segunda-feira, 26 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Opinião / Os arpões do mal

Os arpões do mal

Matéria publicada em 7 de junho de 2019, 22:20 horas

 


José Mauricio de Barcellos

 

Terminei meu último artigo concluindo que os princípios e valores dos bons cidadãos bem como também o amor à Pátria os levaram à liderança de Bolsonaro que acaba sendo, por sua vez, o grande alvo da perversa sanha da esquerda delinquente ou da direita bandida posto que ele não trai o povão, não se rende à politicagem nacional e não capitula nunca ante a pressão dos poderosos. Gosto de enfatizar esse atual aspecto da vida nacional para que todos aqueles que se entregaram aos governos de Sarney a Temer incensando-os, não se esqueçam de que são também culpados pela desgraça que se abateu sobre este País, mas também saibam que podem se redimir.

Não sei o que farão. Aquelas pessoas foram de tal maneira envenenadas pelo ódio comunista e pela sórdida enganação socialista que têm enorme dificuldade de mensurar a estrada de sofrimento e de dor que vêm trilhando e de enxergar um novo caminho ou uma saída qualquer, porque ainda estão doentes. Eu, entretanto não desisti e não desisto de compatriota algum e por isso mesmo travo essa luta sem trégua contra os maus que os idiotizaram. Certamente um dia haverá um só povo, liberto das divisões, sem privilegiados, respeitosamente plural e de um país onde todos tenham igual oportunidade de viver com honra e dignidade. Como dizem agora os jovens: “Brasília já deu e seus palácios ou palacianos já eram!”.

As lições das santas Escrituras se explicitaram nos compêndios teológicos: “não é o pecador que se combate, mas o pecado”. Espero sempre que os filhos desta Terra de Santa Cruz que um dia andaram desgarrados nas mãos da esquerda nociva recitem o “mea-culpa” e marchem ao lado dos patriotas principalmente agora quando talvez seja a exata hora da maior e da mais importante chance de o Brasil que surgiu nos últimos cem anos, se firmar perante o mundo como Nação livre, soberana, rica e verdadeiramente democrata.

Ocorre que não será fácil porque se pelo nosso lado há clara e manifesta sinceridade de propósito, todavia pelo lado dos contras existe um único objetivo: promover o retorno do antigo stablishement que sustentou até o limiar deste novo governo a grande ineficiência, todo o roubo, toda malversação, e todos os privilégios e benesses da vermelhada e dos chupins da máquina pública. A sorte que temos é que “Il Capo” das antigas quadrilhas que tomaram o Brasil de assalto nos últimos 30 anos – Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma, Temer – e seus rebentos ou seguidores ainda atuantes, presos ou soltos (Zé Dirceu, Haddad, Alkmim, Ciro, Cunha, Cabral, Moreira, Hoffman, Moulon, Fegalis, Boulos, etc.) são tão vagabundos e rastaqueras que, além de emporcalhar e tentar solapar a vida política do País, não conseguem efetivamente ser mais do que isso ou ir além do que vêm dando.

Conhecemos aquela trupe de longa data. Agora finalmente está sendo exibido, sem rodeios e sem disfarces, o mal que fizeram ao Brasil. Com convicção digo que desde as tais invasões de propriedades custeadas com dinheiro do erário até o pagamento com dinheiro público de milhares de Ong’s com seus milhões de beneficiários, todo esse malfeito há que ser colocado na conta daquela gente que diuturnamente trama, urde e ataca a “Nova Ordem”, inclusive o maldito empreguismo desenfreado, sempre acoitado pelas odiosas corporações da máquina governamental. Sendo desta maneira, então porque a esta altura dos acontecimentos ainda tem quem defenda a vermelhada ou a direita bandida, ambas já escorraçadas de dentro do Planalto e rejeitada pelo povo nas ruas?

Quer porque aquela gente continue a persistir no erro por questões de sobrevivência, quer porque seus tolos seguidores e simpatizantes que vivem do erário, direta ou indiretamente, morrem de medo de perder a boca, pois não sabem viver sem ser sustentado pelo Estado, não nos resta alternativa senão combater todos diariamente. Se os deixarmos soltos vão nos meter um punhal nas costas, sem dó nem piedade.

