;
domingo, 29 de novembro de 2020 - 07:55 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Comandante do 28º BPM aperta o cerco para prender quadrilha que planejava matar PM

Comandante do 28º BPM aperta o cerco para prender quadrilha que planejava matar PM

Matéria publicada em 31 de outubro de 2016, 10:11 horas

 


Volta Redonda- O comandante do 28º Batalhão da PM, Damião Portella, disse neste domingo, que pretende prender o restante dos integrantes da quadrilha com reduto no Caieira, que planejou matar um PM. Para isso, o militar aumentou o policiamento no bairro, onde, na quinta-feira, já tinha sido preso um jovem de 25 anos, que também teria envolvimento no grupo.
Policiais militares apreenderam na casa do suspeito, na Avenida da Imprensa, com uma pistola de calibre 9 milímetros, 28 munições do mesmo calibre e um carregador.
Os agentes foram ao Caieira após receberem denúncia de que traficantes estariam planejando um atentado contra um policial militar. Pela denúncia, o PM estaria coibindo a venda de drogas no bairro e prendendo integrantes da quadrilha.
Ainda de acordo com os policiais, o atentado estava sendo tramado também por outros homens identificados apenas como “DG do Dom Bosco”, “Rodriguinho”, e “Neném”. Eles não foram encontrados.
Segundo a PM, Jobim se intitula chefe do tráfico de drogas no Caieira. O suspeito foi levado para a 93ª DP (Volta Redonda).
No dia 11 deste mês, as polícias Civil e Militar realizaram uma operação no Morro da Conquista, no Santo Agostinho. A investida, que foi comandada pelo delegado adjunto da 93ª DP, Marcelo Russo, e comandante do 28º Batalhão da PM, tenente-coronel Damião Portella, foi uma resposta as mensagens postadas em uma rede social, por um adolescente que ameaçava atirar em policiais civis da cidade. Um casal foi preso e dois menores apreendidos.
Foram apreendidos ainda mais de 500 gramas de maconha e 500 gramas de cocaína, balança digital, um revólver calibre 38, uma pistola calibre 40, material para embalar entorpecentes, e folhas com a contabilidade do tráfico.
O delegado disse que o menor que postou as mensagens não foi localizado, mas confirmou que a ação foi por causa das ameaças feitas por ele na internet.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document