quinta-feira, 17 de outubro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Presidência descarta fechar fronteira com a Venezuela

Presidência descarta fechar fronteira com a Venezuela

Matéria publicada em 29 de agosto de 2018, 19:10 horas

 


Temer ainda não conseguir dar norte para caos criado na fronteira


Brasília – 
A Presidência da República informou nesta quarta-feira (29) que o governo não pretende limitar o ingresso de venezuelanos, por Roraima, a partir da distribuição de senhas. Também negou a possibilidade de fechamento da fronteira com a Venezuela, como defendem algumas autoridades de Roraima.

A alternativa de distribuição de senhas foi cogitada pelo presidente Michel Temer em entrevista ontem à Rádio Jornal, de Pernambuco. Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República informou que o mecanismo das senhas “visa a aprimorar um processo de atendimento humanitário em Roraima, o que não pode ser confundido, em hipótese alguma, com fechamento à entrada de venezuelanos no Brasil”.

Pela manhã, Temer mencionou a possibilidade de adotar o uso de senhas para organizar a entrada de venezuelanos no Brasil. Segundo ele, a medida teria como objetivo estruturar a situação em Roraima. Pelas estimativas oficiais, de 800 a 700 imigrantes venezuelanos entram no Brasil por Roraima todos os dias.

O comunicado da Presidência da República informa ainda que o governo ao promover a interiorização dos venezuelanos busca “melhorar os mecanismos de controle” para que se tornem “mais eficientes no atendimento aos refugiados”. Porém, ressalta que há uma preocupação também de “preservar as estruturas de atenção às famílias brasileiras”.

Veja a íntegra da Nota à imprensa:

“O governo federal esclarece que a “possibilidade de distribuição de senhas” a que o presidente da República, Michel Temer, referiu-se na entrevista à Rádio Jornal de Pernambuco, nesta quarta-feira (29), visa a aprimorar um processo de atendimento humanitário em Roraima, o que não pode ser confundido, em hipótese alguma, com fechamento à entrada de venezuelanos no Brasil.
Uma vez que o presidente determinou que se intensificasse a interiorização, impõe-se melhorar os mecanismos de controle, torná-los ainda mais eficientes no atendimento aos refugiados e, ao mesmo tempo, preservar as estruturas de atenção às famílias brasileiras”.

Por Marcelo Brandão, da Agência Brasil.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar
    Meu nome é Zé Pequeno!

    Nada contra os “refugiados”, mas o povo brasileiro também está “carente” de tudo.
    Algum leitor consegue “ver” mais longe o motivo deste acolhimento dos “irmãos venezuelanos “em plena crise econômica nossa e quais os antecedentes criminais daqueles que estão vindo para cá?

Untitled Document