Percebam o que estava (e ainda está) acontecendo. Depois que o Capitão assumiu e começou a trabalhar com sua fantástica equipe, o mesmo Supremo que antes fechava os olhos para os crimes de lesa pátria praticados pelos ex-presidentes que cevaram a banda podre dos Tribunais Superiores (Lula e Dilma) e bem tipificados pelos roubos dos cofres do BNDES para entregar o dinheiro suado de nossa gente para ditadores sanguinários da “América Latrina” e da África, decidiu, hoje, legislar, despudoradamente, para impedir os avanços sociais propostos pelo governo eleito, bem como para manter o Estado inchado, usurpador e incompetente, tanto quanto para defender os privilégios dos mandarins, dos príncipes e nababos da vida pública. Por isso, nas últimas manifestações, o povo o chamou de “vergonha nacional”.

E mais, o mesmo lado negro do Congresso Nacional – que Bolsonaro desconsiderou durante a campanha cívica que o consagrou e perante os quase 60 milhões de patriotas que o elegeram, ao invés de se postar de cabeça baixa e com as mãos para trás – como cabe a qualquer malfeitor – diante do líder e em contrita reverência aos milhões e milhões de homens do bem que o elegeram, agora se agrupa nos cantos e nos guetos de Brasília para: i) covardemente solapar qualquer iniciativa vinda do Planalto; ii) atacar qualquer membro de sua equipe ministerial; iii) se infiltrar como se fosse o vírus maligno da discórdia e da cizânia nas hostes governamentais ou para, com o incondicional apoio e incentivo da extrema imprensa, tentar destruir o Capitão e toda sua família. Por isso há meses que nada mais andava, tudo emperrou, a balburdia rondava o Planalto e o mal conjurava o novo governo. O povão viu isso a tempo e, não obstante a tentativa solerte de algumas entidades sociais que já haviam retirado as capas de cordeiros, foi para as ruas. O tranco foi muito forte. Os bandidos sentiram o golpe caíram na lona, mas é preciso continuar a combater e todo santo dia pelas Redes Sociais. Em outras ocasiões teremos que voltar para as ruas novamente e tantas quantas se fizerem necessário. Vigiem!

O resultado é que depois de 26 de maio o Movimento Revolucionário Popular de 2018 – MRP 2018 – disse mais esta vez a que veio e, de lá para cá ocorreu que a banda podre do STF já levou uma trancada dos demais Ministros na questão da privatização e mais o seguinte: 1) Rodrigo Maia aceitou (muito a contragosto) que a votação da MP 870 fosse nominal, dando causa à derrota da proposta de criação de mais dois ministérios que seriam feudos políticos bem como também a derrocada da pretensão de retirar dos Auditores Fiscais da Receita Federal o poder de denunciar crimes comuns; 2) de igual forma Rodrigo Maia – vulgo botafogo nas planilhas da propina da Odebrecht e da OAS – recuou da tentativa de extorsão com a qual ameaçava o Governo de impedir a votação do crédito suplementar de 250 bilhões para pagar os aposentados, antes combinada como PT e o PSOL que sonhavam com uma pedalada fiscal com que deflagrariam o impeachment de Bolsonaro; 3) o mesmo RM com cara de debiloide depois do grito das ruas, recuou e se comprometeu colocar na semana seguinte a reforma da previdência na “Comissão Especial” da Câmara e em seguida de levá-la ao Plenário sem mais delongas; 4) também o tal RM com jeitão de “João Teimoso” deixou de manobrar contra o “Decreto de Armas” do Capitão e se comprometeu a não atrapalhar a tramitação da “Reforma do Código de Trânsito” que, atendendo a vários anseios da população, extingue os feudos petistas dos DETRAN’s no País inteiro e atira para matar na famigerada indústria das multas que forniam de dinheiro suado dos caminhoneiros as algibeiras dos PT e do PMDB, há muitas décadas.

