quarta-feira, 23 de setembro de 2020 - 22:51 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Condições das estradas que cortam a região preocupam motoristas

Condições das estradas que cortam a região preocupam motoristas

Matéria publicada em 15 de março de 2020, 07:03 horas

 


Situação de abandono em alguns trechos coloca em risco quem passa ou vive próximo das vias

Sul Fluminense- Mato alto, rachadura nas pistas, falta de sinalização de quilometragem, canaletas entupidas, alagamentos nas pistas. Estes são alguns dos sinais de abandono que a RJ-153, RJ-151 e RJ-137 guardam por toda extensão. A situação das estradas vem sendo passadas ao DIÁRIO DO VALE ao longo dos últimos dias, através de depoimentos, fotos e vídeos. Por outro lado, o DER-RJ (Departamento de Estradas de Rodagem) diz que vai fazer as intervenções necessárias para amenizar os estragos, agravados pelas últimas chuvas.

RJ-151

A RJ-151 tem 185 quilômetros de extensão. Ela começa em Comendador Levy Gasparian, termina em Maromba, em Itatiaia, e se encontra com a RJ-145, incluindo os 45 quilômetros projetados entre Pedra Selada e Santa Isabel do Rio Preto. Liga ainda a rodovia Rio-Juiz de Fora (BR-040) ao distrito de Visconde de Mauá, em Resende. A RJ-151 também passa pelo Parque Nacional do Itatiaia, por Resende, Quatis, Rio das Flores, Porto Real, além de São Sebastião do Barreado e Porto das Flores, no estado de Minas Gerais.

Leandro da Cunha Costa, de 44 anos, relatou sobre alguns dos problemas que a RJ-151 possui há vários anos.
– Já perdi familiares, vi muito acidente causando prejuízo e tristeza. No caso da RJ-151, vejo irregularidades em toda a rodovia. Placas de quilometragem não existem, acostamentos obstruídos, as canaletas não foram limpas, galhos de árvores no meio da estrada. Sem condições – desabafou o motorista.

Nilson Goddis Duque, proprietário do Restaurante do Duque, na RJ-151, localizado na divisa entre Minas Gerais e Rio de Janeiro, comentou que constantemente entra em contato com vereadores da região para pedir ajuda sobre a situação da estrada.

– A falta de sinalização na rodovia é muito grande. As placas nunca receberam manutenção, tem trechos que temos que andar na contra mão por conta dos deslizamentos de terra que dominaram a pista. Seria bom um serviço de capina e limpeza nas canaletas para evitar acúmulo de água. Já conversei com vereadores sobre isso, e eles já encaminharam a solicitação ao DER-RJ, mas até agora nada – explicou o proprietário.

RJ-153

A RJ-153 liga Volta Redonda a Santa Rita do Jacutinga, em Minas Gerais, e corta os distritos de Santa Isabel, em Valença, a Nossa Senhora do Amparo, em Barra Mansa. A via sofreu com as chuvas dos últimos dias causando alagamento na pista, mas as reclamações do abandono na rodovia não são de hoje.

– A RJ-153 também está abandonada e os problemas se multiplicando. Muita gente já se acidentou. Trafego nessas vias por toda a vida e é fácil encontrar irregularidades por aí: pista esburacada, deslizamento de terras indo para a pista, acostamento irregular, trechos alagados após a chuva, entre outros – acrescentou Leandro.

RJ-137

A RJ-137 é uma estrada que liga Barra do Piraí ao distrito turístico de Conservatória. Tem 72 quilômetros de extensão e sofre com as mesmas situações que a RJ-151 e a RJ-153, principalmente sobre a falta de sinalização da estrada em relação às curvas ou para situar o motorista exatamente onde que ele está localizado.

A via tem ligação com Conservatória, conhecida como a “Cidade das Serestas” e foi nomeada como a capital do ciclismo brasileiro, com um forte apelo turístico, e sem a devida manutenção pode diminuir o fluxo de novos turistas e clientes.

