segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Defesa Civil de Resende dá dicas para evitar problemas com abelhas

Defesa Civil de Resende dá dicas para evitar problemas com abelhas

Matéria publicada em 26 de janeiro de 2020, 08:30 horas

 


Abelhas têm papel fundamental para equilíbrio do meio ambiente-Foto: Arquivo

Resende- Preocupado com o aumento de incidentes provocados por picadas de abelhas no verão, período em que a atividade nas colmeias fica mais intensa e esse tipo de ocorrência tende a se tornar mais comum, a Defesa Civil de Resende resolveu alertar a população. O órgão dá algumas dicas e orientações, ressaltando ainda a importância dos insetos para o meio ambiente.

De acordo com o diretor da Defesa Civil de Resende, Flávio Germano, o calor faz com que os insetos fiquem mais inquietos e aumenta os casos de incidentes, principalmente em áreas com mata, como a zona rural de Resende.

– Às vezes a Defesa Civil é solicitada para atender, mas no momento acredito que os bombeiros se encontram mais bem preparados e equipados para atender esses casos. Já tivemos um pedido para atender um incidente com enxame de abelhas em Visconde de Mauá, mas fomos obrigados a pedir ajuda aos bombeiros e a um apicultor. Estamos viabilizando a possibilidade de adquirir equipamentos e capacitar os agentes com cursos sobre remoção de enxames para dar melhores condições de atender esses casos – declarou.

Diante dessas dificuldades em obter a especialização, já que a Defesa Civil ainda deve ter atenção às chuvas, enchentes, alagamentos e deslizamentos, por exemplo, o melhor caminho é o da prevenção, como feito agora com esta campanha.

Segundo a Defesa Civil, as manifestações após uma ferroada variam pela quantidade de veneno aplicada e se o indivíduo tem reação alérgica. Uma pessoa pode ser picada por uma ou centenas de abelhas. No caso de poucas picadas, o quadro clínico pode variar de uma inflamação local até uma forte reação alérgica (choque anafilático). No caso de múltiplas picadas pode ocorrer também uma manifestação tóxica mais grave e, às vezes, até mesmo fatal.

Em caso de acidente provocado por múltiplas picadas de abelhas, a orientação é levar o acidentado rapidamente ao hospital, junto com alguns dos insetos que provocaram o acidente; já a remoção dos ferrões pode ser feita por raspagem com lâminas e não com pinças, pois esse procedimento resulta na inoculação do veneno ainda existente no ferrão.

Por que as abelhas atacam?

O ferrão das abelhas exerce um papel essencial para a defesa de suas colônias. As abelhas geralmente formam sociedades com apenas uma rainha, vários zangões e operárias, que são as responsáveis pelas picadas. Ao atacar nas proximidades de um enxame, as primeiras abelhas liberam um feromônio que faz com que outras invistam contra o mesmo alvo, podendo ocasionar acidente com centenas de picadas.

Como prevenir acidentes com abelhas?

A defesa civil de Resende alerta para que a remoção das colônias de abelhas situadas em lugares públicos ou residências deve ser efetuada por profissionais devidamente treinados e equipados, preferencialmente à noite ou ao entardecer, quando os insetos estão calmos. Evite se aproximar de colmeias de abelhas africanizadas, sem estar com vestuário e equipamento adequados (macacão, luvas, máscara, botas, fumigador, etc.). Evite caminhar e correr na rota de voo percorrida pelas abelhas.

Barulhos, perfumes fortes, desodorantes, o próprio suor do corpo e cores escuras (principalmente preta e azul-marinho) desencadeiam o comportamento agressivo e, consequentemente, o ataque de abelhas.

Marimbondos

Outra preocupação da Defesa Civil é com os maribondos. O órgão alerta que a primeira coisa a fazer em caso de picada é verificar se o marimbondo continua agarrado à pele. Caso esteja, deve ser retirado o mais rápido possível para que mais veneno não seja injetado. “Evite tocar ou coçar a região da picada, e lave bem as mãos”, diz o cartaz, que segue:

“Lave o local da picada com água e sabão neutro para evitar infecção e não utilize água quente, pois piora a vermelhidão e o inchaço da pele. Aplique uma compressa com água fria sobre a picada para diminuir o inchaço”, afirma.

Em seguida, vêm as dicas para o processo mais complicado e doloroso. “Retire o ferrão o quanto antes e nunca esprema a picada caso o ferrão ainda esteja na pele. O ideal é puxar o ferrão com a ponta das unhas ou com uma pinça”.

Por Júlio Amaral


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document