quarta-feira, 19 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Uma em cada 3 disciplinas é dada por professor sem formação específica

Uma em cada 3 disciplinas é dada por professor sem formação específica

Matéria publicada em 31 de janeiro de 2019, 12:10 horas

 


Pelo menos uma em cada três disciplinas nas escolas do Brasil é ministrada por professores sem formação. (crédito AB)

Brasília – Pelo menos uma em cada três disciplinas nas escolas do Brasil é ministrada por professores sem formação específica, de acordo com dados do Censo Escolar divulgados hoje (31) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A porcentagem varia de acordo com a etapa de ensino. No ensino médio, 61,9% das disciplinas são dadas por professores licenciados na mesma área. Já no ensino fundamental, essa porcentagem é 58%.

Nos anos iniciais do ensino fundamental, do 1º ao 5º ano, 63,1% das disciplinas são ministradas por professores com licenciatura na mesma área. Nos anos finais, do 6º ao 9º ano, a porcentagem cai para 51,7%, o que significa que quase a metade das disciplinas é dada por professores que não são formados especificamente na área lecionada.

A situação muda de acordo com a região do país. A maior parte das disciplinas ministradas por professores com formação específica está no Sudeste, onde todas as etapas contam com pelo menos 67% das aulas com professores mais preparados.

Já a Região Nordeste reúne os piores indicadores. Nos anos finais do ensino fundamental, a porcentagem de disciplinas com professores com formação para ministrá-las chega a apenas 33,6%, nos anos finais do ensino fundamental.

Estrutura das escolas

O Censo traz ainda dados sobre a estrutura física das escolas. Os dados mostram que 63,4% das escolas públicas têm acesso à internet. Entre as particulares, o percentual chega a 96%, no ensino fundamental. No ensino médio, essas porcentagens são respectivamente 93,6% e 98,7%.

Apenas 8% das escolas públicas de ensino fundamental e 38,8% de ensino médio têm laboratório de ciências. Nas privadas, esse percentual chega a 26,3% no ensino fundamental e 57,2% no médio.

Pouco mais da metade (51,2%) das escolas do país têm bibliotecas ou salas de leitura. Entre as escolas públicas, esse percentual é 45,7% e, entre as particulares, 70,3%. Pela Lei 12.244/2010, todas as escolas do país devem ter biblioteca até 2020. A lei diz ainda que essas bibliotecas precisam ter, no mínimo, um livro para cada aluno matriculado.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    Apesar de tudo isso, de todas essas mazelas de que somos informados no nosso dia a dia, quero deixar aqui o meu agradecimento a todos os professores desse nosso país. Quero também parabeniza-los, dizer a todos eles que são muito valentes e que são verdadeiros heróis nacionais. Não é fácil. Nunca foi tão difícil ser professor nessa nossa terra. Um país onde a maioria da população dá a mínima para o conhecimento, para a busca de cultura e para o esforço necessário e gratificante que é o de ao final de um curso, poder olhar para trás e dizer : ” …Valeu a pena. Contra tudo, venci. Consegui.” De novo. Parabéns aos nossos professores.

  2. Avatar

    Essas escolas vão é deixar os estudantes entediados por serem obrigados a ficarem na escola. Na primeira oportunidade de saírem não voltam mais. Ninguém gosta de ficar preso.

    Quem está fora vai correr dessas escolas.

    Os jovens precisam ser conquistados para fazerem algo. Precisa-se convencê-los que para terem um futuro precisam estudar e se profissionalizar. Mas só isto não basta. É preciso de oferecer-lhes garantias para as suas conquistas, como por exemplo, num concurso público limitar inscrições somente de candidatos com nível superior ou universitários. O candidato que estiver fora desses requisitos, tbm estará fora da oportunidade.

    Outro exemplo é para vendedores. Não aceitar candidatos que não tiverem no mínimo conhecimento de logística ou marketing.

    Outro exemplo é para cargos púbicos. Os eleitores deveriam descartar qualquer candidatos que não tivesse formação superior em Administração Pública.

    Agora se aceitar qualquer um para ocupar um cargo, é bagunça e incompetência certa. Vejam nesta matéria. Aceitam qualquer professor para ministrar uma disciplina.

    Não pode dar certo.

    Já imaginou o Diário do Vale contratar Administrador Público para trazer notícias para os seus eleitores?

  3. Avatar

    É lamentável a situação do ensino brasileiro, pois dentro da sala de aula só há ideologização política e desorganização! Para começar a melhorar temos que aprovar em primeiro lugar a “escola sem partido”.
    Depois devemos implantar a meritocracia nos colégios, onde os professores devem ser testados a cada cinco anos para verificar o conhecimento que eles tem da matéria, além do mais seria necessário aprovar uma lei federal de que todo filho de político, ou seja, de vereador à Senador da República seja obrigado a estudar numa escola estadual!
    Outra atitude seria dar um mandato de dez anos para o professor, ou seja, depois desse período ele seria obrigado a assumir um outro emprego! Essa atitude faria com que o professor procurasse se atualizar todos os dias e se interar do mercado de trabalho!
    Outra atitude seria adotar o regime militar dentro da sala de aula, pois na guerra do conhecimento estamos perdendo para vários países, logo, nada como a boa e antiga pedagogia militar para colocar ordem na sala de aula!

Untitled Document