sábado, 20 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Site aponta que Câmara registrou visita de Adélio no mesmo dia do atentado contra Bolsonaro

Site aponta que Câmara registrou visita de Adélio no mesmo dia do atentado contra Bolsonaro

Matéria publicada em 19 de setembro de 2018, 19:39 horas

 


Documento divulgado pelo O Antagonista mostra Adélio na Câmara no dia do atentado


Brasília –
O site “O Antagonista” divulgou um ofício da Polícia Legislativa informando a existência de dois registros de entrada de Adélio Bispo de Oliveira na Câmara dos Deputados, no dia 6 de setembro. A data é a mesma do atentado contra Jair Bolsonaro e o agressor teria de estar em dois lugares ao mesmo tempo, pois o ataque foi em Juiz de Fora-MG.

O site aponta que o documento oficial foi enviado ao terceiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara, que atendeu à solicitação do “O Antagonista” por todos os registros de visitação de  Adélio.

“Constatou-se a existência de mais dois registros de entrada referentes à pessoa do Senhor Adélio, ambos datados do dia 6 de setembro de 2018, dia em que fora efetuada sua prisão no estado de Minas Gerais em decorrência do atentado ao deputado Bolsonaro”, escreveu o diretor Paul Pierre Deeter.

Como é impossível Adélio ter estado na Câmara, Deeter desconfia de que os registros tenham sido forjados. Ele determinou a abertura de uma investigação interna para “averiguar as circunstâncias nas quais se deram os supostos registros”. E também pediu a decretação de sigilo.

Há duas semanas, “O Antagonista” havia obtido a confirmação de uma visita de Adélio ao Anexo IV no dia 6 de agosto de 2013. Não foi possível, porém, saber o destino do criminoso nas dependências legislativas – se esteve em algum gabinete parlamentar, por exemplo.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. tem que aprofundar as investigações, sim senhor.

    parece que estavam querendo criar um álibi para o jagunço, e, se ele não fosse preso em flagrante, escaparia ileso.

    haveriam muitos que diriam que o viram transitando na Câmara dos Deputa dos.

  2. Fica claro que existe uma organização criminosa por trás do assassinato que falhou. Será que irão confundir trocando a identidade do criminoso, cria do PSOL? Para livrar o PSOL e outros partidos de esquerda da autoria do atentado?

    A PF diz que o computador de última geração não era usado há 1 ano, assim como os 4 (QUATRO) celulares com acessos a internet tbm não eram usados. Legal, né?

Untitled Document