terça-feira, 15 de junho de 2021 - 10:00 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Pastoral da criança atua há 26 anos na região

Pastoral da criança atua há 26 anos na região

Matéria publicada em 20 de janeiro de 2019, 09:10 horas

 


Saúde, educação, nutrição e cidadania são temas orientados pelos voluntários da pastoral
(Foto: Divulgação)

Volta Redonda- A ideia da criação da Pastoral da Criança surgiu em 1982, durante uma reunião sobre a paz mundial na ONU (Organização das Nações Unidas), onde o então diretor executivo da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) Sr. James Grant, convenceu Dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo e irmão de Zilda Arns Neuman, a encontrar uma solução ou proposta para salvar a vida de muitas crianças que morriam de doenças facilmente preveníveis, citando como exemplo a desidratação causada pela diarreia.
De acordo com Maria do Carmo, a Carminha, coordenadora diocesana da Pastoral da Criança, a proposta de como a Igreja Católica poderia participar desta missão acabou sendo apresentada pela Dra. Zilda a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que imediatamente acolheu essa proposta, apoiando para que a Dra. Zilda levasse à frente seus ideais. No ano seguinte, 1983, foi criada no Paraná a Pastoral da Criança.
– Criada pela Dra. Zilda Arns, o projeto da Pastoral tem como principal objetivo o combate à desnutrição e consequente mortalidade infantil, um problema que assolava a pequena cidade de Florestópolis, que apresentava na época o maior número de mortalidade infantil no estado do Paraná – esclareceu à coordenadora.
Em relação à diocese de Barra do Piraí-Volta Redonda, a coordenadora diocesana da Pastoral da Criança afirmou que a Pastoral foi criada em 1993, dez anos depois de ser criada no Paraná.
– Atualmente são acompanhadas pela Pastoral da Criança em torno de cinco mil crianças, distribuídas em 189 comunidades pertencentes aos 12 municípios abrangidos pela nossa Diocese – disse.
Maria do Carmo explicou que atualmente a Pastoral da Criança atua desenvolvendo sua missão nas comunidades, em áreas de marginalização urbana e rural.
– A Pastoral da Criança nos permite entrar em todas as casas e chegar a todas as famílias que venham ou não à Paróquia pertençam ou não à Igreja, ela é ecumênica. E os voluntários locais da Pastoral da Criança realizam visitas pessoais permanentes às famílias, e mensalmente como nenhum outro grupo – comentou.
Ao acompanhar a partir da vida diária das famílias, as voluntárias da Pastoral da Criança orientam em ações básicas de saúde, educação, nutrição e cidadania. Sobre as maiores dificuldades enfrentadas pela Pastoral da Criança, Carminha ressaltou que é a falta de voluntários.
– A nossa maior dificuldade é encontrar novos voluntários e que com isso haja um aumento no número de pessoas interessadas em atuar de forma voluntária nessa bela missão – informou.

Como participar

Para as mães interessadas em se cadastrar para ser atendida pela pastoral, a coordenadora Diocesana, orientou que as famílias devem procurar os líderes da Pastoral da Criança que residem na comunidade e demonstrar interesse em participar.
Em relação aos recursos e materiais necessários para atuar nas comunidades, a coordenadora Maria do Carmo informou que a Pastoral da Criança é mantida com recursos financeiros e materiais oriundos da Coordenação Nacional, sediada em Curitiba-PR, além de ajuda das regiões pastorais, paróquias e comunidades.
Para as pessoas interessadas em fazer parte da Pastoral da Criança como membros ou colaboradores, Carminha disse para os interessados procurar os líderes de suas comunidades e se oferecerem para participar da missão, quando então serão capacitadas em metodologia própria da Pastoral da Criança e se tornarão líderes voluntários.
– Também podem procurar as coordenações da Pastoral da Criança nos diversos municípios e a Coordenação Diocesana, através da Cúria – aconselhou Carminha.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document