, 09:08 horas

 


Brasília – Depois de o presidente Jair Bolsonaro discursar para manifestantes em Brasília que pediam intervenção militar e o fechamento do Congresso Nacional neste domingo, 19, a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e outras cinco entidades da magistratura federal afirmaram que “não admitirão qualquer retrocesso institucional ou o rompimento da ordem democrática”.

Em nota, as associações pedem a união das autoridades públicas, “evitando polêmicas desnecessárias que possam gerar sérias crises institucionais”.

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) também se posicionou sobre as manifestações contra o Supremo Tribunal Federal, a Câmara e o Senado, afirmando estar pronta “para atuar em defesa da Constituição, da magistratura e do sistema de Justiça”. A entidade sinalizou ainda que no atual momento de crise, “o caminho correto para a busca das soluções é o cumprimento rigoroso da lei e o trabalho em conjunto das instituições em prol da construção de soluções”.

A Ajufe destacou que o único caminho para o desenvolvimento de uma sociedade livre, justa e solidária é o respeito à democracia, à independência dos Poderes e à Constituição Federal “A República Federativa do Brasil constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e o pluralismo político”, diz a nota da entidade dos juízes federais.

A atitude de Bolsonaro de ir a um protesto antidemocrático e de incentivar a aglomeração de pessoas foi considerada por políticos como “grave”, “incentivo à desobediência” e “escalada antidemocrática”. As manifestações foram criticadas por ministros do Supremo – Luís Roberto Barroso disse que é “assustador” ver manifestações pela volta do regime militar, após 30 anos de democracia, e Marco Aurélio Mello chamou os manifestantes de “saudosistas inoportunos”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Eu também sou a favor de manter os vermes na Câmera Federal, mesmo sabendo que eles não ligam para o povo, pois não liberaram os 3 bilhões de reais para cuidar da saúde da população!
    Até banqueiro é mais humano que político, pois o Banco Itaú doou 1 bilhão para o ministério da saúde cuidar do coronavirus, no entanto, há mais de um mês que a população pede para os deputados federais liberarem os 3 bilhões para a população! Não vai fazer falta, pois é mais uma mordomia que não lhes faria falta, no entanto os vermes preferem torrar esse dinheiro do que ajudar o povo!
    O que dizer desses vermes federais, que liderados pelo Verme Maior Rodrigo Maia não liga para o povo?!
    Como diria o jornalista Boris Casoy: “Isso é uma vergonha!”…

  2. É bom saber quem são os juízes contra o povo. Agora sabemos qual o endereço mandar um cabo e dois soldados.

  3. “…o caminho correto para a busca das soluções é o cumprimento rigoroso da lei…” Mas os próprios juízes não cumprem. O LULADRÂO está solto, entre outros. E eles vêm falar em cumprir as leis?

    Só depende da justiça para combater a corrupção. A maioria do povo escolheu um louco para tentar barrar a corrupção que eles não querem aceitar. Fora corruptos de juízes.

  4. voces juizes e parlamentares cercaram o presidente ELEITO e agora estão com medo
    quero ver o poder de voces quando o povo tomar as ruas e os militares apoiarem.

  5. Nilson machado do pinho

    Estes vermes,estão com medo de perderem suas mordomias,e nos pobre que nos lasquemos,bando de traidores da patria.

  6. voces tão vendo o que voces arrumaram com a corrupção e o desmando de voces. a que ponto o povo chegou, pedir a volta dos militares a voces “democratas”

Untitled Document