terça-feira, 20 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / TSE vai julgar contas da campanha de Bolsonaro no dia 4 de dezembro

TSE vai julgar contas da campanha de Bolsonaro no dia 4 de dezembro

Matéria publicada em 24 de novembro de 2018, 09:31 horas

 


Brasília – O julgamento das contas de campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deve ocorrer no próximo dia 4 de dezembro. A aprovação é necessária para que a diplomação de Bolsonaro e do vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, ocorra no dia 10 de dezembro, conforme acertado entre o TSE e a coordenação da transição de governo.

O relator do processo no TSE, ministro Luís Roberto Barroso, determinou que a campanha de Bolsonaro apresentasse uma prestação de contas retificadora para esclarecer inconsistências na documentação entregue anteriormente ao tribunal. A prestação retificadora e os documentos complementares foram protocolados no TSE na semana passada.

Segundo o TSE, todos os candidatos a presidente da República entregaram as relações de receitas e despesas de campanha dentro dos prazos estipulados pela legislação eleitoral. Porém, balanço feito pelo TSE mostra que, dos 28.070 candidatos que concorreram em outubro, somente 20.546 entregaram à Justiça Eleitoral as prestações de contas de campanha – 73,2% do total.

Os prazos para apresentar a movimentação financeira da campanha, no primeiro e no segundo turnos, já se encerraram, mas ainda estão pendentes 7.524 prestações de contas. De acordo com o TSE, a Justiça Eleitoral vai cobrar a prestação de contas, dando prazo de 72 horas para a apresentação dos documentos, a partir da notificação.

Dos 203 candidatos a governador, 190 entregaram os documentos, o que representa 93,6% do total. O índice de prestação de contas entre os candidatos ao Senado é de 88,1% e à Câmara dos Deputados, 74%.

Entre os que concorreram a deputado estadual, 72% entregaram as contas de campanha. Esse índice chegou a 77,7% em relação aos que disputaram uma das 24 vagas de deputado distrital.

O TSE julga as contas de campanha dos presidenciáveis, cabendo aos tribunais regionais eleitorais a análise da movimentação financeira dos candidatos a governador, senador, deputado federal, estadual e distrital.

Segundo o TSE, os candidatos com pendências na prestação de contas não recebem a certidão de quitação eleitoral enquanto perdurar a omissão. Já os partidos que não prestarem contas podem ter suspensa a cota do fundo partidário.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Avatar

    O porco é o Decacampeão ,chupa mulambo.Festa no chiqueiro, silêncio na favela.

  2. Avatar

    Barramansuino, chora no chiqueiro que é lugar quente.porco comunista kkkk.

  3. Avatar
    Carlos Magno de Oliveira

    Caro vulgo Morador de BM, você com certeza deve ser um analfabeto que não sabe interpretar texto, se você ler direito verá que esta escrito que ficou os dois piores para o segundo turno.
    Minha luta sempre foi para alcançarmos um pais livredo domínio dos exploradores que estão no comando desta república a 54 anos pós golpe militar.
    Vivemos na ilusão de estarmos em um país soberano.
    Nunca dependi de cargos ou verbas públicas e tenho honradez, carater e coragem de expor a nossa triste realidade.

  4. Avatar

    Pombo só faz merda ,transmite doença e não serve para nada.

  5. Avatar

    Inconsistência será a palavra mais usada no Brasil nos próximos anos.

  6. Avatar

    O TSE vai julgar também as contas do Haddad ?

  7. Avatar

    O choro é livre petralhas kkkkkkkk

  8. Avatar

    Pra inglês ver.

  9. Avatar
    Carlos Magno de Oliveira

    Julgar para que? Não interviram em nada sobre o apoio maciço dos fake News financiados por fontes não declaradas.
    Fizeram vista grossa para as diversas irregularidades praticadas nas divulgações diárias dos índices manipuladores de pesquisas eleitorais e colocaram no segundo turno os dois piores candidatos a presidência.
    Somos mesmo fadados a sermos um país de escravos sonhando com a verdadeira independência desta nação.

Untitled Document