>
quarta-feira, 6 de julho de 2022 - 00:47 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Falta de vacinas contra H1N1 prejudica reta final de campanha nacional

Falta de vacinas contra H1N1 prejudica reta final de campanha nacional

Matéria publicada em 19 de maio de 2016, 23:16 horas

 


Rede pública e particular enfrentam escassez de doses e população teme doença

Volta Redonda – A campanha nacional de vacinação contra a Influenza A (H1N1) termina nesta sexta-feira (20) na rede pública, porém muitas pessoas do grupo de risco (idosos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, gestantes, puérperas [até 45 dias após o parto] e pessoas portadoras de doenças crônicas) ainda não conseguiram se imunizar, devido à grande procura e a quantidade fracionada que vem sendo fornecida pelo Governo do Estado.

Desde o primeiro dia de campanha, quem procurava pela vacina nos postos de saúde da região teve dificuldades para se imunizar porque as doses acabaram rapidamente. A rede particular também enfrenta problemas em conseguir doses.
A dona de casa Liliane Piccoli, moradora do bairro Santo Agostinho, entrou em contato com o DIÁRIO DO VALE pelo WhatsApp para reclamar da falta de vacina no posto do Volta Grande – que atende a população daquela região. Segundo ela, desde o segundo dia da campanha tenta levar o filho de quatro anos para tomar a vacina, mas não conseguiu imunizar o garoto.
– Levei meu filho desde o segundo dia de campanha. Quando chegava procurando pela vacina ela já tinha acabado. A mesma situação se repetiu no outro dia e funcionários informaram que na próxima semana chegaria, retornei e a vacina não tinha chegado. Hoje é o último dia e o que vou fazer se nem na rede particular tem a dose – desabafou, acrescentando que em casa tem tomado precauções para que o filho não seja contaminado pelo vírus.
O também morador do Santo Agostinho, Carlos Alexandre Reis, de 62 anos, comentou que compareceu nesta quinta-feira (19) ao posto do bairro e mais uma vez não tinha a vacina.
– Fui algumas vezes no posto e retornei na esperança de ser imunizado antes do término da campanha, porém não tinha mais uma vez a vacina. Eu e vários idosos do bairro não recebemos a imunização, isso é triste, lamentável. É um desrespeito com a comunidade – disse.

Longas filas e espera: Desde cedo pessoas procuraram uma unidade de saúde no Centro de Barra Mansa para conseguir se imunizarem (Foto: Enviada via Facebook)

Longas filas e espera: Desde cedo pessoas procuraram uma unidade de saúde no Centro de Barra Mansa para conseguir se imunizarem (Foto: Enviada via Facebook)

Em Barra Mansa, desde a manhã de quinta – penúltimo dia da campanha – filas enormes se formaram em postos de saúde dos bairros. Idosos, crianças e doentes crônicos tentavam se imunizar mas nem todos conseguiram. Numa unidade no Centro, na Rua Cristóvão Leal, 250 senhas foram distribuídas mas as doses distribuídas foram insuficientes para fila que chegou a dobrar a esquina. Houve tumulto e insatisfação por parte de quem não conseguiu se imunizar.

Meta de 80% é alcançada em Volta Redonda e Barra Mansa

Em nota, a secretaria de Saúde de Volta Redonda informou, através da assessoria de comunicação, que a meta programada pelo Ministério da Saúde de vacinar 80% do público-alvo já foi alcançada, restando ainda alguns dados a serem inseridos no sistema. A pasta ressaltou ainda que o município recebeu todos os lotes de doses distribuídos pela Secretaria Estadual de Saúde que foram previamente estabelecidos pelo ministério. A nota informou ainda que não há mais vacinas nas unidades do município.
Barra Mansa também informou que a meta de vacinar o público-alvo foi alcançada, com aproximadamente 40 mil pessoas imunizadas. Já a assessoria de Resende divulgou que foram 70% do público-alvo vacinado. A cidade tem o maior número de mortes por H1N1 no Sul Fluminense. Foram seis até esta quinta-feira, com uma pessoa sendo uma moradora de Porto Real.
A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde foi procurada para informar se a campanha iria ser prorrogada, mas até o fechamento desta edição a assessoria não se pronunciou.

