quinta-feira, 6 de maio de 2021 - 22:10 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Câmeras são as novas aliadas da Operação Lei Seca

Câmeras são as novas aliadas da Operação Lei Seca

Matéria publicada em 24 de dezembro de 2017, 11:50 horas

 


Filmagens auxiliam o trabalho dos agentes e dão transparência às ações

Rio – A Operação Lei Seca conta com a tecnologia como aliada para dar mais transparência às abordagens. Cerca de 50 câmeras, distribuídas por nove equipes, filmam todas as ações realizadas durante as blitzes. As imagens geradas são monitoradas, em tempo real, por uma Central 24 horas que funciona no prédio Anexo do Palácio Guanabara.

As câmeras de pequeno porte ficam acopladas ao colete dos policiais e uma outra, um pouco maior, monitora toda a movimentação na tenda, onde os documentos do motorista abordado são checados e onde é realizado o teste com o bafômetro. As câmeras captam o áudio interno e externo da tenda.

– Caso exista alguma divergência, as imagens são devidamente analisadas – disse o coordenador da Operação Lei Seca, tenente-coronel Marco Andrade.

As imagens geradas são monitoradas, em tempo real, por uma Central 24 horas que funciona no prédio Anexo do Palácio Guanabara (Foto: Divulgação)

As imagens geradas são monitoradas, em tempo real, por uma Central 24 horas que funciona no prédio Anexo do Palácio Guanabara (Foto: Divulgação)

Central

Todas as câmeras possuem um chip 4G e um mapa de localização, que permite que as imagens sejam monitoradas, não somente pela Central de Monitoramento, mas pelo coordenador da Operação, através de site na internet. As câmeras são resistentes à água, à queda e também são blindadas.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Avatar

    O estado quebrado, servidor sem receber salário, violência fora de controle, o próprio Detran esta sempre em greve mas dinheiro para fazer as operações da Lei seca não falta, isso funciona de forma impecável e como a matéria mostra o estado ainda investe em tecnologia oara fortalecer as operações. Ai eu lhe pergunto, vc acha mesmo que o estado esta preocupado com sua integridade fisica lhe “protegendo” dos motoristas embreagados ?

    • Avatar

      Bem observado, porém na realidade não é custo nem despesa, é INVESTIMENTO em tecnologia para o cidadão ser multado, desestimulado a recorrer e PAGAR. Parece que a finalidade do Estado do Rio de Janeiro é dilapidar o cidadão/contribuinte, maltratar o servidor e tudo em prol de uma elite $acana que dentro de pouco tempo estará nas ruas cuspindo na cara do “populacho”(Vide indulto de natal, Noel Temer). E depois repete-se “ad nauseam” o velho discurso que tem parcela de verdade, mas também esconde muito sofisma, que é “A coisa esta assim porque o cidadão não sabe votar”. Quem tem poder para se articular e criar uma chapa para concorrer as eleições, o povo? São apenas os ocupantes de cargos eletivos que tomam decisões anti-populares e favorável a corruptos? No final a transmutação: o Burro de carga transforma-se em Bode expiatório e carrega quieto consigo todas as mazelas.

    • Avatar
      الفتح - الوغد

      Mas quem te garante que vai funcionar? Ninguém que não esteja dentro da central de operações consegue saber se as câmeras estão ligadas. São meros tótens do desperdício de dinheiro público…

    • Avatar

      Somente bebuns alcoólatras são contra as operações de lei seca.
      Usa Uber e para de encher o saco.

  2. Avatar

    Para as cameras tem dinheiro, mas pra manter policiamento ostensivo no arco Metropolitano e dar segurança aos contribuintes não, esse desgoverno é um desastre.

Untitled Document