terça-feira, 11 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Ministro propõe que médicos oriundos do Fies substituam cubanos

Ministro propõe que médicos oriundos do Fies substituam cubanos

Matéria publicada em 17 de novembro de 2018, 07:09 horas

 


O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse hoje (16) que vai sugerir à equipe de transição, na próxima semana, substituir as vagas abertas com a partida dos cubanos, no programa Mais Médicos por profissionais formados com recursos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Segundo ele, o tema foi analisado por técnicos e deve ser agora debatido em nível político.

“Uma das propostas que nós vamos apresentar é essa, como outras propostas que estamos trabalhando não só na questão do Programa Mais Médicos, mas também de outras questões do Ministério da Saúde”, disse Occhi ao participar da cerimônia de inauguração das instalações do Centro Especializado em Reabilitação (CER IV), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O ministro não detalhou a proposta que será apresentada à equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro. O Fies é um fundo de financiamento para estudantes de baixa renda. Um período depois de formados, os estudantes passam a pagar as mensalidades que foram financiadas. Os valores variam de acordo com a negociação prévia feita no momento da matrícula.

Exigências

O ministro disse que até a próxima terça-feira (20) será lançado o edital para a contratação de médicos nas vagas que surgirem com o desligamento de profissionais cubanos. Eles devem ser substituídos por médicos brasileiros que tenham o número de inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM), obtido no Brasil e que possam fazer a opção de trabalhar no Programa Mais Médicos.

“Em um segundo momento, depois de um determinado período, vamos abrir para os médicos brasileiros formados no exterior. Acreditamos que existe um universo de cerca de 15 a 20 mil médicos aptos a participar do edital e a nossa ideia é fazer isso imediatamente ainda agora em novembro nós já temos médicos que tenham condições já escolhendo seus lugares para trabalhar.”

Vagas

Occhi indicou ter certeza de que as vagas serão ocupadas, ainda que em chamadas iniciais para o programa os médicos brasileiros não tenham apresentado grande interesse em participar. “Acredito que sim [as vagas serão ocupadas], até porque, no último edital que fizemos no ano passado, tivemos mais de 20 mil inscritos brasileiros. Depois, eles não foram para os lugares, aí utilizamos em uma segunda chamada o médico estrangeiro. Acreditamos que sim, já que essa é uma grande oportunidade.”

De acordo com o ministro, o governo federal vai atuar em parcerica com os municípios e a sociedade médica de uma maneira geral. “É uma ação que o governo federal vai capitanear, mas há um envolvimento de todos.” Segundo ele, ainda não foi definido um cronograma de saída dos profissionais cubanos do Mais Médicos.

“Não tem uma definição. Isso é uma decisão do governo de Cuba de retirá-los. Nós estamos trabalhando de forma emergencial, para que na medida em que o médico cubano saia, ele tem a decisão de sair, mas que a gente tenha outros profissionais brasileiros que possam ocupar este lugar.”

Inauguração

O Centro Especializado em Reabilitação (CER IV), inaugurado hoje (16), vai atender pacientes em quatro modalidades: física, intelectual, auditiva e visual. Para a construção da unidade e para a compra de equipamentos e materiais permanentes, o Ministério da Saúde repassou R$ 6,5 milhões.

Occhi ressaltou que no CER haverá espaço para recuperação auditiva, a visual e ortopedia. O município de Duque de Caxias conta com o CER II. O custeio anual dessa unidade é de R$ 1,6 milhão.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

5 comentários

  1. Só entre 2013 e 2017 o Brasil pagou à Cuba 7 bilhões e 100 milhões de reais no âmbito do Programa Mais Médicos. Funcionava assim: o Ministério da Saúde transferia à OPAS, que é um braço da OMS, o valor de R$11520,00 por funcionário, a OPAS repassava aos contratados cubanos cerca de R$3000,00 e a diferença, cerca de R$8520,00 ficava com a ditadura cubana, ou seja, Cuba embolsava cerca de 75% do salário de cada profissional do país pago pelo governo do Brasil, com o dinheiro dos pagadores de imposto brasileiros, claro!!!
    Tudo começou com a busca de Cuba por outra forma de financiamento, após o colapso da URSS. Em 1999, nove anos após Lula e Fidel Castro terem criado o FORO DE SÃO PAULO, Fidel fundou a ELAM, escola para produção em larga escala de médicos, que seriam então negociados com os governos membros do FORO… Tratados como propriedade da ditadura, os trabalhadores eram obrigados a passar férias em Cuba, e só podiam retornar ao Brasil, se seus parentes estivessem na Ilha, onde eram retidos como reféns! O objetivo era impedir que profissionais que atuassem no exterior fugissem, e deixassem de financiar a ditadura com a maior parte de seus salários…. A embaixada de Cuba em Brasília informou que os 8300 cubanos do mais médicos começarão a deixar o país à partir do dia 25 de novembro os médicos voltarão à sua prisão!!!
    Como ditadura nos olhos dos outros é refresco, os petistas reclamam contra Bolsonaro, por supostamente ter deixado milhões de brasileiros sem atendimento médico. O Ministério da Saúde, no entanto, já informou que a primeira chamada no edital para substituir os médicos cubanos será realizada ainda em Novembro!
    A posição de Bolsonaro foi elogiada em Washington, enquanto Venezuela, Bolívia, Cuba e Coréia do Norte condenaram Bolsonaro!
    O que dizer da ignorância das pessoas que vem aqui no D.V. criticar a posição de Bolsonaro contra a escravidão humana e defender a posição petista, que acha que se a escravidão dá dinheiro para países ditatoriais comunistas, então a escravidão é legal!
    Como diria o ex-Senador Mão Santa: “A ignorância é audaciosa!”…

    • O Bozo tem que se preocupar é com os brasileiros que ficarão sem atendimento médico (excelente atendimento, palavras de quem foi atendido por eles) , o que eles fazem ou deixam de fazer com o dinheiro que lhes é pago não é problema do Brasil, nós já temos nossas mazelas para resolver.

  2. Evangélico sim, trouxa não!

    O problema é que os nossos médicos não querem ir para os grotões do Brasil, eles querem ficar nos grandes centros e litoral, atendendo os políticos e quem mais tenha condições, já os necessitados continuarão sem atendimento médico, graças a uma decisão com viés puramente ideológico.

    • E por isso que quem foi patrocinado pelo Fies deve ocupar essas vagas já que eles não pagam o empréstimo mesmo tem muita gente devendo o Fies depois de formado e convenhamos 11 mil por mês to dentro se ninguém quiser kkkkkk

    • Ai sr.DOn Valentim você manda refugo para os grotões sem diplomas sem saber o que é e que se fodas o interior. E não tem condições e coragem de PUNIR o cara que se recusa a trabalhar pela Pátria
      Onde esta um FILHO SEU NÃO FOGEM A PÁTRIA. TU ÉS UM COVARDE COMO ELES QUE DEIXA DE SALVÁ UMA VIDA PÔR DINHEIRO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document