sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Presidente diz que alíquota do imposto de renda poderá ser reduzida

Presidente diz que alíquota do imposto de renda poderá ser reduzida

Matéria publicada em 4 de janeiro de 2019, 14:26 horas

 


Brasília- O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (4) que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve anunciar a possibilidade de diminuir o teto da alíquota do Imposto de Renda da Pessoa Física, de 27,5% para 25%. “Porque o nosso governo tem de ter a marca de não aumentar impostos”, afirmou.

Perguntado, Bolsonaro disse que o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) já foi assinado, mas “para quem tem operação fora”. Segundo ele, a medida foi necessária “para poder cumprir uma exigência de um projeto aprovado [pelo Congresso] nesse sentido, como pauta bomba, contra a nossa vontade”.

O presidente afirmou que “o percentual [de aumento] é mínimo, uma fração”.

Bolsonaro falou com a imprensa após participar de cerimônia de transmissão do comando da Aeronáutica para o tenente brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, na Base Aérea de Brasília.

Reforma da Previdência

Bolsonaro também disse que o governo deve apresentar a proposta para a reforma da Previdência ainda este mês. “Vamos aproveitar o que está na Câmara. A última proposta minha é aproveitar. Ela [a reforma] está num espaço temporal que termina em 2030. Tudo aquilo que é para entrar em vigor até o final de 2022, essa é a última ideia que eu quero ver se a gente consegue colocar em prática e compor com o Parlamento já que a proposta está lá. Seria como está na proposta agora, 62 anos para os homens no final de 2022. E para mulheres, de 55 para 57 [anos].”

Em entrevista ao SBT ontem (3), Bolsonaro disse que a proposta de reforma da Previdência em discussão no governo prevê a idade mínima de 62 anos para os homens e 57 anos para as mulheres com aumento gradativo. Segundo Bolsonaro, seria mais um ano a partir da promulgação e outro em 2022, mas com diferenças de idade mínima de acordo com a categoria profissional e a expectativa de vida.

*Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Já foi Explicado essa situação, Onix lorenzoni veio a público falar que bolsonaro assinou um documento achando que era uma coisa era outra, que não haverá aumento de impostos kkkk Agora entendi porque ele nunca ia aos debates

  2. Poderá já foi desmentida pelo moço do caixa 2,o brasileiro e a sua sina de votar em despreparados.

  3. A trama para colocar o Temer na presidência foi justamente para que ele tomasse as medidas amargas para o povo, e assim o seu sucessor, que na época do impeachment tinham o Aécio como favorito, não tivesse que tomar medidas impopulares e garantir a reeleição em 2022. Como o emedebista não cumpriu tudo que prometeu aos seus “patrocinadores”, o novo presidente, que acabou sendo um extremista de direita, que ainda nem sabe o que fazer no atacado, vai ter que ir mordendo e assoprando no varejo para não tornar a sua reeleição inviável.
    Porém já providenciou um agrado para as classes de cima, reduzindo a alíquota mais alta do IR, afinal são eles os bons financiadores de campanha, principalmente nas redes sociais, não é TSE?

Untitled Document