domingo, 21 de julho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Opinião / Educação e civilidade faltam a parlamentares federais

Educação e civilidade faltam a parlamentares federais

Matéria publicada em 9 de julho de 2019, 22:34 horas

 


Júlio César Cardoso

 

Lamentável confusão foi a sabatina do ministro Sérgio Moro na Comissão de  Constituição de Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, dia 02/7, quando o deputado Glauber Braga (Psol-RJ) ofendeu o ministro.

Educação e civilidade são o mínimo que se espera de um parlamentar. A imunidade parlamentar do deputado Glauber Braga não  tem caráter absoluto a ponto de poder ofender quem quer que seja com palavras difamatórias e caluniosas, dentro do Parlamento.

O deputado Glauber Braga comete abuso de autoridade. Ele extrapola os limites de sua imunidade parlamentar ao chamar o ministro da Justiça Sérgio Moro de corrupto e ladrão. A imunidade parlamentar material do deputado não é absoluta.

O Art. 53 da Constituição Federal ao estabelecer a imunidade parlamentar não confere direito ao parlamentar de partir para ofensas jurídicas, como o fez o deputado Glauber Braga, pois a liberdade de opiniões, palavras e votos tem que ter conexão com a sua função de parlamentar. E não é da função parlamentar irrogar acusações levianos, sem provas, contra ninguém.

O deputado deveria ser punido pelo Conselho de Ética, com a  perda de mandato, por ofender gratuitamente o ministro da Justiça Sérgio Moro, o qual espontaneamente compareceu ao Congresso para prestar esclarecimentos e não para ser  vilipendiado. Sérgio Moro não é investigado ou acusado de nenhum crime.

Políticos descorteses e mal-educados do  naipe do deputado Glauber Braga comprometem a imagem do Congresso  e revelam não ter estatura  ética e moral de pertencer  ao Parlamento brasileiro.

O deputado Glauber Braga é muito atrevido ao se valer do mandato para difamar  alguém, e age assim covardemente por se achar protegido por relativa imunidade parlamentar.

Mas o deputado não passa de um pitbullzinho vira-lata, que só sabe latir enturmado com a matilha da esquerda comunista e petista.

Mas, afinal, quem é o ladrão? Segundo dados da mídia nacional, o deputado Glauber Braga em 4 anos teve o seu patrimônio aumentado em 360%. Qual foi a mágica empregada pelo deputado?

 

Júlio César Cardoso é servidor federal aposentado

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    Eta povinho,eu sei o que você fez no verão passado!!!!!!!!

  2. Avatar

    O administrador de araque que mal cuida da própria vida poderia citar se fosse homem,as suas escolhas partidárias em níveis , municipal,estadual e federal.

  3. Avatar

    Será que ele estava mencionando o caso Banestado?

  4. Avatar
    Escritório do crime

    Falou na lata igual fez com o Cunha e o final deste todo mundo sabe!!!!!

  5. Avatar

    Ele representa os seus eleitores. Quem votou nele deve ser do mesmo naipe ou da mesma matilha. (TRADUÇÃO: PETISTAS e demais comunistas)

  6. Avatar

    Perfeita análise! Excelente explanação dos fatos!
    O tal ‘deputado’ já tinha mostrado sua insensatez e mediocridade quando lutou contra a escola sem partido!
    O que dizer desses ‘deputados’ comunistas que por não terem argumentos racionais para defender suas idéias usam da arma das falsas acusações, dos cuspes, mentiras e falsos argumentos?!
    Como diria o judeu Einstein (odiado pelos comunistas): “Há duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana…”.

  7. Avatar

    Minhas palavras. Assinei em baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document