IML diz que bebê nasceu vivo e desmente mãe suspeita de abandono - Diário do Vale
segunda-feira, 27 de setembro de 2021 - 03:11 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / IML diz que bebê nasceu vivo e desmente mãe suspeita de abandono

IML diz que bebê nasceu vivo e desmente mãe suspeita de abandono

Matéria publicada em 7 de maio de 2019, 09:56 horas

 


Jovem afirma ter feito parto sozinha (crédito PM)

Resende – O laudo de necropsia do Instituto Médico Legal (IML) de Resende revelou que o recém-nascido, encontrado morto no dia 1º de maio deste ano, em Resende, nasceu vivo e sofreu traumatismo craniano encefálico. O resultado do documento contraria a versão da mãe da criança, uma adolescente de 16 anos.

A menor contou ao delegado titular da 89ª DP (Resende), Michel Floroschk, que, após o parto no dia 30 de abril, pensou que o filho estivesse morto e o abandonou numa área de mata, às margens do Rio Paraíba do Sul, no bairro Vila Araújo.

O parto foi no banheiro da casa da adolescente. Ela está internada desde sexta-feira num hospital da cidade, após uma infecção que adquiriu pós-parto. A menor alega que, no momento do parto, estava sozinha e disse que não sabia da gravidez. A jovem relata que não teve sintomas comuns à gestação e que o feto não se mexia na barriga.

– Ela disse que os pais não sabiam que estava grávida. E ainda, que após abandonar o filho, se arrependeu e contou o que tinha feito à mãe e o pai dela – disse o delegado.

Floroschk apreendeu uma tesoura que a jovem usou para cortar o cordão umbilical. Segundo ele, o objeto servirá como prova.

Agentes do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) encontraram no banheiro da casa da menor, manchas de sangue, com uso de luminol. Trata-se de uma substância que reage à composição do sangue mesmo que o local tenha sido lavado.  Floroschk disse que a adolescente passou a responder por ato infracional análogo ao crime de homicídio doloso (quando há intenção de matar), qualificado, pelo fato da vítima (bebê) ser incapaz de se defender.

A jovem garante que agiu sozinha,  mas o delegado suspeita da participação de outras pessoas no crime.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

5 comentários

  1. Como não sabia da gravidez? será que a barriga não cresceu? a família não percebeu?

  2. Meu nome é Zé Pequeno!

    Pai do céu! O nome da substância correto e “luminol”.

  3. Ato infracional ANÁLOGO ao homicídio doloso. Estão precisando de revisor aí?

Untitled Document