sábado, 15 de maio de 2021 - 19:55 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Adolescente fica acautelada por nove dias na delegacia; comissão da Alerj investiga

Adolescente fica acautelada por nove dias na delegacia; comissão da Alerj investiga

Matéria publicada em 11 de julho de 2016, 16:25 horas

 


Caso aconteceu em Barra Mansa; diretor da Polícia Civil no Sul Fluminense, delegado Francisco Benitez, disse que Degase não atendeu ao ofício para transferência da menor

Barra Mansa e Rio – O diretor do 5º Departamento de Policiamento de Área (DPA), delegado Francisco Benitez, disse nesta segunda-feira (11) que o Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas) não atendeu ao ofício do delegado titular da 90ª DP (Barra Mansa), Ronaldo Aparecido de Brito, para buscar uma adolescente de 16 anos que ficou acautelada por nove dias na delegacia. O caso fez com que a Comissão de Direitos Humanos da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) abrisse um procedimento investigatório para apurar responsabilidades na detenção da menor, que supostamente ficou em condições subumanas numa pequena cela da unidade policial. Por lei, o prazo máximo em que um menor pode ficar acautelado é de cinco dias. A transferência da adolescente só ocorreu no último domingo (10).

Benitez disse que pediu explicações ao delegado Ronaldo Aparecido. Ele afirmou que a menor foi levada à delegacia para ficar acautelada por determinação de um juízo e que ela não foi apreendida pelas polícias Civil ou Militar.

– Essa menor foi levada para a delegacia por determinação judicial por ter descumprido uma medida socioeducativa. O delegado fez uma comunicação ao juiz e outras duas ao Degase, sobre a permanência da menor na delegacia, mas o Degase só veio buscar a menor após imprensa carioca divulgar a decisão da Alerj – disse Benitez.

A menor teria sido apreendida por não ter se apresentado no final do mês passado à unidade do Centro de Recurso Integrado de Atendimento ao Adolescente de Barra Mansa, onde teria que passar as noites, como medida socioeducativa. No dia 1º deste mês, ela se apresentou à 2ª Vara de Família, da Infância e Juventude. A juíza Lorena Boccia então determinou a transferência dela para o Degase da Ilha do Governador para internação de 30 dias.

A menor alega ter contraído sarna enquanto esteve na cela da delegacia de Barra Mansa. A mãe da adolescente disse que a filha dormia no chão, sem colchão, além de ter ficado sem alimentação adequada e tomado banho em cano um com água fria. Já o Degase alegou ter recebido o pedido para a transferência somente na última sexta-feira (8).

O presidente da comissão de Direitos Humanos da Alerj, deputado Marcelo Freixo (Psol), reagiu ao saber do caso. “Isso é brutal sob todos os aspectos”, indignou-se. O DIÁRIO DO VALE foi informado pela assessoria de Freixo, que a comissão enviou dois ofícios nesta segunda-feira, um à Corregedoria da Polícia Civil e outro à Vara da Infância e Juventude de Barra Mansa, pedindo explicações sobre o caso. A comissão quer saber por que a adolescente ficou tanto tempo acautelada na delegacia e qual o motivo para isso, além de buscar explicações sobre possíveis maus tratos que ela teria sofrido.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Queria tomar banho com água quentinha no chuveirinho?
    Ai que bonitinho!!!
    Direitos.humanos?
    Leva pra sua casa, e vê se consegue dar jeito….

  2. Avatar

    Nada justifica tanta crueldade, como um ser humano pode se recuperar?
    Ninguém merece ser maltratado.
    Que jogue a primeira pedra aquele que nunca errou! Antes das críticas não conheço a pessoa citada. (” “)
    Ninguém tem telhado de vidro, hoje é essa menina amanhã pode ser filho de qualquer um.

  3. Avatar

    Cade os diretos humanos para as criancas e adultos que vivem na rua..passando fome e frio..so aparece pra defender vagabundo….se essa moca estava la nao e atoa ne.

  4. Avatar

    Leva ela Freixo pra sua casa tomar banho quente e dormir na sua cama macia, se tá no Degase não é atoa e se foi pra delegacia ficar cautelada lá e pq não cumpriu as leis, essa porca…ria de Direitos Humanos só passa a mão na cabeça de vermes da Sociedade.

Untitled Document