domingo, 5 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Policiais conduzem um suspeito à delegacia e intimam outra pessoa por possível crime ambiental

Policiais conduzem um suspeito à delegacia e intimam outra pessoa por possível crime ambiental

Matéria publicada em 31 de maio de 2020, 18:28 horas

 


Terreno tinha indícios de movimentação de terra
(Foto cedida pela polícia)

Paraty – Policiais da 4ª UPAm  conduziram à delegacia de Paraty uma pessoa suspeita de crime ambiental.  Eles constataram, em um terreno no bairro Várzea do Corumbé, em Paraty, cerca de 200 metros quadrados com recentemente a movimentação de terra. No local, os policiais verificaram a existência de diversas árvores de pequeno e grande porte cortadas. Ao ser questionado pelos policiais sobre as licenças ambientais pertinentes para aquela atividade, o responsável pelo terreno informou que não as possuía.

Durante a fiscalização nas proximidades, já que havia outra denúncia do Linha Verde sobre crime ambiental ali, os policiais perceberam a abertura de uma estrada com cerca de 100 metros de extensão ao lado do terreno e foram ao local. A via dava acesso a cinco lotes com aproximadamente 200 metros quadrados cada, que tinham indícios de uso de retroescavadeira, extração irregular de árvores e movimentação de barro.

Os policiais então foram à residência indicada na denúncia, mas a responsável não quis falar com os agentes, negando-se a mostrar qualquer tipo de documentação referente aquela atividade. Não havia nenhuma placa ou informação no terreno dando conta das licenças ou autorizações. Assim, a equipe de policiais ambientais se dirigiu à 167ª DP com o primeiro acusado, onde a ocorrência foi registrada com base no artigo 38 da lei de crimes ambientais, enquanto que a responsável pela última ocorrência acabou sendo intimada à comparecer posteriormente naquela delegacia com intuito de esclarecer à autoridade policial, todo o ocorrido e se há de fato alguma licença para a atividade em questão.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Embargar urgente estas obras e fiscalização frequente para evitar este abuso. Se deixarem invadem e destroem toda esta mata da Serra. Futuramente iriam reclamar de tragédias provocadas por chuvas e inundações, ou seja, tem que se cortar o mal pela raiz e responsabilizar também o poder Público além de multa e cadeia para os envolvidos!!

  2. Avatar
    CICLISTA OBSERVADOR

    NOS DISTRITOS DE BARRA MANSA TAMBÉM DEVERIA HAVER FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL, ESTÃO COLOCANDO CERCAS NO MEIO DA ESTRADA, CONSTRUINDO NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL (APP), BEIRA DE RIO E BREJOS SENDO LOTEADOS,. DELIBERADAMENTE! ALGUÉM PRECISA VER ISSO. COMO SERÁ NO FUTURO?!

  3. Avatar

    Prende logo os envolvidos nesse crime e coloquem eles para plantar 20 vezes mais o total destruído.

  4. Avatar

    O (i) responsável pelo crime ambiental deve ser enquadrado na lei e além de reparar os danos causados, pagar as devidas multas e finalmente ser submetido às penalidades na vara criminal.
    Gentinha esperta, se apropria da natureza para ganhar uns trocados.

Untitled Document