Falta de vacinas também na rede particular

E não é só a rede pública que sofre com a falta das vacinas, clínicas particulares que fazem a imunização também estão sem as doses. O dono de uma central de vacinas numa clínica no bairro Niterói, em Volta Redonda, Artur Fernandes, disse que a vacinação no local foi suspensa há três semanas devido à falta de estoque dos laboratórios.
– Segundo informações dos laboratórios produtores da vacina anti-influenza (gripe) seus estoques para o Brasil acabaram, apenas um dos laboratórios entregará com previsão para o final de julho – disse Fernandes, completando que quem ainda quiser se vacinar deverá encontrar na rede particular do Rio, pois algumas franquias compraram uma quantidade maior de doses.
Fernandes destacou que se o laboratório retomar com o fornecimento das doses, a vacinação na clínica deverá voltar em julho. Ele preferiu não divulgar quantas pessoas foram imunizadas em sua central de vacinas, e se limitou a dizer que pessoas fora do grupo de risco, como adolescentes e adultos, foram as que mais procuraram se prevenir da doença.
Numa sala de vacinação particular no Centro de Barra Mansa, a aplicação de vacinas foi suspensa há um mês, por um problema no fornecimento dos laboratórios responsáveis.
A imunização no estabelecimento começou no dia 12 de abril e terminou no final do mesmo mês. Neste período foram vacinadas 800 pessoas. De acordo com a funcionária Natasha Silva, quem procura pela vacina na sala é indicado preencher uma ficha no site da empresa e aguardar pelo contato.
– A procura pela vacina continua. Há um mês encerramos a vacinação porque não estamos conseguindo comprar os estoques nos laboratórios. Sugerimos as pessoas que nos procuram que preencham uma ficha no site da empresa e caso consigamos retomar com a compra dos estoques, as pessoas deverão enfrentar uma fila de espera – explicou.

H1N1 já matou 12 pessoas na região

E a doença já matou 12 pessoas no Sul Fluminense. Foram seis em Resende (com uma sendo moradora de Porto Real), três em Volta Redonda (uma mulher de Barra Mansa e um homem de Paraíba do Sul), uma em Piraí, Valença e Três Rios. O último caso confirmado foi o de uma mulher de 27 anos que morreu após dar à luz a um menino no último dia 2, na Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Resende (Apmir). O bebê passa bem.

Por Franciele Bueno
[email protected]


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

11 comentários

  1. q cara de pau! ter coragem de falar q a meta foi alcançada! lembrem disso na hora de votar nesses mentirosos que não pensam na população. bando de safados.

  2. É um verdadeiro absurdo e desrespeito com as pessoas que tinham o direito à vacina e não tomaram. Levei minha mãe de 86 anos quatro vezes ao Posto de Saúde no bairro São Geraldo e, em nenhuma delas, havia a vacina. O que se comenta é que muita gente que não era público alvo foi vacinada. A que ponto chegamos? Até com vacina, acontecem os desvios. Não acredito que esse atingimento de meta seja verdadeiro. Balela pura. Vamos ver se terão a dignidade de prorrogar o prazo, porque as mortes pela H1N1 continuam acontecendo.

  3. ISSO É VERGONHOSO, PIOR DO QUE TUDO ISSO, É QUE QUANDO SE APROXIMA AS ELEIÇÕES APARECEM UM BANDO DE POLÍTICOS DIZENDO QUE FEZ E ACONTECEU PARA A ÁREA DE SAÚDE DE BARRA MANSA, E O POVO ACREDITA E ELEGE UM DESSES. O NOSSO PREFEITO NÃO FEZ NADA PARA REVERTER A FALTA DE VACINAS. É LAMENTÁVEL.

  4. É a triste realidade ,sou morador de Barra Mansa e tenho direito na vacina e não consegui tomar a mesma,andei
    por varios postos de saude desde o inicio e nada e ainda dizen que so no posto do seu bairro.
    Se alguem souber onde aplica H1N1 particular, solicito a gentileza em me avisar ficarei agradecido.
    Mas na proxima eleição o foto sera 000 confirma = foto nulo

  5. E a culpa e de quem ??????

  6. Moradora revoltada

    Cadeia nesses governantes que desrespeitam os direitos da população.
    Pq se tiram de nós q temos direito a vacina p levar a um grande numeros de pessoas que nem pertencem ao tao falado grupo de risco, os responsaveis por isso deveriam ser investigados e ir pra cadeia….

  7. A incompetência de nossos gestores públicos é absurda.

  8. PAULO WAGNER ROCHA

    ” DESRESPEITO E DESORGANIZAÇÃO TOTAL” FOI A CAMPANHA DE VACINAÇÃO EM BARRA MANSA.

  9. Moradora revoltada

    Fico indignada em saber q Volta Redonda libera vacina p fazer politicagem na Ilha São João e quando quem realmente deveria ser imunizado não consegue se vacinar…Isso é um verdadeiro absurdo.
    Essa nota de que foram imunizados a porcentagem recomendada é mentira pq na Ilha um monte de gente q nao esta no grupo dd risco foram imunizadas…Em um pais q o erro começa na presidencia vamos esperar o que néh…

    • detalhe a campanha da ilha foi na sexta anterior ao inicio da campanha.
      ja levei minha filha de 1 ano pra tomar a vacina. Não consegui nenhuma das 5 vezes q procurei no posto.

Untitled Document