Como será sua Páscoa?

by Diário do Vale

Escrevi esse texto pra que possamos refletir sobre o que fazer na Páscoa desse ano e em todos os dias que em nós, vida tivermos.

As questões da tradição são importantes para a esperança.

A esperança é um sentido lógico em que, de forma cíclica, vemos, pela tradição, ou seja, o que se conserva, se mantém, voltar a existir.

Mas a pandemia mudou drasticamente a forma como manifestamos essas tradições e portanto, a forma como interagimos com a esperança.

Pra alguns, a esperança foi perdida em função de não saber como acessá-la pelas novas formas estéticas.

Os ovos da Páscoa por exemplo… os espaços comercias foram pouco explorados pelo fato de que há também menor interesse em gastar superfulamente…

Ontem vi um ovo de 80 gramas por 24,99 reais. Um chocolate em Barra dos mesmos 80 gramas na gôndola ao lado, por 3,99 reais.

A questão não é ser mais caro o formato ovo que o formato Barra, mas o chocolate em si não ser mais uma fonte de prazer… de nutrição lúdica.

A ludicidade é o campo estético de acesso a esperança. Devemos sempre buscar uma alegoria pra parametrização de nossas narrativas em equilíbrio… Devemos, mas nem sempre podemos…

A Páscoa é a renovação de colheita e está relacionada a ação mais importante de nossa existência… O alimentar.

Veja que todas as narrativas lúdicas de grandes funções estéticas tem o banquete como de suas cenas principais…

A certeza que temos de que poderemos sobreviver está no maior ensinamento da era cristã, que tem suas raízes em religiões pagãs e que não estamos aqui por apenas multiplicarmos a capacidade de produção agrícola… estamos aqui, ainda enquanto civilização, por aprendermos que o milagre em alimentar nações está em dividir o que se multiplica.

Portanto, sendo Páscoa um tradição política, cristã, comercial, ciclo agrícola… celebremos!

A esperança em nossa fé em nós que podemos sempre escolher fazer o bem… esperança no outro que possa sempre buscar se redimir e remediar os males causados por atitudes cruéis ou atos involuntários sem culpa, mas ainda com responsabilidade de quem os comete.

Então, desejo a vc boa divisão do alimento, boa percepção e transformação na narrativa real em lúdica que nutra seus ancestrais e descendentes com alegria e amor fraterno.

Dias melhores virão para os que sobrevivam cuidando e sendo cuidado… para os que fazem prece e tenham pressa.

Hoje um homem chegou até mim querendo mostrar sua arte e no momento dessa abordagem disse que o que realmente estava era com fome… A fome dele, tornou-se minha. Mas não a fome pela falta e sim pela que nos mostra que dividir pouco é juntar muito… ninguém morre de fome se dividirmos equânime ao tamanho da carência de cada um… fome de carne e fome de alma.

Feliz Páscoa!

Por Valdeci Ferreira 

You may also like

1 comment

Leitor 4 de abril de 2021, 17:37h - 17:37

Ser cristão é ter atitude, ações.

Conheço pessoas que moram com idosos e andam pelas ruas sem mascaras!

Amar é cuidar!

Tenham empatia e cumpram protocolo.

Amar da boca pra fora , não é amor.

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996