Polícia investiga se filho teria assassinado mãe em Barra Mansa - Diário do Vale
terça-feira, 21 de setembro de 2021 - 01:59 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Polícia investiga se filho teria assassinado mãe em Barra Mansa

Polícia investiga se filho teria assassinado mãe em Barra Mansa

Matéria publicada em 11 de novembro de 2016, 09:42 horas

 


Um irmão o acusa de ter a matado para receber uma pensão; corpo foi exumado

Barra Mansa- O delegado adjunto da 90ª DP (Barra Mansa), Márcio Leandro Figueroa, disse nesta sexta-feira (11) ao DIÁRIO DO VALE que está investigando a morte de Roselaine Aparecida da Silva, de 49 anos. A vítima foi enterrada no dia 16 de outubro deste ano, no Cemitério Municipal de Barra Mansa, e na última quinta-feira (10) o corpo foi exumado. O procedimento é para saber se a morte dela foi natural ou criminosa. Um filho de

Roselaine acusa o irmão de ter assassinado a mãe para receber parte de uma pensão do INSS.

Roselaine morava com o suspeito no bairro Roselândia.

Segundo o delegado, o cadáver estava em adiantado estado de decomposição. Fato, segundo Figueroa, que dificulta a necropsia. O policial disse ainda que neste caso, o legista consegue atestar com mais facilidade se encontrar algum osso fraturado na parte respiratória do pescoço.

– Já no que diz respeito à decomposição do tecido, já fica mais difícil detectar alguma lesão. Mesmo assim, foi recolhido material para um exame mais complementar – disse Figueroa.

O delegado registrou o depoimento do filho de Roselaine, assim como de uma médica, que teria assinado o atestado de óbito da mulher sem ver o corpo. Ele explicou que se comprovado que houve dolo no ato praticado pela médica, ela poderá responder criminalmente por falsidade ideológica.

– A médica alega que foi procurada pelo filho suspeito dizendo que a mãe tinha morrido no hospital e que outra médica já tinha se prontificado a emitir o atestado. Então, sem a devida cautela, assinou o documento, acreditando que o corpo havia sido verificado pela colega – disse Márcio Figueroa.

O policial explicou ainda que dependendo do resultado do laudo do IML (Instituto Médico Legal), que deverá ser concluído em dez dias, o filho de Roselaine poderá passar da condição de testemunha para investigado.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. A mulher foi enterrada no outro dia,houve o funeral dela…como isso é estranho sendo que ela foi enterrada no outro dia…esse irmão que esta acusando o outro pode muito bem querer prejudicar o outro que não deve pense nisso. Fácil julgar sem saber da história em si. Pensamento meu.

  2. O irmão está acusando o outro talvez por não ter recebido parte da pensão. Pensamento meu.

    • Esse outro filho não está acusando o outro irmão por querer parte da pensão não….Até pq ele nem morava por aqui e nem pode ver a mãe ser enterrada o filho que supostamente matou a mãe a enterrou rapidamente. Foi o que todos acharam estranho.

  3. Meu deus e pior que ela ainda tenta e jjustifica falando q outra medica ia assinar ,tem q investigar mesmo e coloca na rua qualquer um corte risco nessa Santa casa.

  4. assinar um documento desse pra mim não entende nada nada de medicina putiz.

  5. Só na santa casa mesmo e que tinha que acontecer essas coisas .essa criançada na verdade não sabe o que esta fazendo essa e a verdade.

  6. Pare o mundo que eu quero descer...

    Meu Deus… Torço por não ser verdade, porque se for que monstro!

Untitled Document