Arnaldo da Cunha Gonzaga, 51 anos, empresário e proprietário do Restaurante Beleza da Serra, localizado na Serra da Beleza, destacou que com uma rodovia limpa, sinalizada e bem cuidada, pode aumentar o fluxo de clientes.

– Se tiver uma rodovia bem sinalizada limpa, você consegue incentivar e os clientes aumentarão. Hoje temos uma média de mil clientes por mês e quase 15 mil por ano. E nós, que pagamos impostos, precisamos do mínimo da organização pública para que a gente continue investindo no potencial turístico que tem a Serra da Beleza e Conservatória – comentou o empresário do restaurante, que está há 25 anos em atividade.

– O que mais me deixa chateado, como investidor, como empresário, é de ver as estradas hoje abandonadas e tomadas pelo mato, o desbarrancamento, o asfalto se perdendo, estourando, furando, isso é falta de conservação do estado – disse Arnaldo, acrescentando que a limpeza das valetas e a canalização das águas fluviais dariam um ganho para as estradas e diminuiriam os prejuízos para o Estado e os motoristas que transitam pela RJ-137.

O produtor rural, que mora há quatro anos, no Km 45 da RJ-137, Paulo Bragança, de 56 anos, disse que mediante da emergência solicitou um e-mail para o gabinete do governador Wilson Witzel na esperança de solucionar o problema.

Segundo ele, a assessoria do governador o respondeu, dizendo que providenciará aos órgãos competentes para vistoriar a estrada, o que ainda não ocorreu.

– Se ocorrer uma chuva forte e romper a estrada, o trânsito pode ficar interrompido entre Santa Izabel e Conservatória, e por aqui passam motoristas que vão ao Sul de Minas e a Volta Redonda. Canaletas laterais da estrada estão entupidas e sujas de vegetação, não dando escoamento de água. A Serra da Beleza, na Rodovia que vai de Valença para Conservatória, estamos sem acostamento, a vegetação engoliu o acostamento e estava indo para a pista de rolamento em alguns trechos da rodovia, DER-RJ abandonou isso aqui. Tem um desmoronamento que teve a perda da pista da direita, que vem de Santa Isabel para Conservatória, que já tá um ano em meia pista. DER-RJ colocou sinalização por causa de infiltração de água e nada de resolver – detalhou Paulo.

Nota

Em nota, o DER-RJ (Departamento de Rodagens do Estado do Rio de Janeiro) declarou que no momento está dando prioridade à conservação e manutenção das rodovias da região Sul Fluminense e que iniciará o serviço nas próximas semanas, e complementou que a RJ-137, no trecho em Barra do Piraí, foi contemplada no pacote de obras divulgado pelo governo.

No dia 4 deste mês, o governador Wilson Witzel, anunciou que serão investidos R$ 120 milhões para emergência em vinte rodovias estaduais por conta das fortes chuvas que atingiram o estado, desde janeiro deste ano. As RJ-163 e RJ-155 serão duas das 20 contempladas.

Por Miguel da Silveira


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    Esqueceram da RJ-145 próximo ao km 34 em Barra do Piraí está com erosão e risco da pista cair e deixar população sem caminhos oara o centro da cidade ou obrigar a pagar pedágio para ter acesso a Dutra pela BR 393.

  2. Avatar

    O país inteiro sofre com os buracos existentes nas vias públicas. Um governo que só pensa (?) em cortar verbas, essęnciais ao desenvolvimento, ainda tem a cara de pau de convocar idiotas de amarelo em seu apoio.

  3. Avatar

    Acredite, tem piores. O governo tem que definir prioridades, porque isso está tipo uma maternidade onde todas as mães pariram ao mesmo tempo… O mesmo vale para o recapeamento das vias internas das cidades. Em todas há problemas e chove reclamações, além de água, e agora tem o tal coronavírus para atrapalhar mais um pouco…

Untitled Document