terça-feira, 7 de dezembro de 2021 - 12:43 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Chuva eleva nível do Rio Paraíba para 4,1m em Barra Mansa

Chuva eleva nível do Rio Paraíba para 4,1m em Barra Mansa

Matéria publicada em 28 de outubro de 2021, 12:03 horas

 


Defesa Civil monitora áreas de risco devido às chuvas

Barra Mansa – Devido ao acumulado de chuva que atingiu a região nos últimos dias, o nível do Rio Paraíba do Sul subiu de 2,5m para 4,1m, na manhã desta quinta-feira, 28, em Barra Mansa. A cheia do Paraíba provocou vários pontos de alagamento. De acordo com a Defesa Civil, os bairros atingidos são: Santa Maria II, Vila Maria e Vista Alegre, além da Vila dos Remédios, no distrito Floriano. Equipes do órgão monitoram as áreas consideradas de risco.

“Registramos um acumulado de 40,8mm de chuvas, por isso, o Rio Paraíba do Sul teve o nível elevado; sem contar os afluentes que desembocam nele – o Barra Mansa e o Bananal. Nossas equipes estão monitorando as áreas com risco de alagamento, mas a tendência é de estabilização. A represa do Funil também está operando com a vazão mínima”, explica o coordenador de Defesa Civil da cidade, João Vitor da Silva Ramos.

Técnicos do órgão ressaltam que o período de maior incidência de alagamentos e deslizamentos em Barra Mansa é entre novembro a março, devido a ocorrência de chuvas mais volumosas e recorrentes. Equipes da Defesa Civil já vistoriaram e testaram as oito sirenes de alerta instaladas em áreas de risco na cidade, bem como foi verificada a sinalização das rotas de fuga em tais localidades, além de definidos pontos de abrigo para quem necessitar de acolhimento.

João Vitor ainda destacou que a cidade desenvolve um Plano de Contingência anual que envolve todas as Secretarias Municipais. “Prevemos todas as ações diante de possíveis ocorrências ao longo do ano, como deslizamentos e alagamentos, comuns entre novembro e março, devido ao aumento do índice pluviométrico. Nossa cidade é cortada por três rios (Paraíba do Sul, Barra Mansa e Bananal) e possui muitas construções em áreas irregulares – acima ou abaixo de encostas. Por isso, situações de urgência são mais recorrentes em período de chuvas intensas”, explicou.

Orientações 

Além das ações do governo municipal, a população, a Defesa Civil orienta moradores para medidas de prevenção e diminuição de possíveis danos, entre elas, atenção em relação ao descarte correto do lixo.

“Além de serem grandes criadouros do mosquito Aedes aegypti, que transmite doenças como a dengue, o lixo descartado em lugares impróprios pode comprometer o escoamento da água da chuva, entupindo bueiros e causando alagamentos. O depósito de materiais de construção nas calçadas e ruas deve ser evitado, pois podem ser levados pelas enxurradas, obstruindo as bocas de lobo e tubulações. Diante de aparecimento de sinais como: fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas, inclinação de troncos de árvores, a Defesa Civil deve ser imediatamente acionada”, alerta João Vitor.

Em caso de vendavais e chuvas acompanhadas de descarga elétrica, o morador deve desligar os aparelhos eletrônicos da tomada, evitar se abrigar ou estacionar o carro debaixo de árvores e nas proximidades de construções. Se estiver em área que oferece risco de alagamentos, seja a pé ou de carro, o cidadão deve procurar um local seguro em nível mais elevado e esperar a água baixar. Se estiver em casa, na escola ou no trabalho no momento do temporal, evite sair.

Apoio 

Quem precisar de auxílio em situações de urgência ou diante de possíveis situações de risco deve entrar em contato com a Defesa Civil através dos telefones 199 e (24) 3028-9370. Se alguma família ficar ilhada devido a alagamentos, também deve ser acionado o Corpo de Bombeiros através do 193.

Foto e Vídeo: Paulo Dimas *


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document