O excepcional professor Paulo Guedes, Ministro da Economia de Bolsonaro – que mais uma vez foi acossado e destratado pela esquerdalha desclassificada, desta feita na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara Federal onde foi convidado para falar do “Projeto da Nova Previdência” – além de deixar escancarado que como cidadão, profissional e economista se situa a muitos anos luz acima da escumalha de FHC a Temer – aos quais se deve além de tudo o mais o atual desastre da Previdência Social no Brasil – ensinou a todos, didaticamente, que o Brasil se assemelha a uma baleia ferida que foi sangrando e sangrando e que agora está imóvel, encalhada, por causa das centenas de arpões fincados, nos últimos 30 anos, pelos patifes da esquerda. Disse o Ministro: “Precisamos retirar os arpões. Consertar o que está errado.” Com a devida vênia do Mestre, ouso acrescentar que também se faz imprescindível, urgente e inafastável mirar na cabeça dos predadores que nadam em volta do enorme cetáceo para, ao fim e ao cabo, dilacerá-la aos pedaços antes de fugirem para as profundezas de seus abismos do mal, protegidos pelo que ainda resta do Foro de São Paulo e com o respaldo da Internacional Socialista. É nisto que temos que nos concentrar nas próximas manifestações do MRP 2018.

 

José Maurício de Barcellos, ex Consultor Jurídico da CPRM-MME, é advogado. (E-mail: bppconsultores@uol.com.br).


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

5 comentários

  1. Avatar

    A angustiada estava sumida, possivelmente em tratamento psiquiátrico a base de Rivotril.

  2. Avatar

    É evidente que a geninha não viu, não sabe, não vai saber nunca sobre o FATO do Lula ter entregado 50 bilhões de reais para países ditatorias, que não estão pagando as parcelas! Quem vai pagar o pato?!
    É evidente que para qualquer pessoa com mais de cinco neurônios esse FATO é evidente um crime internacional, que tranforma o Lula num criminoso internacional! Mas a geninha não atingiu os cinco neurônios, digamos que ela tem dois neurônios, logo é claro que ela não pensa direito, logo para ela Moro é criminoso, mas Lula deve ser solto!
    Geninha é aquela que no frio de 5 graus de manhã em Curitiba, fica na frente da polícia federal gritando “Bom dia presidente!”… E quando chega seis horas da tarde, ela naquela voz de taquara rachada grita “Boa noite presidente!”… Isso é constrangedor, pois a população curitibana é muito educada, e geninha ainda fica dizendo: “eu sou do Rio de Janeiro, sou de Volta Redonda!”… Imagine o que isso faz para o turismo da cidade de Volta Redonda… Nenhum paranaense passará por essa cidade!
    O que dizer da Geninha que defende o maior criminoso do Brasil e ataca nosso herói nacional?!
    Como cantaria o cantor Chico Buarque: “Joga pedra na geni…, joga pedra na geni…. maldita geni…”.

  3. Avatar

    Só se esqueceu do Queiroz, da Familicia Bozzonaro, das laranjadas políticas do partido do Mito, dos laço amigáveis com o Papa Mike acusado de matar a vereadora. Pelo visto a revoltinha é seletiva. Há, só p lembrar; o herói miojo está enrrascado, um site americano vai divulgar um monte de conversa do miojo c o seus párias a respeito da Vaza Jato, já tem figurão q não vai dormir está noite.kkkkkkkkk

  4. Avatar

    As desculpas de sempre dos incompetentes.

  5. Avatar

    Correto. Pena que para despetizar o país e acabar com o zeitgeist do século passado. Modernizar as relações do estado com a economia, receio que levará uns 50 anos. O Brasil sempre esteve 1.000km atrás dos países desenvolvidos. Protecionismo do mercado, leis arcaicas e um sistema público ineficiente e inchado. O estado se tornou um elefante doente que não consegue se levantar. O remédio está nas mãos do congresso. Se não for utilizado, o elefante morre.

Untitled Document