domingo, 15 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Bope faz balanço de operação em Angra dos Reis

Bope faz balanço de operação em Angra dos Reis

Matéria publicada em 1 de maio de 2018, 16:14 horas

 


Polícia registrou 15 mortes de janeiro a abril deste ano que teriam sido provocadas pela guerra do tráfico na cidade

Angra dos Reis – O Batalhão de Operações Especiais (Bope) fez recentemente um balanço da operação realizada na sexta-feira (27), no bairro Camorim Grande. Segundo a PM, dois homens foram mortos em troca de tiros com os agentes, que foram ao local para coibir o tráfico de drogas. Foram apreendidos duas submetralhadoras, um carregador, 288 trouxinhas de maconha e 169 pinos de cocaína. O material foi levado para a 166ª DP (Angra dos Reis).
A onda de violência no município fez com que moradores marcassem, por meio de rede social, uma passeata pela paz. O ato reuniu poucas pessoas e aconteceu na Praia do Anil. Os manifestantes seguravam cartazes e gritando “Angra pede paz!”. Apesar da movimentação, o trânsito não chegou a ser bloqueado em nenhum momento. Os manifestantes prometem fazer novos atos.
A polícia registrou 15 mortes de janeiro a abril deste ano, a maioria provocada pela guerra do tráfico. O tiroteio no Camorim Grande ocorreu dois dias após traficantes do bairro Belém invadirem uma partida de futebol, no bairro Areal, e matarem duas pessoas e balear outras dez. Segundo o delegado titular de 166 DP (Angra dos Reis), Bruno Gilaberte, o ataque foi uma vingança por parte dos criminosos no Belém contra facção do Areal.
– Esse ato seria para dizer que nós moradores não aguentamos mais essa onda de violência, gerada por uma guerra de facções criminosas. Estamos assustados com essa sequência quase diária de tiroteios e mortes que vêm ocorrendo – disse um morador, que não que se identifica, por questões de segurança.
Nas duas últimas semanas de abril, a polícia registrou seis mortes, devido a confrontos diretos entre traficantes de facções rivais, ou entre policiais e traficantes. Apenas no dia 17 de abril, quatro suspeitos de tráfico de drogas foram mortos durante uma troca de tiros com policiais do 33º BPM (Angra dos Reis), no Parque Mambucaba.
Após cessarem os disparos, quatro homens foram encontrados mortos e foram apreendidos dois fuzis e duas pistolas. Alguns deles, foram mortos numa área onde existia uma cachoeira. Desde janeiro deste ano, já foram registrados 18 mortes em troca de tiros, a maioria entre traficantes rivais.
Em fevereiro, por exemplo, foram registrados 13 dias seguidos de tiroteios entre traficantes, que ocorrem em bairros como Areal, Camorim Grande, Belém, Frade e Sapinhatuba. Comércio e escolas foram fechados por causa dos confrontos, sem falar do pânico que causou na população e a queda no turismo devido os tiroteios.
Apenas o Bope e o Batalhão de Choque da PM estiveram na cidade, cinco vezes, desde o início do ano até abril. No dia 22 de março, agentes da Força Nacional estiveram no Frade, com o mesmo objetivo, coibir a guerra de facções criminosas rivais e investigar uma possível tentativa de invasão de milicianos, no bairro.

 

 

Por Dicler de Mello e Souza

 

3 comentários

  1. Avatar

    PRECISANDO DE AJUDA EM RELAÇÃO A DEPENDÊNCIA QUÍMICA? ÁLCOOL OU DROGAS? PODEMOS AJUDAR – ACESSE: http://www.anjosdoresgate.com

  2. Avatar

    estive em angra dos Reis neste feriado e polícia estava na sai da do túnel. dando segurança a quem subia ou descia a serra rumo a praia. parabéns pm. achei ótimo.

  3. Avatar

    Nunca imaginei que isso iria acontecer, mas aconteceu: vários conhecidos que pretendiam ir para Angra neste feriadão desistiram.
    Isso é muito triste, pois tira uma opção de lazer das pessoas e ao mesmo tempo atrapalha a economia de uma cidade.
    E pensar que Angra era uma cidade pacata e segura há poucos anos atrás.

    Chegou a hora do povo de Angra se revoltar e denunciar cada “bandido” e tráfico de droga no disque denúncia.

Untitled Document