sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Opinião / O DNA da alma dos serviços médicos

O DNA da alma dos serviços médicos

Matéria publicada em 27 de novembro de 2019, 23:06 horas

 


Luiz Paulo Tostes Coimbra

O fundamento da existência da Unimed como uma cooperativa de trabalho médico é o de gerar, com sustentabilidade, serviço e renda para nossos médicos cooperados e contribuir para o desenvolvimento da medicina no Brasil. Essa é a nossa bandeira principal, nosso DNA.
Fazemos parte de um sistema cooperativista, a maior experiência da área de saúde no mundo. Para nós, o cooperativismo é mais que um modelo de negócio, é uma mudança de pensamento onde o individual dá lugar ao coletivo, sem perder a individualidade. É nisso que acreditamos e por esse motivo aderimos ao movimento Somoscoop, idealizado pelo Sistema OCB e que tem como objetivo fortalecer o cooperativismo no país.
Cuidar das pessoas é a nossa essência, aquilo que nos motiva a inovar e oferecer um atendimento de qualidade aos nossos clientes. Por isso, criamos um hospital que é referência para o interior do Rio de Janeiro e Vale Paraíba que já realizou milhares de cirurgias bem-sucedidas. Esse resultado é fruto do investimento contínuo em profissionalização, pessoas, infraestrutura e tecnologia. E prosseguimos avançando: em 2020, já está prevista a inauguração da ampliação do nosso hospital. Com a conclusão da obra, a unidade hospitalar ganhará mais 117 leitos, totalizando 262.

Por outro lado, estamos enfrentando enormes desafios para que os benefícios atendam a todos os pacientes. Há uma crescente demanda por serviços médicos, pois, felizmente, a expectativa de vida do brasileiro não para de crescer. Porém é fundamental que se consiga agregar qualidade aos anos adicionais de vida. No Brasil, o número de idosos acima dos 60 anos de idade passou de três milhões em 1960 para sete milhões em 1975, atingiu a marca de 14 milhões em 2002 (um aumento de 500% em 40 anos) e deve ser de 32 milhões em 2020. Em países desenvolvidos da Europa, foram necessários mais de cem anos para que a população idosa dobrasse de tamanho. Um dos resultados dessa dinâmica é a demanda crescente por serviços médicos. Segundo o IBGE, um brasileiro nascido no ano de 2012 poderá viver até os 74,6 anos e, em 2030, esta expectativa deve chegar a 78,33 anos ou um pouco mais. Ou seja, a cada dez anos, estamos ganhando até quatro anos de longevidade. Tudo isso graças à evolução das tecnologias médicas e do maior acesso da população às informações sobre cuidados com a saúde. Essa é a oportunidade que temos de oferecer vida com qualidade para quem quer viver mais e melhor. E é nisso que acreditamos. Nosso propósito é cuidar da saúde e bem-estar das pessoas e investimos continuamente em ações com este objetivo. Aderimos ao movimento nacional Mude 1 Hábito que foi criado pela Unimed do Brasil para incentivar as pessoas a adotarem hábitos mais saudáveis. E não vamos parar por aqui.
O mercado está cada vez mais competitivo. É imprescindível que as organizações inovem, antecipem-se a tendências. Não há como esperar resultados diferentes quando há acomodação e repetição do que é feito há anos e anos. A Unimed Volta Redonda, por exemplo, antecipou-se às tendências mundiais de prevenção e criou o Centro Cuidar, unidade de Atenção a Saúde que acompanha os clientes/pacientes, proporcionando qualidade de vida e promoção de hábitos saudáveis, prestando assistência e cuidado. A unidade é um importante elo de nosso processo de crescimento. Na atualidade, há um movimento para que planos de saúde e hospitais ofereçam opções diferenciadas de bem-estar, prevenção, reabilitação e gerenciamento de doenças crônicas. Nós estamos na vanguarda desse movimento.

Luiz Paulo Tostes Coimbra é presidente da Unimed Volta Redonda


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document